O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 21.07.10 às 16:59link do post | adicionar aos favoritos

20 De Julho de 2010

 

Ontem senti de novo toda a dor, solidão e desamparo em que estou desde que o meu namoro acabou.

Estava de folga e decidi ir dar uma volta a cidade para arejar. Aproveitei e cortei o cabelo. E depois foi o pior do dia.

Saldos. Por todo o lado saldos.... e eu sem o H. para ir-mos ás compras.

Preciso mesmo de comprar alguma roupa. Calças, t-shirts e pólos. Nada de mais é certo. Mas era com o H. que contava para me ajudar sempre. Como sou daltónico e o meu gosto é muito discutível era e foi sempre o H. que me ajudava a escolher. Adorava ir com ele. Mesmo que nada comprasse para mim, ver e sentir a alegria e a energia dele quando andávamos de loja em loja, de compra em compra era para mim um mundo.

Já nem falo tanto em sair daqui onde só há meia dúzia de lojas que valham a pena e ir a lx ou outro qualquer sítio, isso como não tenho carro está completamente fora de questão. Mas o que me entristeceu foi mesmo a falta da ajuda dele.

Nunca saberei se ele tem a consciência da falta que me faz, mesmo nas coisas mais banais da minha vida. De tudo o que ele era para mim. De tudo o que fez por mim.

Uma das muitas coisas que ele fez foi isso mesmo. Ensinou-me a vestir-me melhor. A sentir-me bem comigo mesmo e com a roupa que visto. Pode parecer vaidade e futilidade, mas a verdade é que isso aumentou e muito a minha auto-estima.

Amo-o muito ainda. E acho que para sempre. Com o tempo vou aceitando que nunca mais será meu.

Mas hoje senti-me sozinho. Demasiadamente só!

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 21.07.10 às 16:57link do post | adicionar aos favoritos

18 De Julho de 2010

Fim de um fim-de-semana de bebedeira.

Desde quinta-feira que foi um desatino. Todos os dias uma!

Na quinta-feira por brincadeira no final da noite lá no bar, a patroa e eu decidimos ir para a discoteca cá do sítio. Como era a última noite académica, decidimos ir ver e desanuviar as ideias. Eram só putos que por lá estavam... Metemo-nos nas mínis e foi o que foi. Cheguei a casa já muito depois das 5 da manha e já a cambalear.

Na sexta-feira a culpa foi de um grupo que foi lá ao bar. Começaram a beber shots. Mas só bebiam se bebesse também... para não dar parte fraca, lá bebia também. Para o final o meu já era quase só sumo.... tinha que continuar a trabalhar.... mas ainda assim já cheguei alcoolicamente bem disposto a casa.

No sábado, o que começou por ser uma noite muito calma, acabou comigo a quase desesperar por um pouco de paz e tempo para fumar um cigarro.

Como o calor era muito atrás do balcão ia bebendo umas mínis.... e mais umas.... e ainda mais umas.... e como a maior parte estavam a ser pagas por clientes, muitos dos quais fazem parte do tal grupo que secretamente sabem  que sou gay, deixei-me ir na onda. Para acabar a noite em grande, mais uma vez eu a patroa fomos para a discoteca. Desta vez uma a que não costumamos ir, por passar maioritariamente musica latina.... foi mais uma vez o descalabro....

Felizmente em nenhum dos dias fiquei com ressaca. E sempre deu para esquecer um pouco a tristeza que trago comigo desde que o o H. acabou.

Mascarada mas não esquecida essa dor!

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 14.07.10 às 17:11link do post | adicionar aos favoritos

14 de Julho de 2010

 

Ainda meio abananado por tudo o que senti no domingo, na segunda-feira tive uma grande notícia e uma bela surpresa.

As custas do patrão estar de féria, tenho andando a trabalhar também nos meus dias de folga. Já passava da meia-noite quando o M. um dos antigos donos do bar entra porta a dentro.

Começamos a conversar, e já no final de duas mínis, a conversa começou a entrar num campo um pouco estranho.

Começou por falar que ele e a B. (a namorada) andavam preocupados comigo, que sabiam que algo se andava a passar, tudo isto apenas como somos amigos no facebook, tem andando a seguir o “estado” e as músicas que tenho publicadas por lá.

Confirmei que sim. Que não andava bem. Que tinha o coração partido. Ele começou a procurar palavras.... a gaguejar.... e eu a ver onde a conversa ia parar.

Sem mais rodeios, ele disse-me que sabia da minha verdadeira orientação sexual. E  mais, que não só ele e a namorada, mas todos o do grupo de amigos. E que não fazia qualquer diferença.

Fiquei desarmado. Embora nunca tenha escondido lá no bar, também nunca o assumi directamente. Foi bom sentir a amizade e o apoio dele.

Embora o bar fechasse ás 2 da manha, ficamos lá a conversar até as 4h.

Estava a precisar de desabafar. De falar. E para surpresa minha foi com quem menos esperava. Mas acho que assim é que se vêem os verdadeiros amigos.

Agora resta-me averiguar umas coisas. Como os meus actuais patrões e as babes fazem parte do tal grupo de amigos a que ele se referia, será que também já sabem? Sempre souberam? E se sim, porque nunca me disseram nada?

Mas pelo menos senti-me mais leve na segunda-feira.

E agora o H. já poderá saber algo que sempre tinha curiosidade. Por que razão quando ele estava no bar, o grupo o cumprimentava tão efusivamente. Faziam-no porque sabiam que ele era o meu namorado e queriam-no fazer sentir também parte do grupo.

Agora que já não tenho relação com ele, é que fico a saber uma coisa destas.

Enfim.... mais uma coisa que fico a perder!

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 14.07.10 às 16:41link do post | adicionar aos favoritos

13 de Julho de 2010

 

No domingo vim de novo quase todo o caminho do bar para casa a chorar. Não consegui evitar. Foi mais forte que eu. E tudo por causa de algo que descobri.

Da mesma forma que eu também já o fiz, o H. também já criou um perfil no gaydar...

Claro que tem todo o direito de o fazer. Assim como eu o fiz. Mas ainda assim me doeu. Imagino que da mesma forma lhe tenha custado a ele descobrir o meu perfil. Foi assim que vi que ele já estava lá. Ele visitou-me por assim dizer. Embora ele não tenha foto de cara, reconheceria aquele corpo em qualquer sítio. E se duvidas houvesse o fio que ele tinha foi comprado comigo.

A primeira reacção que tive foi a de susto, de culpa e vergonha. Por ter sido “apanhado”. Quase como se tivesse sido apanhado a trai-lo. O que não faz sentido. Afinal já não temos uma relação. Mas foi isso que senti. Depois instalou-se o desespero e o ciúme. Foi assim que me senti a noite toda. Acabando comigo a chorar desde o bar até que por fim adormeci.

 

“On my own” Les Miserables.

 

 

 

 

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 10.07.10 às 16:28link do post | adicionar aos favoritos

10 de Julho de 2010

 

Sinto tanto a falta no H.

Na quinta-feira até lidei bem com isso, entretido que estava em arrumar o resto do quarto, e tudo mais. Mas ontem foi demais. Fartei-me de chorar de novo. Mesmo antes de abrir o bar. Os primeiros clientes notaram e tudo.

Nunca pensei que fosse tão difícil. Nunca me passou pela cabeça, em momento algum que fosse tão duro e tão incrivelmente doloroso.

As babes lá do bar fazem de tudo para me animar. Mesmo não sabendo verdadeiramente o que se passa, (embora não sejam burras e de certeza que já juntaram um mais um), mas não conseguem tirar-me deste estado de inanimação em que estou. Dizem vezes sem conta que já não lhes pareço o mesmo. E isso é a verdade.

Mesmo que durante o dia me entretenha na net ou a ver tv, o caminho que faço para ir para o bar deixa-me sempre triste. Era nessa altura que normalmente ligava ao H. e estávamos a conversa até chegar ao destino. Sinto falta disso.

A minha ex-cunhada (sim, o meu irmão separou-se dela entretanto) teve ontem no bar. Olhou para mim 20 segundos e disse-me logo que não estava bem. Olhei para ela e antes que pudesse dizer alguma coisa ela remata: “estás só!”. Com o balcão cheio de gente, lá inventei que o fumo me entrou para os olhos e por isso ter soltado lágrimas.

Doi-me o coração. Agarrado ainda a quase nula esperança que um dia em breve ele se aperceba que afinal me ama, e que voltará para mim, é o que me dá as poucas forças que me fazem andar. E isso sim, é apenas a minha imaginação.

Todos os dias lhe escrevo uns sms, que eventualmente apago e não envio. Não o quero aborrecer. Será que ele já me ultrapassou? Já me terá arrumado na memória? Eu não o consigo fazer.

 

Queen- Love of my life.

 


 

 

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 10.07.10 às 16:28link do post | adicionar aos favoritos

10 de Julho de 2010

 

Sinto tanto a falta no H.

Na quinta-feira até lidei bem com isso, entretido que estava em arrumar o resto do quarto, e tudo mais. Mas ontem foi demais. Fartei-me de chorar de novo. Mesmo antes de abrir o bar. Os primeiros clientes notaram e tudo.

Nunca pensei que fosse tão difícil. Nunca me passou pela cabeça, em momento algum que fosse tão duro e tão incrivelmente doloroso.

As babes lá do bar fazem de tudo para me animar. Mesmo não sabendo verdadeiramente o que se passa, (embora não sejam burras e de certeza que já juntaram um mais um), mas não conseguem tirar-me deste estado de inanimação em que estou. Dizem vezes sem conta que já não lhes pareço o mesmo. E isso é a verdade.

Mesmo que durante o dia me entretenha na net ou a ver tv, o caminho que faço para ir para o bar deixa-me sempre triste. Era nessa altura que normalmente ligava ao H. e estávamos a conversa até chegar ao destino. Sinto falta disso.

A minha ex-cunhada (sim, o meu irmão separou-se dela entretanto) teve ontem no bar. Olhou para mim 20 segundos e disse-me logo que não estava bem. Olhei para ela e antes que pudesse dizer alguma coisa ela remata: “estás só!”. Com o balcão cheio de gente, lá inventei que o fumo me entrou para os olhos e por isso ter soltado lágrimas.

Doi-me o coração. Agarrado ainda a quase nula esperança que um dia em breve ele se aperceba que afinal me ama, e que voltará para mim, é o que me dá as poucas forças que me fazem andar. E isso sim, é apenas a minha imaginação.

Todos os dias lhe escrevo uns sms, que eventualmente apago e não envio. Não o quero aborrecer. Será que ele já me ultrapassou? Já me terá arrumado na memória? Eu não o consigo fazer.

 

Queen- Love of my life.

 

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 07.07.10 às 16:35link do post | adicionar aos favoritos

7 de Julho de 2010

 

Ontem mudei de quarto.

Embora dentro da mesma casa, um dos quartos é o maior, e como ficou vazio, mudei-me para lá. O quarto onde estava tinha demasiadas maneiras de me fazer lembrar do H.

Outra coisa que fiz também há dois dias foi voltar a criar um perfil no gaydar. Foi através de lá que conheci o amor da minha vida, quem sabe se não encontrarei lá uma nova distracção. Não me atrevo a dizer novo amor, porque isso não será possível. Pelo menos não tão depressa.

Ao criar o tal perfil, senti-me um pouco culpado. Não sei bem explicar porquê. Como se tivesse a trair o H. Não faz muito sentido, eu sei, mas é o que sinto.

Não significa que já o tenha ultrapassado. Mas preciso de algo para ocupar a mente, se não entro em loucura. Adormeço a pensar no H. acordo e olho logo para o tlm como se fosse possível lá estar umas sms dele como estiveram durante dois anos e 8 meses.....

Ontem no bar, o meu tlm tocou já passava da meia-noite. Era um número privado. Não tenho por hábito atender números anónimos, mas dada a hora, e pensado que poderia ser algo importante e grave, resolvi atender. Ninguém falou. Ouvia do outro lado alguém a respirar. Mas nada disseram. Apenas um respirar. Sei que o H. não faria uma coisa dessas, mas no meu coração era ele quem espera que o tivesse a fazer.

Passado uns minutos já dentro do bar, só tive tempo de correr para o w.c. antes de começar a chorar a pensar nele. Tudo por causa de uma música que passou.

Black dos Pearl Jam.

Em especial os últimos versos.

 

“I Know that someday you have a beautiful life,

I know you’ll be a star,

In somebody elses sky,

Why, why can’t it be mine?”

 

“Sei que um dia terás uma linda vida,

eu sei que serás uma estrela,

no céu de alguém,

porquê, porquê não pode ser o meu?”

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 05.07.10 às 17:13link do post | adicionar aos favoritos

5 de Julho de 2010

 

Este calor insuportável não me faz sentir ainda pior.

Não tenho conseguido tirar o H. da minha cabeça.... que estará fazendo, que pensará, como estará.....

Conforme  o tempo passa, vai ficando cada vez mais claro o que não ter o H. na minha vida significa. Basicamente não tenho nada.

Lá no bar andam a pressionar-me para finalmente marcar as férias... não sei o que fazer. Sem o H. que faço? Nada..... Vou ter férias e ficar enfiado neste quarto sem sequer ter maneira de ir uns dias à praia. Talvez vá as piscinas, mas sem companhia??!!

Sinto-me só. Estou só. E sem ninguém para poder desabafar!

As babes lá no bar perguntam e perguntam que tenho... que estou estranho, triste, sem vida nem animo. E a verdade é essa. Não sou o homem que era. Falta-me a alegria e o alento que só uma pessoa me trazia e agora levou com ele.

Ontem à noite passou esta música que deixo no final do post. Quase me desmanchei a chorar.....

Total eclipse from the heart.

 

".. once upon a time i was falling im love,now i'm just falling apart!
Nothing i can do, a total eclipse from the heart!"

 

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 01.07.10 às 16:13link do post | adicionar aos favoritos

1 de Julho de 2010


Fez ontem uma semana que oficialmente o H. acabou a relação.

Antes disso e durante quase 15 dias as coisas já não estavam nada bem. Não nos vimos, mal trocávamos sms, e até as poucas que eram enviadas eram num tom seco e sem qualquer tipo de assunto.

Não sei bem que estava a espera, mas numa semana nada mudou. Continuo dorido, sem sentido de direcção, sozinho e sem esperança.

Durmo mal, como mal, sempre com vontade de chorar, sem querer estar com companhia e nada me estimula. Nada!

Na minha cabeça entendo o que ele me disse, as razões para não continuar com esta relação. Os sentimentos dele em relação a mim mudaram. Já não me ama. Não sou mais que um amigo para ele.

Em mim nada mudou. Continuo a AMA-LO com todo o meu coração.

Talvez tudo isto fosse mais fácil se também sentisse o mesmo que ele. Não é o caso.

Fez ontem uma semana que perdi o meu amor. Um amor que sei que era o tal. O grande amor da minha vida.

Perdi o namorado, o amigo, o confidente, o conselheiro, o parceiro de viagens e aventuras.... o futuro. Tudo de uma só vez!

Sei bem que nunca o vou esquecer. Espero pelo tempo que o possa pelo menos ultrapassar e tentar novamente ser feliz.

Sei que a vida continua, mas esta que tinha com o H., que era a única que tinha já não existe. Como se começa uma nova vida????

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 24.06.10 às 15:45link do post | adicionar aos favoritos

 

A relação com o meu H. chegou ao fim.

Estou de rastos, perdido, completamente só e ainda loucamente apaixonado por ele.

E ainda não é hoje que consigo lidar e despejar a minha alma.

Como tantas outras vezes na minha vida, a musica exprime o que sinto....

 

 

I Will always love you!

 

R.


Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory
subscrever feeds