O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 31.08.07 às 15:10link do post | adicionar aos favoritos

 

            Já faz uns dias que não escrevo.

            Tenho andado sobremaneira vazio!

            Até o barulho das conversas no café me afligem. Não as suporto, ecoam dentro da minha cabeça.

            Nem punhetas tem havido....nao há tesão.

            Enquanto escrevia isto, fiquei pensativo.

            A bela da pívia, é uma das poucas coisas, em termos sexuais, que tenho em comum com a maior parte dos hetros. Pelo menos a parte física da questão. As fantasias que uso são outra historia!

            Todo o homen, bateu, bate ou baterá punhetas! Não há volta a dar.

No duche, cama, sofá, carro, praia, campo, com mais ou menos tempo, a seco ou com um pouco de creme lubrificante, com muito ou pouco leite, a ver porno ou simplesmente com a imaginação, todos sabem como faze-lo. Atrevo-me a pensar que será por puro instinto. Ninuem me ensinou a esgalhar uma. Aprendi tecnicas para o melhorar, mas na essencia, a punheta é uma coisa que se descobre sozinho!

            Ainda me lembro de algumas das minhas primeiras. 12 ou 13 anos, em que so uma gotinha de liquido branco saía. Recordo-me de pensar que um dia haveria de conseguir com que saisse em jactos grandes, da mesmo forma que faziam os homens dos vhs e revistas em cima das mulheres. Como aquelas que o meu pai tinha escondidos em cima do movel alto da tv e dentro de um saco na arrecadação.

            Foi por acaso que os descobri! Mas nunca mais os larguei! A primeira vez que via uma picha tesa, num homem adulto! Ainda que numa revista e com uma mulher a tocar-lhe, o meu coração acelerou, o sangue correu para o pau, e em dois ou tres movimentos vim-me!

            Fazia isto com uma regularidade louca. Sempre que estava sozinho em casa, lá ia eu ao tesouso que o meu pai pensava ter escondido muito bem!

            Até que p’raí aos 14 anos o meu pai, resolveu dar-me umas licções sobre educação sexual. Fê-lo da única forma que conseguia: - sem falar muito nisso.                      

Simplesmente entrou na casa de banho, e foi tomar banho comigo. Foi a maneira que encontrou para me mostrar as tranfomações que ocorrem de menino a adulto. Na altura eu já tinha uns quantos pintelhos, mas nada que igualasse a pintelheira do meu pai, que era um homem muito peludo! Quase no fim do banho, lá arranjou corragem para me dizer que o meu corpo tá a crescer e vai ficar mais parecido com o dele, e que podia falar com ele se tivesse alguma dúvida!

Pobre homem, mal ele sabe que naquela altura, já eu tinha, tocado, acariciado, batido, e mamado muito caralho!

Mas de qualquer foma, foi bom ter aberto uma via de comunicação.

Naquela noite houve leite, em honra do corpo e picha do meu pai.

Alguns dias mais tarde, numa conversa de taberna e comigo presente, perguntou a um amigo, se lhe emprestava um “filme”. Percebi claramente a entoação daquela palavra, mas fiz-me de burro. O amigo, que vivia ali perto, disse algo, saíu e passado um bocado voltou com uma cassette na mão, entregou-a ao meu pai!

No caminho de casa, o meu velho, disse-me que ia esconder aquela cassette em cima do movel da tv, e que eu poderia ve-la quando não tivesse ninguem em casa, porque já era grandinho para ver aquilo, mas sem nunca me dizer que era de que era o filme.

E assim durante meses, tomava banho comigo, nunca fez comentário algum sobre o facto de eu estar sempre teso quando entrava para a banheira com ele, e de tempos a tempos dizia-me que havia um filme novo, no sitio que eu sabia.

Via aqueles filmes mesmo com ele em casa a dormir, ou acordado no quarto a ver tv, e punhetava a torto e a direito, nunca fui apanhado. Com ele também não haveria problema..... mas também por mais que tentasse nunca o apanhei faze-lo, e eu sabia que ele o fazia, pois os filmes nunca estavam nas cenas em que eu os deixava!

Vio-o varias vezes de pau feito, quando estavamos em casa os dois sozinhos e ele se levantava da cama só de cuecas, de pau feito, e passava á porta da sala, a caminho da  casa de banho. O pau dele teso, até afastava o elástico da cueca do corpo, deixando ver um pouco da farta pintelheira.

Curiosamente nunca me falou do seu tesouro privado, que partilhava com ele, sem ele de nada suspeitar(?!).

Assim fiquei viciado em porno e em punhetas, até na escola, ia a casa de banho para me aliviar.

Dura até os dias de hoje. Mesmo quando tenho namorado, não paro de o fazer.

Muitos dias, até mais que uma vez. Umas vezes de uma forma rápida e selvagem, outras em que demoro o meu tempo a explorar todos as extremidades nervosas do meu zezinho.

Não é melhor que sexo, mas todos gostamos. Aqueles momentos verdadeiramente intimos em que a nossa mão nos presenteia com um orgasmo, não se conseguem ter com todos os parceiros.

Fazemos o que queremos, á velocidade que queremos, da forma que gostamos, durante o tempo que precisamos, e na nossa mente, com que gostamos!

R.

 

Cheguei agora do bar, onde não se passou nada. Meia duzia de gatos pingados que nem chegaram a aquecer o lugar. Deu-me tempo para teclar com o L. e para pensar.

Primeiro que tudo, decidi partilhar com ele partes deste texto.

 

 

Palavras-chave: , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:50link do post | adicionar aos favoritos

Ora cá está a bela da dor no esqueleto!

            Acho que vou tomar café para ver se arrebito.

****************************************************************

            Não resultou. Hoje nada me anima. Nem cafeína, nem nicotina, nem porno.

            Sinto-me vazio de qualquer raciocio lógico, ou coerente.

A alegria e esperança não moram mais aqui. Sinto-me depremidido demais, há tempo demais.

             Porque é que não temos um interruptor imbutido algures no corpo?? Um que me permiti-se ligar | desligar a mente.... talvez o orgasmo seja o mais parecido.....

            Estou de tal maneira, que me entretenho a olhar longamente para o cão que no meu monitor, anda a oferecer-me ajuda no word.

Que bom que era, podermos contar sempre com um sistema destes em tudo da nossa vida, e não apenas quando escrevemos sobre ela! Qualquer dúvida que se apresenta-se, pumba, F1 e lá se abria uma janela para que nos apresentava soluções e os passos para as executar.

            Por outro lado, muita gente que conheco, vive a vida, como se, de alguma forma, usa-se um template de um qualquer programa informático. Igual a milhares de outras, em que tudo já esta desenhado, organizado e formatado, e apenas se tem que preencher com os dados pessoais. Nada fugirá á norma.

Tudo o que se possa apresentar de diferente será considerado virus, e posto de quarentena, ao fim de um tempo, se provar que afinal não é de má indole, poderá ser assimilado, desde que formatado para o template que é a vida.

            Ando a precisar de um novo sistema operativo!

R.

            Até já tinha acabado a entrada do dia, mas acabei de chegar do bar, e venho a fervilhar com actividade cerebral.

            Sobre os fogos na Grécia. Uma mãe pega nos 4 filhos, metem-se no carro para fugir ao fogo que estava a queimar toda a vila onde viviam, fazem-se a estrada e são apanhados pelas chamas e morrem carbonizados. Ironia do destino.... a única casa que o fogo poupou foi a deles! Uma tragédia. (grega!)

            Enquanto trabalhava, recebi um mms do alter ego do J. apaixonado crónico.

            Tinha apenas uma foto de um torso de um gajo peludo.

            Azares, dos azares dele. Além de já ter recebido aquela foto de outro gajo, eu tinha também já curtido com ele! Fez-me um dos melhores broches da minha vida, logo sabia que me estava a mentir, e disse-lhe mesmo isso! Claro que  negou, teimando patéticamente que era ele. Desafiei-o então a mandar-me uma outra, para o provar o que ele dizia era verdade.......ainda aguardo!

            Aquele homem não tem emenda? Quando é que ele perdeu a noção da realidade?

Já lhe disse para procurar ajuda profissional. As atitudes dele assustam-me cada vez mais. É de facto uma pessoa desorientada. Maldita hora em que mandei aquela quequa de misericordia!

             Por outro lado, meteu-me a pensar.

            - Que nessecidade tem os gays em receber uma foto, quando andam ao engate nos chats?

            Para saberem com quem estão a teclar? Para ver se agrada, ou se mentiram na descrição que deram deles próprios? Uma questão de segurança?

            Nenhuma desta perguntas se respondem com uma foto!

 Posso perfeitamente enviar uma foto que não é minha; e posso ser engando por uma foto que não corrosponde à pessoa a quem tou a bater o couro.

Com as pessoas com quem já tive, nunca me aconteceu, mas não duvido que já tenha sido o caso com algumas com quem nunca passei do sms para a cama!

            Nem quero pensar nas voltas que as fotos que enviamos dão. Enviadas, recebidas e reenviadas de novo!

            Uma das razões que vejo para tanta insistencia no enviar fotos, é a curiosidade! Para ver se conhecemos, antes que ele nos reconheça a nós. Na esperança de receber-mos a foto daquele que desconfiamos, mas não temos a certeza de serem do sindicato!

             A mim, não me afecta muito, já me assumi há muito tempo, mas para quem está no armário deve ser complicado. Dos casados então nem falo.

             Outra das razões será o voyerismo; que sejam muito felizes a fantasiar e a bater punhetas com a minha foto!

            Deverá haver também aqueles que as tentam usar para chatagem.

            Que gozo terão os gajos a quem envio foto e não me enviam a deles? Ficarão de alguma forma mais felizes e contentes, a vida deles mais preenchida por receberam e não enviarem? Ou é resultado de uma alguma frustração mal explicada por Freud?

            Fico danado quando a primeira coisa que me pedem é uma foto! Normalmente nem resposta levam.

            Que dirá, o facto de enviar uma foto falsa, sobre a pessoa que a envia?

            Falta de carácter, no mínimo!

O porque de quererem enganar o outro? Não estão confortaveis com o próprio corpo?  O porque de gastar dinheiro a enviar um mms, com uma foto falsa?

A pessoa que o faz, não tem qualquer interrese num encontro, porque sabe que será logo desmascarado.

Um pouco como na comedia d’el art, colocam uma máscara, uma foto falsa, e durante aquele tempo improvisam na pele daquela personagem, o que não tem coragem ou hipotese de viver ou dizer na sua própria pele.

Ou mais uma vez o aspecto físico é sobrevalorizado, ao ponto de se ter que mentir sobre o verdadeiro aspecto que temos?

Continuarei a enviar a minha verdadeira foto a quem achar que mereçe.

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:50link do post | adicionar aos favoritos

A cidade hoje está como eu! Vazia.

Ruas e travessas quase sem ninguem.

Sombras bizarras que se projectam e alongam no meio de clareiras de luz que ainda teimam em trazer algo de luminoso a uma existencia de outra forma taciturna!

Os poucos casais, que se passeiam na rua, e o jogo de luz e sombra, puseram-me a pensar, não na minha solidão, ou falta de companhia, ou de amor, mas na fidelidade.

Há umas semanas atrás, tive uma quequa a 3. Curiosamente com o mesmo casal com quem há uns anos tive a minha primera esperiência nesta variedade de paus e orificios!

O P. e o C. ambos quarentões, mas de boa pinta e corpo. Grande sessão de foda!

Só o C. é passivo, levou com o meu zezinho durante uns bons 20 minutos, e depois com o do companheiro dele, o P., que tem um pau ainda maior que o meu! Saí do apartamento deles com com as pernas a tremer de tanto esforço que fiz. Até foi bom.... Devo ter servido para apimentar a relação deles. Para apaziguar a rotina. Ok, sem problemas, também com o V. fizemos isso meia dúzia de vezes.

Não considero isso infedilidade. Estavam ambos presentes, ambos a curtir comigo, nada fizeram as escondidas um do outro, nem se envolveram emocionalmente comigo! Até aqui tudo normal....

Passado uns dias, recebo uma sms do P. a dizer que gostou, e que quer estar novamente comigo, mas a sós!!!!!! E a pedir para nada dizer ao C. Resolvi não responder.

Agora, a surpresa foi quando há uns dias recebi uma sms do C. abriu logo por dizer que o P. não sabe que ele tem o meu contacto, e que tá cheio de tesão só de pensar que quer também estar comigo a sós! Desnecessário será dizer que também me pediu para nada dizer ao compaheiro! Que merda é esta????

Onde está a fidelidade neste casal?

São companheiros há bastantes anos, vivem juntos, para todos os efeitos são como casados, e tentam encornar-se um ao outro, e,  para toque de ironia, com o mesmo gajo- eu!!!! Que tipo de estrago podia eu fazer ao denuncia-los um ao outro?

Mas, mais serio que isso:

- Que tipo de fideldade se pode ter no mundo gay?

A bem da verdade , também nunca fui sempre fiel.

Durante algumas semanas, enquanto me deslumbrava com a minha primeira paixão, o V., não procurei mais ninguem! Vivia para aquele homen, não tinha necessidade de mais nenhum.

Até me aperceber que o V. não agia assim. Que mijava fora do penico! Rapidamente entendi que sempre o fez e sempre o iria fazer. Não havia volta a dar! Nesse dia, fui para uma área de serviço e vinguei-me! Mais que uma vez! Se ele fodia outros, então eu também podia! Ele não merecia a minha fidelidade!

Alguns dias depois, sem o querer ver, e umas tantas quequas de pura vingança e raiva, lá fui ter com ele. Lembro-me de ir de coração partido! Aquele homem que eu amava, nunca iria ser só meu!

A tensão podia-se cortar á faca. Mas lá nos sentamos a conversar.

A única fidelidade que tinhamos para dar um ao outro, seria o espaço no coração.

Sabiamos perfeitamente, que ambos iriamos foder com outros! Não valia a pena continuar na ilusão! Amavamos-nos, mas sexo é sexo! Encontros casuais e incosequentes, faziam parte do nosso dia a dia. Apenas duas regras nos imposemos:

Usar sempre camisinha com outros e não nos envolvermos emocionalmente com mais ninguem! Coisas que de facto respeitámos! E assim conseguimos levar a nossa relação adiante!

Eu sabia que ele fodia outros e vice-versa; mas também sabia que ele me amava, e só a mim! E eu amava-o! E nisso sempre fomos fieis. De tal forma estavamos seguros disto, que até sessões a três tivemos. Partilhamos o mesmo homem na nossa cama, sem ciúmes um do outro.

Sou levado a pensar que a fidelidade total no meio gay, é pura utopia!

            Podemos ter uma relação estável, um amor infidável e verdadeiro, mas apresenta-se a oportunidade e lá vamos nós! Saltamos a cerca e nem olhamos para trás!

Algumas vezes ainda tentamos racionalizar para nós mesmos o que aconteceu, outras a culpa fica afogada, ali mesmo no leite que de nós saíu!

            A parte física toma conta de nós! Sobrepõem-se a quase tudo. Por vivermos como que obsecados pelo caralho, pelo nosso ou pelo dos outros, e o jogo do engate ser relativamente facil, (muitas das vezes nem falar é preciso para foder, basta ir ao sitio certo! WCs e pontos de engate não faltam neste país!), estamos sempre a procura da proxima vez em que nos podemos vir, e dar uso ao zezinho!

            Acredito sinceramente, que só podemos ser fieis no coração. Só lá pode estar uma pessoa de cada vez!

            Como as ruas desta cidade, temos um lado luminoso e ensolarado que partilhamos com quem mais gostamos, aquele lado que usamos para aquecer o coração de alguem; mas há sempre uma viela ensombreada, escura, que percoremos sozinhos ao engate, que por estar na sombra, podemos estar descansados, o nosso mais que tudo não  sabe que lá estamos; o pior é que corremos o risco de também lá o encontrar!

            O escuro tem esse encanto! O de não saber o que se vai encontrar. Como meninos pequenos a olhar para um embrulho, a espectativa do que será, acaba sempre por nos levar a entrar no jogo do flirt. E a caça arranca! A fidelidade fica em suspenso,  até nos encontrar-mos de novo nos braços da pessoa que amamos.

            O ser humano não é por natureza monogâmico! Está nos escrito nos genes. Com quantos mais parceiros copularmos, mais hipoteses há de a nossa massa genética  continuar viva. Se isto é verdadeiro para hetros, também o é para gays.

Assim é melhor assumirmos como facto, que o homem que eu poderei vir a amar, vai foder com outros ocasionalmente, eu farei o mesmo, mas no meu coraçáo so há espaço para um, e eu exijo o mesmo!

             Esta é a minha opinião do que significa ser fiel.

R.

 

            3 da manha......

Insónias.

            Não consigo dormir.

            Não sei se é do calor, se simplesmente a minha mente não quer parar.

            A tv já não me entretem, nem me aborrece o suficiente para causar sono. Pensei que no final da quequa que mandei há umas horas ia conseguir dormir que nem uma pedra, mas enganei-me. Tou agora cansado do exercício e sem sono.

Da foda não há muito que registrar, apenas que foi bom, e o gajo saiu daqui tão depressa como entrou, sem aquelas cenas do costume, deixando-me num belo post orgasmic. Desta vez, nem me importei nada de ficar sozinho.

            (Foda-se! Tive que ir abrir a janela, e puxar a curtina; provavelmente vou ser comido vivo por melgas, mas não aguentava mais! Pareco uma mulher em menopausa, com afrontamentos!)

            O L. Decidiu declarar o seu amor eterno por mim através de sms. Mensangens em forma de poemas, encharcadas de romantismo, que se não fosse sincero, roçava o pindérico. (que é feito das tradicionais cartas de amor?)  Não fiquei propriamente impressionado com a prosa lírica do moço, mas também não lhe tenho que dizer isso! Há certas ocasiões em que ser um pouco dissimulado e até dizer uma mentirinha é o melhor que se pode fazer.....ahhhh, o sinísmo!

O pior deste tudo é que não sei que fazer, sinceramente não o amo, pelo menos agora... Nem sei porque lhe dei esta esperança, a solidão em mim, fez-me procurar companhia, e agora alguem vai sair magoado. Não era nada disto que procurei ou queria.

            Mais uma merda para me preocupar. Já eram poucas!

            Tenho a mente cansada, os olhos a arder, e não paro de bocejar, vou-me deitar agora, mas sei que apenas vou ficar a rebolar na cama, sem dormir. Com um bocado de sorte até já esta a passar as televendas- o melhor remédio para as insónias!

R.

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:49link do post | adicionar aos favoritos

Ontem a noite estive em brasa a passar música. Sets impecáveis! Todo o pessoal a curtir. Até os parabens me deram. Diverti-me a farta! Agora a pergunta é:

- Terá sido por me ter vindo?...... nem vou tentar responder-me!

            No entanto hoje acordei cheio de dores nos ossos! Nem é grande novidade, dado a persistencia das dores nas últimas 2 semanas. Dormi mal, adormeci já passava das 5, acordei n vezes, ou por causa da trovoada que rebombava pelos ceus desta cidade, ou para ir mijar, (tanta cola tinha que dar nisto),  acordei perto da uma, e ainda por cima, nem os simpsons deram na tv. Começou mal o dia!

Lá me arrastei para fora da cama, e fui directo para tomar o meu café, na pastelaria do costume, e não é que o meu dia melhorou logo? Não pela fantastica e muito necessitada cafeína que entrou no meu sistema, mas sim por causa do N. Rapaz novo, nem sequer um exemplo de beleza, mas muito agradável á vista, e com ar de lavadinho. Pequenito e magrito....desconfio que peludo também! Um rabinho redondinho e apertadinho que só dá vontande de chorar pela perfeição que é. Ainda não consegui topar o volume da arca do tesouro, mas o que vier, será um extra.

 O melhor disto tudo é que no jogo de flirt que lhe faço, ele corresponde! O meu gaydar neste caso não me dá certezas, mas que há algo do sindicato ali, há! Não consigo por bem o dedo na ferida, é um algo intagível, subtil, mas que defenitivamente está lá!

Ainda hoje, por exemplo, fiz questão de o “ignorar”, e não é que o N. me veio cumprimentar, aperto de mão e um belo apertão no braço! Todo eu estremeci. Já não sei que pensar,  já me apanhei a fantasiar com ele.....

Este jogo de gato e rato, a caça, o jogo de olhares que se cruzam ás escondidas e apenas para nós fazem sentido, fazem-me vibrar! Curto! Nunca o possuirei, mas que me dá um gozo terrivel, dá! Um dia destes, ainda me faço mais ao nino! Que é que tenho a perder?

Porque é que os homens que não posso ter, mexem tanto comigo?

Aqueles dos quais não temos a certeza se são ou não do sindicato, mas as trocas de olhares intensos, e a maneira que de uma forma ou outra arranjam maneira de falar comigo, ou até de me tocar, e o gaydar que apita dentro da minha cabeça, tudo a indicar que querem a fruta, e nada...... a única coisa que posso fazer é manter o flirt! Deveria ter coragem para mais, não era? Mas não....ficamos naquele impasse...nem eu nem eles avançamos! O medo da exposição sobrepoem-se á dúvida, e impõe-se ao desejo!

             A velha história do fruto proibído, ser sempre o mais desejado!

Sempre achei que este ditado não esta completo. Em primeiro lugar: porque é que o fruto é proibido?  A única barreira que não se pode ultrupassar será a falta de interresse por parte do “fruto”.....  pronto já estou a divagar!

            Ando mesmo a precisar de companhia! Ou uma bela foda!

            Para já fico com a fantasia.....

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:49link do post | adicionar aos favoritos

Estava aqui a pensar que porque é que esta data me dizia algo....

acho que é  o aniversário de casamento dos meus pais, se não estivessem divorciados.

            Mas adiante.... acabei de os despejar!

            Um tal de F. 24 aninhos, uns tiques a puxar para o afeminado, mas toleráveis.

Não foi bom nem mau! Foi o possível! Para variar não aguentou a penetração, teve que ser á força de mãos, mas vim-me! E isso fez valer tudo!

Durante aqueles segundos tudo pára! Acho que é o momento mais egoista que temos; só existimos nós no mundo e aquele prazer do qual queremos sentir a totalidade, sem falar,  nem beijos, nem carinhos! Aquele parar de respirar antes, em que tudo fica suspenso, e a explosão, em que até as golfadas parecem sair em câmara lenta, e demoram eternidades ate cairem na barriga ou cara do parceiro, e todo o corpo extemeçe numa onda de puro extase emanada do membro, agora molhado e a pingar......

Mas lá temos que abrir os olhos, e encarar a pessoa que está ali também, e lá vem o beijinho da praxe, e o sorriso mais ou menos forçado. Ora isto é das coisas piores para mim! Preferia ficar calado, deitado, a chafurdar no meu proprio leite, durante aqueles minutos após! Aqueles minutos, em que não há mais nada, ninguem mais importa, só eu, o meu zezinho, e a calmaria que tudo faz esquecer.

Mas não!

 La vem aquela rotina, do:- é melhor limpar antes que chegue ao lençol!...., ou pior ainda:- gostas-te? Foda-se!, tanto trabalho e esforço para chegar ao prazer, para me tirarem desse bliss, e me puxarem de novo a este mundo de merda?

Depois lá vem o limpa, limpa, a dança dos cleenex, apanhar os lixos e procurar a roupa!

E depois, a parte mais dificil de enfrentar e resolver! Aqui tou eu, ainda a meio do post orgasmic chill, a pensar que um cigarrito agora é que ia saber bem, e lá tenho que me esforçar para fazer alguma conversa de ocasião, um gajo tem que dizer alguma coisa, senão caí mal..... mas o que? Acho que: - tava mesmo a precisar de os despejar, agora põe-te na alheta, que quero curtir o meu cigarrito!.... Não seria apropriado!

Então lá sai umas frases de chácha....ou sobre os boxers que são giros, ou sobre o calor ou o frio, ou se a situação no iraque irá melhorar?!?!

 Acho que não importa o que se diga, soará sempre a falso!

 Fico sempre com a sensação que demora mais tempo a vestir a roupa e vê-lo porta fora, que a canção do bandido para o levar nú para a cama....

            Isto aplica-se a quase todos os engates de ocasião!

Mas como tudo há exepções, já tive uma ou duas!

Lembro-me em particular do meu sonho de noite de natal! O D. Que homen aquele! No final de deitarmos leite que nem uns doidos, pôs a cabeça no meu peito e adormecemos os dois, ainda encharcados em fluídos resultantes de tantas manobras! Nem conversas, nem carinhos naquele momento! Cada um a gozar o seu momento, cada um no seu mundo de descargas hormonais, e juntos no silencio! Foi perfeito!

 Até porque no final de acordar a conversa voltou a fluir normalmente! E nada pareceu estranho ou forçado!

R.

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:48link do post | adicionar aos favoritos

Fui para a cama ontem a pensar no amor.

Já nem penso nos gajos que fodi. Já lhe perdi a a conta! De muitos nem o nome soube, da maior parte nem a cara me lembro, engates em qualquer área de repouso, ou wc público, uns pura desilusão, outros agradáveis surpresas, mas acima de tudo sempre a mesma atitude: - Vir-me e acabar com a questão!

            Pergunto-me se já amei?

Acho que sim. O V.! Durante uns meses amei-o! Sinceramente! Mas a emoção que se tem quando se tenta engatar foi mais forte, para mim e para ele. Ainda fico admirado como durou quase 3 anos. Nem percebo muito bem como! Dava-mos grandes fodas, mas acho que havia mais que isso. Tinha que haver, mas nem sei bem o que lhe chamar......

Amor? paixão? Tesao? Companhia? Hábito? Rotina? Talvez todas, ou no fundo nenhuma no seu total significado.

            Agora o caso é diferente, e foi isto que me fez pensar. 5 gajos a declaram-se a mim e eu acho que não sou capaz de me entregar a nenhum.

Tenho o A., 40 anos, se não me mentiu; bom homem, responsável, e que não duvide que me ame, mas possessivo e ciumento como tudo, além disso só activo. Até viver-mos juntos e pagar para termos sexo já me propôs. Mas que temos em comum? Nada!

O JR, apaixonado crónico; acabei com ele o que, com muito esforço se pode considerar uma relação, que começou por ser uma quequa de misericórdia, no principio de dezembro do ano passado. Na~durou mais que 5 meses. Não dava mais! 40 anos, casado,um filho, gordo, travestti nas horas vagas, e com tiques de bixa! Tem um coração de ouro e os amigos dele abusam constantemente dessa grandeza, mas por ter aquele coração grande, tambem me tirava o ar, oprimia-me, sugava-me a energia e toda a paciência. Gosto de ter o meu espaço e a minha liberdade, com ele não dava. Tinhamos muito em comum, conversas que nunca mais acabavam, gostos particulares sobre coisas que nunca pensei encontrar num outro homem.

Ajudou-me muito, não o escondo, e ele fazia-o porque acreditava que eu era o seu princepe encantado; tive que acabar. Podia ter continuado a estar com ele, mas sabia que rapidamente o começaria a chular, seria tão facil! Não sou assim. Nunca quis nada de ninguem!

O pior é que ele ainda insiste, ainda me manda sms, ou mms. Ou cria alter egos e manda msg de outros números, os quais ele me deu enquanto andavamos, a pensar que eu não sei quem ele é! Ficou doentio! As vezes assusta-me o facto de ele ainda gostar de mim assim .

Depois o *, nem me lembro o nome dele, nunca fui bom com nomes, este é recente! 28 anos, muito bom ar, corpo lindo e e peludo como eu gosto, boa quequa, e que diz que quer ser o homem da minha vida! Até tenho um fraquinho por ele, mas nunca vai dar. Casado, pai de pelo menos um filho, já não o vejo há mais de uma semana. Homem de msg telegráficas, e muito pouco me diz acerca dele. Como é que este pão, quer ser o meu homem? Não tem tempo para estar cmg, e nunca se assumirá para isso. Já não tenho idade nem paciencia para ainda estar no armário! Serei mais uma vez o “outro”, com que ele satisfará a sua homosexualidade!

Como o P, meu gnr lindo, de corpo peludo fantastico, casado 2 filhos, muito macho, e totalmente passivo, mas que que nunca consegue levar com ele na totalidade, só da ultima vez é que consegui enfia-lo todo, e quando o começei a comer veio-se logo!; ou o J. meu bear. Peludo e barrigudo; como pessoa é fantastico, casado tambem, e 2 filhos! Mas activo, gosta é de levar com o leite na boca, coisa que não me importo nada. Há tambem o J. Segurança, com as suas fantasias maradas, já me fez come-lo no meio da rua á noite, e quer que lhe arranje roupa de gaja para ele vestir para o comer. Também casado, gordo, nem sei se tem filhos, tem é uma cara linda! Não mama nem beija, é só mesmo para o cu, embora se queixe que tenho o pau muito grande!

(Foda-se! Ao ler isto, sou mesmo uma puta! Sou aquele que sou usado. A quem vem, para lhes dar o que não tem em casa! Afinal sou o outro!)

            Na parte dos possiveis solteiros, há o L.22, ou 23 anos, a viver com os pais e a estudar aqui. Peludo, activo e a dizer que por mim será versatil, se eu tambem o for.

É um daqueles amores por msg, todos os dias um milhão delas! Já diz que me ama, como é que possivel? Fodemos umas 2 ou 3 vezes, e até foi bom! Mas amor? É um daqueles amores de teenagers, quase de certeza que acabará casado, e com um qualquer homem para ter sexo a parte! Como tantos outros que eu conheco.

 E depois o J. 19 aninhos, o meu bebe! Rapaz mais complicado- ainda não percebeu que é gay! Instável e com uma carência por afecto e atenção que me desorienta e me tira a paciência. Por vezes não tenho paxora! Mesmo que ele queira, faz-me quase suplicar para estar com ele, quando por fim perco a paciencia e ameaço desisto, então ele pára de se fazer dificil e lá acede. Tem um corpinho fantastico, uma pele impossivel de descrever, um toque suave e quase angelical, adoro senti-lo num abraco; beija que é uma perdição! Mas não sei se tenho a paciencia e a atenção que ele exige! Podia-mos estar juntos muitas vezes, mas ele não quer, ou então sou eu que não percebo. Afinal até foi ele que se declarou, entre linhas, mas foi ele!

No meio de todos estes homens, mais aqueles que vou engantando, ou nos chats ou por aí, em que ainda nos estamos a vir, e já andamos a procura de papel para limpar e sair daquela situação, ou daqueles que querem e daqui não levem nada, acabo por ficar só!

Sempre a solidão! O vazio emocional, de quem usou  e foi usado!

            Será que não consigo amar? Ou ainda está para acontecer? Aquele momento em que conhecerei o homem da minha vida? Será que tem que haver um? Haverá alguma lei cosmica que diga que todos nos apaixonaremos e seremos felizes para sempre?

Que necessidade há em andarmos sempre a procura e tentar encontrar uma cara metade?

Que coisa inerente e enraizada é esta, que nos faz sofrer com a solidão só por não ter alguem ao nosso lado? Nasceremos assim, ou somos condicionados a tal?

Que merda de cabeça a minha!

R.

Palavras-chave:

O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:48link do post | adicionar aos favoritos

Há coisas fodidas; a minha vida é uma delas!

            P’ra aqui tou eu, só, no escuro a ouvir fado e com um cigarro por companhia!

Patético! Quem me dera que tudo fosse diferente! Comecar de novo! Acabar com esta existencia de merda. Quem notaria? Talvez a tabaqueira....sempre era um maço a menos por dia que vendiam. E coragem para isso?????? P’ra akabar com isto de uma só vez! Para que continuar? Não me vou casar, nem ter filhos...... será que ainda vale a pena?

Que posso esperar na vida? Umas quequas de vez enquando, umas punhetas outras tantas vezes.....mas de todas elas..... um vazio após!

Ser gay tem destas merdas! Usar ou ser usado! Nunca a companhia!

Ando mesma na merda. Sem vontade de nada! Sem energia para reagir, que puta de sina!

Porque é que não sou normal? Como qualquer outro cabrão que aí ande! Doi-me o corpo, e a alma está vazia. Como estou abandonado! Nem deus, se existir, saberá o que vai aqui no 2C. Já me abandonou há muito tempo. Não lhe mereço vontades, nem designios! Gostava de o poder seguir,de acreditar, mas como? Fez-me gay! Não o escolhi. Foi assim que me criou, e depois deu-me a descobrir que é contra! Que não o posso ser, para viver segundo sua vontade! Então foda-se!!!!! Que posso fazer? Deu-me um grande dote, perceber dele, entender e sentir religião, e não me dá  a hipotese de ser normal, de o seguir.

Que merda, de todos os handicaps, tinha que ser este???? GAY!!!!

Que tristeza imensa no meu coração, alma e olhos! Quando é que isto acaba? Só queria ter a coragem para por um fim; mas nem tenho com o que! Só a vontade não chega, senão já não estava cá há muito tempo!

Se caisse aqui, agora redondo, no chão. Quanto tempo estaria aqui, antes de me encontrarem? Antes que cheiro empesta-se toda a travessa? Duvido que fosse antes!

É o que dá ser um ninguem, um palhaço!

R.

O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:46link do post | adicionar aos favoritos
                O meu nome é Ray,e sou gay.
                Criei este blog, porque já é altura de tentar deixar uma pegada minha na net.
Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida!
É um blog para maiores de 18 anos.
Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre o que é a vida e os pensamentos de um homem gay e não tem coragem, ou ninguem a quem perguntar.
            É apenas uma especie de copy-paste do diário que mantenho no meu pc, e não tenho grandes pretenções literárias, aliás os erros ortográficos, de sintaxe e de pontuação serão constantes, portanto nem vale a pena me foderem a cabeça com isso.
Todos os comentários serão bem vindos, sejam a dizer bem ou mal, e de gays ou hetros.
R.
Palavras-chave: ,

Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
29
30


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory
subscrever feeds