O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 14.07.10 às 17:11link do post | adicionar aos favoritos

14 de Julho de 2010

 

Ainda meio abananado por tudo o que senti no domingo, na segunda-feira tive uma grande notícia e uma bela surpresa.

As custas do patrão estar de féria, tenho andando a trabalhar também nos meus dias de folga. Já passava da meia-noite quando o M. um dos antigos donos do bar entra porta a dentro.

Começamos a conversar, e já no final de duas mínis, a conversa começou a entrar num campo um pouco estranho.

Começou por falar que ele e a B. (a namorada) andavam preocupados comigo, que sabiam que algo se andava a passar, tudo isto apenas como somos amigos no facebook, tem andando a seguir o “estado” e as músicas que tenho publicadas por lá.

Confirmei que sim. Que não andava bem. Que tinha o coração partido. Ele começou a procurar palavras.... a gaguejar.... e eu a ver onde a conversa ia parar.

Sem mais rodeios, ele disse-me que sabia da minha verdadeira orientação sexual. E  mais, que não só ele e a namorada, mas todos o do grupo de amigos. E que não fazia qualquer diferença.

Fiquei desarmado. Embora nunca tenha escondido lá no bar, também nunca o assumi directamente. Foi bom sentir a amizade e o apoio dele.

Embora o bar fechasse ás 2 da manha, ficamos lá a conversar até as 4h.

Estava a precisar de desabafar. De falar. E para surpresa minha foi com quem menos esperava. Mas acho que assim é que se vêem os verdadeiros amigos.

Agora resta-me averiguar umas coisas. Como os meus actuais patrões e as babes fazem parte do tal grupo de amigos a que ele se referia, será que também já sabem? Sempre souberam? E se sim, porque nunca me disseram nada?

Mas pelo menos senti-me mais leve na segunda-feira.

E agora o H. já poderá saber algo que sempre tinha curiosidade. Por que razão quando ele estava no bar, o grupo o cumprimentava tão efusivamente. Faziam-no porque sabiam que ele era o meu namorado e queriam-no fazer sentir também parte do grupo.

Agora que já não tenho relação com ele, é que fico a saber uma coisa destas.

Enfim.... mais uma coisa que fico a perder!

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 22.04.09 às 20:47link do post | adicionar aos favoritos

20 de Abril de 2009

 

Já há um tempo que isto anda a acontecer. O H. até já tinha feito menção disso no seu blogue, mas eu esperei mais um tempo para dize-lo, mas hoje foi confirmado e de que maneira!

Embora se calhar já havia começado há mais tempo, só na semana em que o meu nino esteve aqui de férias é que me apercebi. Um dos gajos que é dono da pasteleria que custumo frequentar andava a olhar para nós de uma maneira que nada engana. Como lhe retribuia-mos os olhares, ele começou a ficar mais ousado. Olhava quase a descarada, piscava o olho a mim ou ao H. e sempre que nos dava o troco da despesa fazia umas festas na palma da mão. Eu e o H. achamos engraçado.

Eles são dois donos. Em termos físicos quer ele quer o outro tem muito bom ar. Ambos na casa dos quarentas. Este que faz o flirt é do agrado do meu nino. Eu pessoalmente gosto mais de ver o outro. Mas gostos não se discutem.

Hoje levei o pc para o café, como tenho andado a escrever alguns contos para o projecto “partilhate” e como já ando em fase de revisão poderia-o fazer no café. Sentei-me numa mesa bastante iluminada de modo a poder apanhar sol na moleirinha. Na mesa ao lado sentou-se o tal dono. Também ele ao pc. Estava eu entretido numa das história quando ouço o música do meu post anterior. Levantei os olhos do ecran.  No pc do J. (o tal dono do café) estava a passar o video. Ele percebeu o meu olhar e aproveitou e meteu conversa.

Começamos evidentemente por falar daquela senhora, mas rápidamente nos metemos numa amena cavaqueira. Fiquei surpreendido. Pensava que a conversa ia resvalar para o flirt descarado, mas enganei-me. Falou dele, da vida dele, de projectos em que está envolvido, e já nem me lembro muito bem como a conversa foi parar ao estado civil. Já tinha sido casado, e que já conhecia o J (o outro dono do café) há muitos anos, e que nunca havia suspeitado, mas a vida é assim.... e que já havia se importado mas agora passava-lhe ao lado o que as pessoas diziam dele, e da sua orientação sexual etc e tal.....por outras palavras acabava-se de se assumir, a ele e ao companheiro, e claro que também não dei parte fraca, falei de mim e do H. como companheiros e namorados que somos.

Gostei da conversa. Especialmente por não ter tido qualquer tipo de tensão sexual. Apenas conversa simples e sincera. Sem jogos de palvras. A conversa normal de duas pessoas que se acabaram de conhecer, e que coincidentemente tem um “segredo” em comum. Agora já conheco mais um casal gay aqui na cidade, e acho que isso é uma coisa muito positiva.

R.

 

Palavras-chave: , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 02.04.09 às 20:34link do post | adicionar aos favoritos

     1 de Abril de 2009

 

      A S. tinha que ir para os lados de Lx em trabalho e convidou-me para ir também. Não tanto para passear mas para ir ver se na Makro haveria razões e para começar-mos a ir lá às compras.

      Depois de fazermos parte da tarefa que a levava lá de manha, fomos almoçar ao Colombo.

      Da última vez que lá fui tinha começado as obras para renovar o espaço. E hoje já estava tudo feito. Gostei muito. Ficou muito melhor. E a criação de espaços para fumadores foi do meu agrado!

      Claro que estando lá elas não resitiram e ainda foram as compras. E comigo de atrelado. O que vale é que não podiam lá estar muito tempo. O trabalho chamava!

      A 2ª parte da tarefa dela levou-nos até Cascais. Mas foi tudo mesmo rápido e pouco tempo depois já estavamos na Makro a tomar nota de preços e bebidas que tinham. Ainda lá andamos mais de 2h.

      Quando caminhavamos para o carro, pensava que vinhamos directos para casa. Mas estava bem enganado. Elas não resistiram e como ainda faltava tempo para ter que ir abrir o bar, fomos para o Vasco da Gama! Tanto consumismo no mesmo dia!

      Estavamos nós na segunda circular, quando a S. que ía a conduzir se vira para trás e dispara a seguinte questão:

      “Voces os dois gostam de ir á praia?”

      Como percebi logo onde ela estava a chegar, e para não ser tão obvio, respondi que estava sozinho no banco de trás!

      “Isso eu sei. Estou a falar de ti e do H. Se gostam de praia?” foi a resposta dela.

      Depois de lhe responder, fiquei pensativo. Ela fez a questão de maneira que me pareceu que estava a tratar-me a mim e ao H. como casal.... cada vez tenho uma desconfiança maior que ela(s) já sabem.

      Ao contrário do Colombo, este shopping era só gajos bons por todo o lado. Era com cada um..... infelizmente não podia olhar para lavar as vistas. Tinha medo que elas podessem topar alguma coisa. Tinha que me contentar com os que estavam directamente a minha frente!

      Depois de isto tudo voamos para a cidade de origem. Chegamos 5m antes de ter que abrir a porta do bar. Mas ainda assim consegui. Com a ajuda delas claro!

      Foi complicado a noite. Estava cansado, muído e com muito, muito sono. Para ir para lx dormi menos de 3h. Foi duro!

            R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 11.02.09 às 16:34link do post | adicionar aos favoritos

11 de Fevereiro de 2009

 

Há alturas assim.

Nada de mais se passa na minha vida. Apenas os dias que se correm nada nada de novo, ou digno de menção.

Tenho andado entretido e perdido em pensamentos tolos, mas que a nenhum lado me levam.

Gostava de conseguir controlar melhor os pensamentos e inseguranças, mas estes fogem mesmo do meu dominio!

Só vi o meu nino no sábado e na segunda. Sabe sempre a pouco.

Fiquei muito feliz pelo que lhe aconteçeu na segunda-feira.... foi um passo inesperado mas muito positivo.

Conhecendo o meu H. consigo imagina-lo a tremer quando o primo lhe perguntou: “aquele era o teu companheiro?”

A mim nunca me aconteceu algo assim. Agora que estou num ponto da minha vida em que se me perguntarem estou pronto para assumir-me a quem seja, nunca me perguntaram. Sempre fui eu a iniciar a conversa e dizer o que sou.

Mas como o meu nino não é igual a mim, acho que foi a maneira mais facil para ele.... vamos ver que mais novidades virão com este assunto.

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 17.01.09 às 17:13link do post | adicionar aos favoritos

             17 de Janeiro de 2009 

 

            Na quinta-feira aconteceu algo que me esqueci de escrever.

            Depois de jantar no bar, e com o pc aberto nos blogs, fui abrir a porta do bar para começar mais uma noite. Assim que dou à maçaneta, apareçe o J. Fiquei todo atrapalhado. Sabia que o que estava no ecran era a minha pagina principal do blog e na outra janela estava o meu blog porno aberto.

            Começei a empata-lo, para tentar chegar ao pé do pc antes dele, e tentar fechar as janelas. Acho que consegui. Se bem que já ele tinha passado por trás de mim quando fechei as janelas. Não sei se viu o que estava aberto, mas de certesa que percebeu que estava numa pagina que eu não queria que ele visse. Enquanto ele estava a tirar o café aproveitei para limpar o histórico e verificar que não havia nada gay aberto em lado nenhum no pc. Pareçeu-me estar livre desta. Mas esqueci-me de um pequeno promenor.            E só me lembrei quando o J. perguntou se podia ir ver o mail dele. Assim que teclei gmail, apareçe-me a minha conta com o nome “esgalha para ai” que é do outro blog. Fiz o log out o mais depressa que consegui, mas ainda assim, como ele estava sentado mesmo ao meu lado, acho que viu. Embora não houvessa nada de mais na cx de entrada, o nome da conta pelo menos deve-o ter posto a pensar.

            Ele ainda não sabe que sou gay. Mas penso que desconfia. E até nem tenho problemas em dizer-lhe, mas quando a oportunidade for certa. Acho que seria estranho ele confirmar o que suspeita através de algo que tenha deixado no pc.

            R.

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 05.01.09 às 18:24link do post | adicionar aos favoritos

2 de Janeiro de 2009

 

O puto que era meu colega lá no bar foi despedido. Não entendi bem porque, mas também não preciso. Sei que o J. se passou de vez com ele e agora já não está lá. Conclusão: sobra para mim. Era para estar de folga até dia 5, e hoje já tenho que ir bulir.

Mas começando com o acordar.

Dormi-mos até tarde. Como sempre sabe muito bem abrir os olhos e ver logo o meu nino. Ainda tivemos montes de tempo na cama, a conversar e a brincar antes de nos levantar e entramos no banho.

É verdade, depois de puxar por ele, o meu nino agarrou-se aos nossos paus, e esgalhou-me uma. Soube-me mesmo bem. Normalmente não me consigo vir logo que acordo, mas com a tesão com que andava, não demorou muito até que a perna e a zona a volta do pau dele se ficasse cheio do meu leite.

Depois do banho, vestir e sair para o café.

Quando voltamos para casa reparei de novo que o meu nino não reagia como antes aos meus avanços. Tivemos a ver tv, de volta do pc até que chegou a hora de ir jantar.

Deixou-me no bar e seguiu para casa.

A noite no bar foi muito boa. Sempre a entrar clientes.

Quase no final da noite, eu, o J. e o S. estavamos a conversar, quando derrepente começam os dois a falar sobre gays, sem eu perceber muito bem como é que a conversa virou para este assunto. 3 gajos, a beber umas minis, a falar de tattuagens e derrepente a falar de homossexuais.

Fizeram os dois questão de me dizer que não tem nada contra, que até conhecem e tem amigos que são gays, que no trabalho por vezes tem que lidar com homens gays, isto com montes de exemplos, e para rematar o J. disse que até se alguem trabalhasse no bar que fosse gay não haveria problema nenhum.

Sinceramente não entendi, se foi por acaso que esta conversa surgiu, ou se teve alguma coisa que ver com o facto de eu ter aparecido com o H. na vespera e no dia de ano novo e agora eles suspeitarem de algo. Tempo o dirá!

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 11.09.07 às 18:03link do post | adicionar aos favoritos

8 de Setembro de 2007 – in vino veritas.

 

            Apanhei um bela tosga ontem a noite. Hoje ando de ressaca! Nem o café nem ter visto o N. da pastelaria me tirou desta letargia.

            Ontem com tanto alcool, acho que no meio da conversa com o J.P. me assumi! Que se foda! É sempre assim, bebo a mais e a boca não para calada sobre coisas que devia ser mais contida...

            Já para me assuir, primeiro à minha cunhada e depois ao meu irmão, também foi preciso uns bons copos de gin|cola para sair toda a verdade pela boca fora. Nem sequer tinha planeado nem quando, nem como, apenas tinha a certeza que o tinha que fazer o quanto antes; afinal o meu irmão estava a ficar na minha casa, e tinha acesso ao pc, e embora todo o material porno tivesse bem escondido numa sub-pasta do windows, seria apenas uma questão de tempo até o meu segredo ser descoberto.

            E assim foi, bêbado que nem um caixo, enchi-me de coragem, e enconstado ao balcão da discoteca onde o meu irmão tava a servir copos, contei a minha cunhada. Surpresa fez-me ela ao dizer-me que já sabiam, o meu irmão havia visto uma foto que eu me esquecera de esconder(!). quando chegamos a casa, já no dia seguinte, o meu irmão perguntou-me se não tinha nada que lhe dizer. De facto foi ele que começou a conversa.  Abri a boca apenas para lhe confirmar aquilo que ele, primeiro desconfiava e depois soube! Aceitaram-me na boa!

            Ao grupo de amigos que tenho aqui na cidade, foi muito na mesma forma que lhes contei, uns copos, e já está! Houve uma noite, que até a uns amigos dos amigos que acabára de conhecer, contei! O mais engraçado é muitos não acreditam, pensam que estou a brincar e acabam por ir confirmar com a minha cunhada ou com o meu irmão! Acho que isso abona a meu favor. Não tenho tiques, nem outras atitudes que me denunciem, e por isso acho que ajuda também a ser melhor aceite a quem conto.

            O facto de já ter saído do armário, tem-me ajudado a ser mais eu, e não ter que andar sempre de máscara, ou ter que ir sozinho para os programas que fazemos como amigos. Já levo companhia do meu sindicato. Aliás muitos do meu gang, conheceram o N. uma das paixonetas que tive, aos quais ele se assumiu pelas primeiras vezes também.

Ainda me ríu ao lembrar o nervosismo do N. no dia, em que sem ser planeado, acabou por conhecer o meu irmão. Agiu da mesma forma que eu quando pela primeira vez fui apresentado como namorado do V. a un casal hetro amigo dele, foi assim também na segunda e terceira vez..... até que perceber que quem estava a ter preconceitos era eu. Tinha receio que me iam tratar e olhar de maneira estranha só por saber dos meus gostos.

 Mas estava bem enganado. Não senti que me tratassem diferente. Sempre me fizeram sentir muito à vontade.

Acho que não é necessário andar por aí com um rótulo na testa a dizer que sou gay, mas ainda bem que já tenho a coragem para dizer, a quem mereça a minha confiança, quem é o verdadeiro R.

Cheguei a um ponto que, se confrontado com a pergunta, a minha resposta vai ser a verdade.

R.

Palavras-chave: ,

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory