O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 22.04.09 às 20:47link do post | adicionar aos favoritos

20 de Abril de 2009

 

Já há um tempo que isto anda a acontecer. O H. até já tinha feito menção disso no seu blogue, mas eu esperei mais um tempo para dize-lo, mas hoje foi confirmado e de que maneira!

Embora se calhar já havia começado há mais tempo, só na semana em que o meu nino esteve aqui de férias é que me apercebi. Um dos gajos que é dono da pasteleria que custumo frequentar andava a olhar para nós de uma maneira que nada engana. Como lhe retribuia-mos os olhares, ele começou a ficar mais ousado. Olhava quase a descarada, piscava o olho a mim ou ao H. e sempre que nos dava o troco da despesa fazia umas festas na palma da mão. Eu e o H. achamos engraçado.

Eles são dois donos. Em termos físicos quer ele quer o outro tem muito bom ar. Ambos na casa dos quarentas. Este que faz o flirt é do agrado do meu nino. Eu pessoalmente gosto mais de ver o outro. Mas gostos não se discutem.

Hoje levei o pc para o café, como tenho andado a escrever alguns contos para o projecto “partilhate” e como já ando em fase de revisão poderia-o fazer no café. Sentei-me numa mesa bastante iluminada de modo a poder apanhar sol na moleirinha. Na mesa ao lado sentou-se o tal dono. Também ele ao pc. Estava eu entretido numa das história quando ouço o música do meu post anterior. Levantei os olhos do ecran.  No pc do J. (o tal dono do café) estava a passar o video. Ele percebeu o meu olhar e aproveitou e meteu conversa.

Começamos evidentemente por falar daquela senhora, mas rápidamente nos metemos numa amena cavaqueira. Fiquei surpreendido. Pensava que a conversa ia resvalar para o flirt descarado, mas enganei-me. Falou dele, da vida dele, de projectos em que está envolvido, e já nem me lembro muito bem como a conversa foi parar ao estado civil. Já tinha sido casado, e que já conhecia o J (o outro dono do café) há muitos anos, e que nunca havia suspeitado, mas a vida é assim.... e que já havia se importado mas agora passava-lhe ao lado o que as pessoas diziam dele, e da sua orientação sexual etc e tal.....por outras palavras acabava-se de se assumir, a ele e ao companheiro, e claro que também não dei parte fraca, falei de mim e do H. como companheiros e namorados que somos.

Gostei da conversa. Especialmente por não ter tido qualquer tipo de tensão sexual. Apenas conversa simples e sincera. Sem jogos de palvras. A conversa normal de duas pessoas que se acabaram de conhecer, e que coincidentemente tem um “segredo” em comum. Agora já conheco mais um casal gay aqui na cidade, e acho que isso é uma coisa muito positiva.

R.

 

Palavras-chave: , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:50link do post | adicionar aos favoritos

A cidade hoje está como eu! Vazia.

Ruas e travessas quase sem ninguem.

Sombras bizarras que se projectam e alongam no meio de clareiras de luz que ainda teimam em trazer algo de luminoso a uma existencia de outra forma taciturna!

Os poucos casais, que se passeiam na rua, e o jogo de luz e sombra, puseram-me a pensar, não na minha solidão, ou falta de companhia, ou de amor, mas na fidelidade.

Há umas semanas atrás, tive uma quequa a 3. Curiosamente com o mesmo casal com quem há uns anos tive a minha primera esperiência nesta variedade de paus e orificios!

O P. e o C. ambos quarentões, mas de boa pinta e corpo. Grande sessão de foda!

Só o C. é passivo, levou com o meu zezinho durante uns bons 20 minutos, e depois com o do companheiro dele, o P., que tem um pau ainda maior que o meu! Saí do apartamento deles com com as pernas a tremer de tanto esforço que fiz. Até foi bom.... Devo ter servido para apimentar a relação deles. Para apaziguar a rotina. Ok, sem problemas, também com o V. fizemos isso meia dúzia de vezes.

Não considero isso infedilidade. Estavam ambos presentes, ambos a curtir comigo, nada fizeram as escondidas um do outro, nem se envolveram emocionalmente comigo! Até aqui tudo normal....

Passado uns dias, recebo uma sms do P. a dizer que gostou, e que quer estar novamente comigo, mas a sós!!!!!! E a pedir para nada dizer ao C. Resolvi não responder.

Agora, a surpresa foi quando há uns dias recebi uma sms do C. abriu logo por dizer que o P. não sabe que ele tem o meu contacto, e que tá cheio de tesão só de pensar que quer também estar comigo a sós! Desnecessário será dizer que também me pediu para nada dizer ao compaheiro! Que merda é esta????

Onde está a fidelidade neste casal?

São companheiros há bastantes anos, vivem juntos, para todos os efeitos são como casados, e tentam encornar-se um ao outro, e,  para toque de ironia, com o mesmo gajo- eu!!!! Que tipo de estrago podia eu fazer ao denuncia-los um ao outro?

Mas, mais serio que isso:

- Que tipo de fideldade se pode ter no mundo gay?

A bem da verdade , também nunca fui sempre fiel.

Durante algumas semanas, enquanto me deslumbrava com a minha primeira paixão, o V., não procurei mais ninguem! Vivia para aquele homen, não tinha necessidade de mais nenhum.

Até me aperceber que o V. não agia assim. Que mijava fora do penico! Rapidamente entendi que sempre o fez e sempre o iria fazer. Não havia volta a dar! Nesse dia, fui para uma área de serviço e vinguei-me! Mais que uma vez! Se ele fodia outros, então eu também podia! Ele não merecia a minha fidelidade!

Alguns dias depois, sem o querer ver, e umas tantas quequas de pura vingança e raiva, lá fui ter com ele. Lembro-me de ir de coração partido! Aquele homem que eu amava, nunca iria ser só meu!

A tensão podia-se cortar á faca. Mas lá nos sentamos a conversar.

A única fidelidade que tinhamos para dar um ao outro, seria o espaço no coração.

Sabiamos perfeitamente, que ambos iriamos foder com outros! Não valia a pena continuar na ilusão! Amavamos-nos, mas sexo é sexo! Encontros casuais e incosequentes, faziam parte do nosso dia a dia. Apenas duas regras nos imposemos:

Usar sempre camisinha com outros e não nos envolvermos emocionalmente com mais ninguem! Coisas que de facto respeitámos! E assim conseguimos levar a nossa relação adiante!

Eu sabia que ele fodia outros e vice-versa; mas também sabia que ele me amava, e só a mim! E eu amava-o! E nisso sempre fomos fieis. De tal forma estavamos seguros disto, que até sessões a três tivemos. Partilhamos o mesmo homem na nossa cama, sem ciúmes um do outro.

Sou levado a pensar que a fidelidade total no meio gay, é pura utopia!

            Podemos ter uma relação estável, um amor infidável e verdadeiro, mas apresenta-se a oportunidade e lá vamos nós! Saltamos a cerca e nem olhamos para trás!

Algumas vezes ainda tentamos racionalizar para nós mesmos o que aconteceu, outras a culpa fica afogada, ali mesmo no leite que de nós saíu!

            A parte física toma conta de nós! Sobrepõem-se a quase tudo. Por vivermos como que obsecados pelo caralho, pelo nosso ou pelo dos outros, e o jogo do engate ser relativamente facil, (muitas das vezes nem falar é preciso para foder, basta ir ao sitio certo! WCs e pontos de engate não faltam neste país!), estamos sempre a procura da proxima vez em que nos podemos vir, e dar uso ao zezinho!

            Acredito sinceramente, que só podemos ser fieis no coração. Só lá pode estar uma pessoa de cada vez!

            Como as ruas desta cidade, temos um lado luminoso e ensolarado que partilhamos com quem mais gostamos, aquele lado que usamos para aquecer o coração de alguem; mas há sempre uma viela ensombreada, escura, que percoremos sozinhos ao engate, que por estar na sombra, podemos estar descansados, o nosso mais que tudo não  sabe que lá estamos; o pior é que corremos o risco de também lá o encontrar!

            O escuro tem esse encanto! O de não saber o que se vai encontrar. Como meninos pequenos a olhar para um embrulho, a espectativa do que será, acaba sempre por nos levar a entrar no jogo do flirt. E a caça arranca! A fidelidade fica em suspenso,  até nos encontrar-mos de novo nos braços da pessoa que amamos.

            O ser humano não é por natureza monogâmico! Está nos escrito nos genes. Com quantos mais parceiros copularmos, mais hipoteses há de a nossa massa genética  continuar viva. Se isto é verdadeiro para hetros, também o é para gays.

Assim é melhor assumirmos como facto, que o homem que eu poderei vir a amar, vai foder com outros ocasionalmente, eu farei o mesmo, mas no meu coraçáo so há espaço para um, e eu exijo o mesmo!

             Esta é a minha opinião do que significa ser fiel.

R.

 

            3 da manha......

Insónias.

            Não consigo dormir.

            Não sei se é do calor, se simplesmente a minha mente não quer parar.

            A tv já não me entretem, nem me aborrece o suficiente para causar sono. Pensei que no final da quequa que mandei há umas horas ia conseguir dormir que nem uma pedra, mas enganei-me. Tou agora cansado do exercício e sem sono.

Da foda não há muito que registrar, apenas que foi bom, e o gajo saiu daqui tão depressa como entrou, sem aquelas cenas do costume, deixando-me num belo post orgasmic. Desta vez, nem me importei nada de ficar sozinho.

            (Foda-se! Tive que ir abrir a janela, e puxar a curtina; provavelmente vou ser comido vivo por melgas, mas não aguentava mais! Pareco uma mulher em menopausa, com afrontamentos!)

            O L. Decidiu declarar o seu amor eterno por mim através de sms. Mensangens em forma de poemas, encharcadas de romantismo, que se não fosse sincero, roçava o pindérico. (que é feito das tradicionais cartas de amor?)  Não fiquei propriamente impressionado com a prosa lírica do moço, mas também não lhe tenho que dizer isso! Há certas ocasiões em que ser um pouco dissimulado e até dizer uma mentirinha é o melhor que se pode fazer.....ahhhh, o sinísmo!

O pior deste tudo é que não sei que fazer, sinceramente não o amo, pelo menos agora... Nem sei porque lhe dei esta esperança, a solidão em mim, fez-me procurar companhia, e agora alguem vai sair magoado. Não era nada disto que procurei ou queria.

            Mais uma merda para me preocupar. Já eram poucas!

            Tenho a mente cansada, os olhos a arder, e não paro de bocejar, vou-me deitar agora, mas sei que apenas vou ficar a rebolar na cama, sem dormir. Com um bocado de sorte até já esta a passar as televendas- o melhor remédio para as insónias!

R.

Palavras-chave: , ,

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory
subscrever feeds