O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 08.03.09 às 14:41link do post | adicionar aos favoritos

8 de Março de 2009

 

Este dia deixa-me um pouco pensativo.

Sinceramente, não é que seja contra, mas também não vejo razão para ter sido criado.

Não se trata de machismo, mas acho que não faz muito sentido. Que exactamente se celebra? A igualdade (que ainda não chegou) ou a desigualdade (que se mantem)?

Para conseguir me relacionar com o tema ontem quando fui a pé para o bar pensava no que seria se o mundo celebrasse o dia internacional Gay. Não ía gostar. Não seria esse dia, por mais discursos, debates e coloquios que houvesse que iria mudar muito. Não me sentia menos ostracisado da sociedade ou menos mal por ver direitos negados apenas por ser gay(casamento e direitos sucessórios por exemplo).

Pelo contrário sentiria-me humilhado e triste por ter que existir um dia para o mundo lembrar (festejar??) um problema que ainda se mantem.

E isto pode ser transposto para o dia da Mulher. Ainda não há a igualdade que se mereçe. E penso que como eu haverá Mulheres que preferiam que fosse indifirente o facto de serem ou não Mulheres quando mais importa (trabalho, carreiras, etc). De valerem pelo que são e sabem, e o facto de serem Mulheres ser apenas um promenor sem a minima importancia!

É esta a minha opinião. Mas gostaria de ouvir a vossa. Aliás até gostaria que o blogue da gaijas discutisse este tópico. Ainda lá vou dar a ideia. Mas caras leitoras (e leitores que aqui no blogue não se descrimina) digam de vossa justiça!

R.

 

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 25.10.08 às 19:24link do post | adicionar aos favoritos

            24 de Outubro de 2008

 

            Hoje fui a Lisboa, a uma entrevista de trabalho.

            Na sext-feira passada, recebi uma chamada de uma empresa de recursos humanos, a perguntar se me recordava de há uns anos atrás ter tido umas entrevistas com eles, e se estava com disponibilidade para fazer mais uma entrevista. Claro que disse que sim, e ficou marcada para hoje.

            É uma daquelas empresas de RH que fazem recrutamento para empresas suas clientes. Da vez que me inscrevi e fui lá a uma entrevista, era para a sonae. Fui seleccionado e já nas entrevistas na sonae, descobri que era para um posto na margem sul e acabei por não entrar.

            As instalações da empresa agora ficam a meio da Av. da Liberdade. Meti-me no comboio, metro e um pouco antes do meio-dia estava a entrar nos escritórios. Estava um pouco ansioso e nervoso, mas ao mesmo tempo animado. Afinal estes senhores são bons profissionais e a principal função deles é encontrar pessoal para trabalhar.

            Indicaram-me um gabinete e pediram para aguardar um pouco que o consultor viria já ter comigo. A entrevista estava marcada para o meio-dia.

            Quarenta minutos depois ainda ninguem havia ter vindo comigo. Dez minutos mais passaram, e eu estava pronto para me levantar e ir perguntar a recepcionista se haviam esquecido de mim, ouvi alguem a falar no corredor: “- como é que ele se chama?”. Ouvi a secretária a gritar “R.”.  instantes de pois entrava o gajo que me ia fazer a entrevista.

            Depois de me pedir desculpa pelo atraso, sem nunca me dizer o porque de estar 50m a espera, lá começou a lenga-lenga do costume, quem são, o que querem de mim e o que podem fazer por mim.

            Apresentações feitas, as perguntas do custume nas entrevistas de trabalho, e finalmente soube o porque da chamada até Lisboa. A empresa abriu um novo ramo de negocio, e precisam de construir base de dados. A minha presença lá era só mesmo para confirmar e actualizar o meu C.V. para eventuais futuras necessidades.

            Saí de lá, sem grandes esperanças de emprego imediato, mas pelo menos sempre é mais uma porta que fica aberta.

            Desci até ao Rossio para lavar as vistas com os gajos que andavam na rua durante a hora de almoço, e enfiei-me no metro para o parque das naçoes para ir almoçar.

            Fui comer um hamburguer ao Burguer King. Tive montes de tempo a espera, a gaja a minha frente pedi a coisa mais estupida que ja ouvi: CHEESE BURGUER mas SEM QUEIJO! parou a cozinha toda.

            Depois de almoçar e como não havia ninguem de jeito para ver no “Vasco da Gama” fui para a estação do oriente esperar pelo comboio. Entreti-me a ver uma exposição dobre a nova ponte do tejo, e o tgv. Ainda estive um bom bocado de volta da feira do livro que lá estava também. Ainda assim estive que esperar um bom bocado a fumar e a esperar o comboio já na plataforma.

            A caminho de casa, eu e o H. chegamos a conclusão que não nos encontrariamos hoje. Ele tinha umas coisas para fazer e arrumar na esplanada e depois precisava de descansar. E eu também.

            Já tinha chegado a cidade, o J.P. pediu-me perguntou-me se podia ir trabalhar hoje, visto o puto não poder ir. Aceitei e depois de descansar um bom bocado fui para o bar.

            R.

 

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 11.09.08 às 14:45link do post | adicionar aos favoritos

8 de Setembro de 2008

 

Fui entregar mais um C.V.

Ontem quando fui à loja da vodafone, reparei que estava aberto um concurso de recrutamento, então fui lá entregar a minha candidatura. Não tenho nada a perder, e até era um sítio em que gostava de trabalhar.

Entretando já começo a notar alguns resultados da pseudodieta que estou a fazer. Sinto-me e vejo-me mais magro. Infelizmente esqueci de me pesar no inicio, mas defenitivamente noto alguns resultados. E o meu nino também concorda.

O meu homem  hoje não vem cá. Os papás dele estão de férias e ele tem montes de coisas para tratar lá por casa. Especialmente das cadelas, que segundo me conta são atenticas canídioterroristas! Não lhe dão paz!

É com bom agrado que hoje vou ver o regresso do Herman José na “ Roda da sorte”. Ainda me lembro bem da primeira edição. Ainda os dinaussaurios andavam na terra, mas recordo-me bem do que me divertia, e sabia de cor todas as piadas, canções e chavões que saiam daquele concurso. Estou desejoso que começe!

R.

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 14.08.08 às 16:13link do post | adicionar aos favoritos

14 de Agosto de 2008

 

            Problema:

            O H. anda a fazer planos e castelos no ar sobre as férias. Ele quer e mereçe sair daqui e ir para algum outro sítio. Fala em algarve.... Eu estando desempregado e com pouco dinheiro não me posso por em grandes aventuras.

            Sei que não quer ficar aqui, e sei que eu tambem não posso ir para nenhum sitio caro.

            Sei que ele mereçe sair, distrair-se e divertir-se. Mas não sei se o consigo acompanhar.

            Tambem não é justo ele ter que ficar aqui a viver a seca que é a minha vida.

            Como é que concilio isto?

            R.

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 04.08.08 às 16:45link do post | adicionar aos favoritos

 

4 de Agosto de 2008 – Nem sair, nem ficar.


 

Estou na esplanada do custume.

Hoje trouxe o pc. Foi algo que sempre quis fazer. E agora que tenho o portatil, finalmente aconteceu. Nem foi tanto para poder escrever, mas sim para ver se apanhava alguma rede não protegida à qual podesse aceder e navegar. Apanho muitas, mas nenhuma me dá acesso.... Merda.

É que alem de não ter net em casa, o sítio onde normalmente vou, está fechado até dia 18. definitivamente este país fecha em Agosto. Nunca entendi muito bem porque.

De resto também não há muito mais a dizer. Este fim-de-semana pelo menos, e para ser diferente do que custuma acontençer, eu e o H. não nos chateamos. Ao menos isso.

O meu menino não vem cá hoje. Vai ficar a descansar. Acho muito bem, sei que está mais cansado do que aquilo que me admite. Noto nele muito cansanço, não só fisico mas mental. Um trabalho de dia e outro à noite não é nada facil. Já passei por isso. E poucas horas de sono, não facilitam muito. Tenho saudades dele claro, mas sinceramente acho muito bem ele ficar a descansar. Devia até faze-lo mais, mas sempre que lhe digo isto ele começa logo a pensar que não o quero ver e merdas do genero.

Tou farto de tar em casa e ao mesmo tempo sem vontade nenhuma de estar com alguem. Sei que é estranho, mas é assim.

Sinto-me um falhado, e não quero encarar ninguem. Mas as paredes do meu quarto parecem cada vez mais apertadas. A tv não me diz nada, o calor que está, a pedir passeios e tardes na esplanada a conviver.... mas a frustração que sinto impede-me de sair. Isso aliado ao facto de não querer sair muito por causa dos filmes que o meu nino também faz de vez em quando, me fazem ficar por casa. Simplesmente não quero que ele stresse.

Assim passo os meus dias, de casa para a esplanada tomar café, e de volta a casa. Duas ou tres vezes por dia, e agora quem sítio tenho para ir a net, nem razão tenho para ir até á cidade. Cigarro atrás de cigarro.... merda, mesmo uma merda.

Mas a minha vida sempre assim foi. Nem sei porque é que eu me atrevo ainda a pensar e a sonhar diferente.

 

 

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 03.08.08 às 21:55link do post | adicionar aos favoritos

Ando de tal maneira frustrado e cançando de tudo que já não consigo esconder mais, nem disfarçar muito bem e o meu nino já percebeu. Tambem não era preciso muito. Ele conheçe-me muito bem, e nota logo pelas sms. Curtas, directas e secas. Mas que posso eu fazer. Não tenho espirito, moral nem paciência para muito mais.

Admito. Não estou animado, sinto-me frustrado, vazio e na merda. Sem planos nem energia para os fazer.

Nem os simpsons, dos quais sou para lá de fã, me animaram hoje.

Acho que nada me anima, nem hoje nem tão depressa.

O H. ainda instiu para que eu saisse. Mas para que? Não seria muito boa companhia para ninguem, isto se encontrasse alguem conhecido, e o mais certo é que não acontecesse e ficasse sozinho, e para isso estou bem em casa.

O unico sítio onde enventualmente encontraria alguem seria num bar onde eu e o H. custumamos ir, e para onde o pessoal que custumava ir lá ao bar onde trabalhava agora tem ido, mas está fora de questão lá ir. Não há rede lá dentro. E ficar sem mandar sms durante muito tempo faría o meu nino flipar e dar-lhe-ia um ataque de panico (e talvez mesmo um ataque cardíaco).

 

R.


 


 

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 31.07.08 às 15:49link do post | adicionar aos favoritos

29 de Julho de 2008

 

            Isto de não ter net em casa, aborrece-me.

            Certo que não tive durante muito tempo, mas desde que comprei o portatil, e quando cheguei ao meu antigo quarto o liguei e apercebi-me que um dos vizinhos tinha a rede wi-fi dele sem protecção, foi um fartote.

            Naveguei e blogei de borla durante bastante tempo as custas do tolo que não protegeu a rede.

            Aqui neste quarto não tenho essa sorte. Embora detecte várias redes sem fios, estão todas protegidas. No dia em que recebi a noticia que não me iam renovar o contracto estava para enviar o fax a pedir a activação da kanguru. Ainda bem que não o fiz.... seria mais um encargo. Assim tenho que produzir os post no word, e depois ir até a cidade blogar. Significa isto que tenho que andar mais de 2 km, depois esperar que haja um pc livre e navegar sem nunca estar completamente à vontade.

            Então hoje, no final de escrever os post, e de (re)ver o E.R.- Serviço de urgência  que a rtp 2 está de novo a transmitir, fiz-me a estrada. O tempo estava optimo, não muito quente, e aproveito para ir vendo aqui e ali a bela da pernoca e o enxumaço saltitante.

            E hoje até se viu uns bem jeitosinhos.

            E por falar nisso, há umas noites atrás, quando saí para tomar um descafeinado, ao sentar-me nas esplanda, reparei num homem que estava com um grupo de amigos, a conversarem de pé a alguns metros de mim. O tipo tinha uma daquelas calças de tecido em que se nota quase tudo. O melhor desta história, foi que o gajo põe as mãos no bolso, e começa a brincar com as bolas e com a pila. Mas mesmo à descarada. Ele estava de tal modo entretido com a conversa que nem se deve ter apercebido do que estava a fazer. A descontração dele era tanta (e claro que o tecido das calças ajudaram a perceber e bem o que ele estava a fazer) que a determinada altura, e depois de brincar com as bolas, ora uma a uma ora com as duas ao mesmo tempo, começa a “rolar” a pila entre os dedos, dando para ver claramente o formato, tamanho e grossura do material. lol Nada má mesmo!

            Mas voltando ao presente.....

            Depois de por o post on-line, fui lanchar à pastelaria do N. Sentei-me na esplanada, e assim sempre ia vendo quem passava.

            Entretanto começei a ficar frustrado. Por dois motivos.

            Primeiro, não sei que se anda a passar mas ultimamente algo de errado se passa com as sms da vodafone. Ficam pendentes, ou nem sequer são entregues. E para quem é dependete deste meio de comunicacão e muito mau! Desde sexta-feira que já enviei mais de 1200 sms. Acho que esta semana as 1500 gratuitas não iram chegar.

            E a segunda razão é porque simplesmente me sinto sozinho. Sei que tenho o H. na minha vida, e sei que é o meu companheiro, mas quando não está, nestes pequenos nadas do quotidiano, sinto-me só.

            R.

 

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 29.07.08 às 15:30link do post | adicionar aos favoritos

27 de Julho de 2008

 

            Que merda de fim-de-semana.

            Basicamente passei o estes dias em casa, apenas sai no sábado um pouco há tarde para ir à worten (que fica a 4 km de casa e eu ando a pé). Fui comprar um jogo. Já que tou em casa, sem nada para fazer pelo menos mantenho a mente entretida. Comprei o “simcity societies”. É um tipo de jogo que gosto, mas esta versão é mais complicada que a anterior que já dominava. Também é certo que ainda não me debrucei convenientemente sobre o jogo, porque nestes dois dias, foi mais o tempo que eu e o H. andamos a tripar um com o outro que outra coisa.

            Ainda saí no sábado à noite, não com o intuito de ir beber copos, mas queria encontrar alguem do grupo do bar onde trabalhei, para tentar saber novidades. Sei que vai reabrir, e como tou sem emprego poderia ser uma ocupação até ter algo melhor. Certo é que não encontrei ninguem. Ainda fui a alguns bares onde poderiam estar, mas como ainda não passava muito da meia noite, e eu estava sem animo nenhum, e a conversa com o H. estava cada vez mais azeda, vim para casa.

            Domingo apenas sai para o café.

            Eu e o meu menino tripamos mesmo muito estes dias. Basicamente por tudo e por nada. Por causa da minha situação ando sem paciencia quase nenhuma, o animo é pouco, a alegria quase nula, e o espirito sombrio.

            E o H. quer a força que tudo isto mude, e eu não me vá abaixo. Entendo bem o que ele quer, mas o que é certo é que quanto mais ele fazia para me animar, pior eu ficava. Houve alturas que juro que me passei e senti que ele estava a tentar a minha paciencia.

            Tenta demais para me animar. Esforça-se demais para não me deixar ir a baixo. Mas o que é certo é que não resulta. Como não tenho o mesmo animo que ele, as minhas sms não acompanham esse ritmo (que noto forçado), e como tal passamos os dias a aborrecermo-nos. A juntar a isto a pouca informação que ele passa nas sms, e o vazio da minha alma, não foi bonito!

            Disse-me que ando a despejar nele a frustração e tristeza da minha situação. Não é isso que quero fazer. Só que ao querer me ajudar no que pode, o que é certo é que me deixou ainda mais frustrado. Não sei explicar bem, mas ele quer quase à força que me anime, e eu não sou capaz. Talvez com tempo.

            Não sou capaz de lhe retribuir a energia, nem o animo que ele insiste em querer que eu tenha, assim passamos os dias a implicar ou porque eu não lhe respondia logo no minuto que ele me mandava a sms, ou porque não lhe ligo para o tlm, ou porque à mais de quarenta minutos que não lhe dizia que o amava, ou porque as minha sms eram muito curtas, ou porque ele estava a beber e depois ia conduzir, ou porque não me dizia o que estava a fazer, ou porque mandava sms a conduzir, ou porque eu não entendia o que me queria dizer..... Foi uma merda de dias.

            Para piorar as coisas, a meio da tarde começei a receber sms de um numero que não conheco, e embora no principio as tivesse ignorar, começaram a ser insistentes, o gajo dizia que se chamava pedro, que era das caldas, que nos conhecemos já há uns anos e que queria saber se estava tudo bem comigo. Passei-me com as sms, e disse-lhe que não conhecia o numero e não me lembrava de todo de quem ele dizia ser. Ele continuou a insistir, e eu comecei a desconfiar que era o parvo do J.R. e mandei-lhe uma sms a pedir-lhe uma foto. Ele respondeu-me que não tinha, e não tinha meio de a tirar naquele momento, acho que ele pensou que lhe estava a pedir uma foto do pau. Como não era isso que lhe havia pedido, respondi-lhe que o que lhe tava a pedir era uma de cara para ver quem era.

            Tem havido alguns problemas de rede por aqui e as sms ficam pendentes, ou dão erro e como não recebi o relatório daquela sms, resolvi enviar outra com a mesma sms. Só que enganei-me  e em vez de enviar aquele gajo, enviei ao H.

            Ainda piorou as coisas. Perguntou-me o que era aquela sms, expliquei-lhe e ele diz que entendeu. Mas tenho a certeza que o meu homem ficou a fazer filmes naquela cabeça.

            Do outro nem mais uma sms. Recebeu o pedido da foto e calou-se. Cada vez tenho mais certeza que era o J.R.

            Amanha espero que estejamos juntos. Só falando cara a cara é que isto passará.

            R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 25.07.08 às 15:31link do post | adicionar aos favoritos

25 de Julho de 2008

 

            Estou de férias.

            Nunca pensei não gostar desta frase.

            Estas férias significam apenas que fui despedido.

            Que merda! Foda-se!

            Logo nesta altura do ano, em que o pais pára e não se passa nada. Nem adianta muito começar a procura de novo emprego.

            Nem sei muito bem o que fazer.

            Acho que devia mudar o nome do blog para:

“QUOTIDIANO DE UM GAY DESEMPREGADO”

            Enfim....

            R.

Palavras-chave:

O que me dizes?
Por: Ray, em 25.07.08 às 15:29link do post | adicionar aos favoritos

24 de Julho de 2008

 

            Nem sei muito bem como começar este post....

            Fui trabalhar, hoje estava a fazer o turno da tarde. Cheguei e como sempre fui cumprimentar o gerente. Ele de cara seria disse-me que precisava de falar comigo, mas não na loja, e convidou-me para sair e ir tomar um café. Achei estranho, e vi logo que era algo grave, mas não estava nada a espera do que foi falado.

            Chegamos, pedimos café e sentamo-nos.

            Resumindo a conversa: O meu contrato de trabalho não vai ser renovado.

            Ou em bom português: - Fui despedido!

            Apartir de amanha já não vou trabalhar.

            Ainda tentei acabar o dia. Não consegui. Já não tinha coragem nem disposição para lá estar mais. Falei com o gerente, entreguei as chaves da loja, e basei a meio da tarde.

            Foda-se!

            R.

 

Palavras-chave: ,

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory