O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 15.04.09 às 20:33link do post | adicionar aos favoritos

      9 de Abril de 2009

 

      Os dias quando estou com o meu nino pareçe que passam mais depressa, que o dia tem menos horas.

      Os dois dias passados nem dei pelo fim deles. Certo que todos eles dormimos até bem tarde. As noites do bar tem tido muito movimento, mas com a companhia do meu nino lá até parece que o tempo voa.

      Na segunda-feira tinhamos falado em irmos ainda esta semana ao Campera, mas como andamos a preguiçar estes dias, só hoje, no último dia juntos é que realmente lá fomos.

      Acordamos cedo, e para pequeno almoço fizemos panquecas. Descobrimos no Jumbo um preparado ao qual só é necessário acrescentar leite. Fiz uma calda de morangos frescos para acompanhar e estavam mesmo muito boas. Eu pelo menos gostei. Depois do banho a dois, rápidamente estavamos no café e enfiamo-nos no carro com direcção ao Carregado.

      Como sempre nas nossas idas pela A1 tivemos que parar na area de serviço de Aveiras. Apenas pelo gozo de ver quem por ali anda no engate. Acabamos por não ver ninguem, mas acho engraçado. O meu nino está sempre a dizer que não gosta, mas até é ele o primeiro a correr para lá, e no final de mijar-mos e de estarmos prontos para ir embora, se algum gajo bom entra no wc, ele tem que lá voltar só para ver.

      No Campera acabei por não comprar nada. Ando mesmo a precisar de comprar calças de ganga, mas ainda não foi desta. As que gostava eram demasiadamente caras para o meu orçamento, as mais baratas não tinham ponta por onde pegar. Enfim.... o custume. O H. é que não tem problemas desses. Acabou por comprar roupa.

      A caminho de casa, ainda tivemos que parar na area de serviço novamente, e novamente não se viu nada de nada.

      Depois do jantar, cada qual foi para o seu lado. O meu nino tinha que ir para casa, tratar do gado (é assim que chamo ás suas cadelas) porque os pais não iam lá estar e eu fui para o bar.

      Foram uns dias absolutamente fantásticos. Acho que pelo que já vivemos e pelo tempo que já passamos juntos, dá para ver que podemos viver juntos. Somos feitos um para o outro.

      R.

 

Palavras-chave: , , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 02.04.09 às 20:34link do post | adicionar aos favoritos

     1 de Abril de 2009

 

      A S. tinha que ir para os lados de Lx em trabalho e convidou-me para ir também. Não tanto para passear mas para ir ver se na Makro haveria razões e para começar-mos a ir lá às compras.

      Depois de fazermos parte da tarefa que a levava lá de manha, fomos almoçar ao Colombo.

      Da última vez que lá fui tinha começado as obras para renovar o espaço. E hoje já estava tudo feito. Gostei muito. Ficou muito melhor. E a criação de espaços para fumadores foi do meu agrado!

      Claro que estando lá elas não resitiram e ainda foram as compras. E comigo de atrelado. O que vale é que não podiam lá estar muito tempo. O trabalho chamava!

      A 2ª parte da tarefa dela levou-nos até Cascais. Mas foi tudo mesmo rápido e pouco tempo depois já estavamos na Makro a tomar nota de preços e bebidas que tinham. Ainda lá andamos mais de 2h.

      Quando caminhavamos para o carro, pensava que vinhamos directos para casa. Mas estava bem enganado. Elas não resistiram e como ainda faltava tempo para ter que ir abrir o bar, fomos para o Vasco da Gama! Tanto consumismo no mesmo dia!

      Estavamos nós na segunda circular, quando a S. que ía a conduzir se vira para trás e dispara a seguinte questão:

      “Voces os dois gostam de ir á praia?”

      Como percebi logo onde ela estava a chegar, e para não ser tão obvio, respondi que estava sozinho no banco de trás!

      “Isso eu sei. Estou a falar de ti e do H. Se gostam de praia?” foi a resposta dela.

      Depois de lhe responder, fiquei pensativo. Ela fez a questão de maneira que me pareceu que estava a tratar-me a mim e ao H. como casal.... cada vez tenho uma desconfiança maior que ela(s) já sabem.

      Ao contrário do Colombo, este shopping era só gajos bons por todo o lado. Era com cada um..... infelizmente não podia olhar para lavar as vistas. Tinha medo que elas podessem topar alguma coisa. Tinha que me contentar com os que estavam directamente a minha frente!

      Depois de isto tudo voamos para a cidade de origem. Chegamos 5m antes de ter que abrir a porta do bar. Mas ainda assim consegui. Com a ajuda delas claro!

      Foi complicado a noite. Estava cansado, muído e com muito, muito sono. Para ir para lx dormi menos de 3h. Foi duro!

            R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 30.03.09 às 20:05link do post | adicionar aos favoritos

29 de Março de 2009

 

      Não sei como adjectivar o que sinto. Apenas sei que não é bem.

      Como estava a trabalhar este fim-de-semana, e o dinheiro anda escasso, o meu nino e eu decidimos que seria melhor ele não vir cá no sábado, e apenas vir no domingo. Achei muito bem!

      O almoço de sábado foi patrocinado pelo bar. Como a feira correu bem, os patrões decidiram pagar o almoço a todos os que tiveram envolvidos. Foi giro. Almoço no que para mim é o melhor restaurante da cidade. Comi mesmo muito bem. E a bem da verdade também bebi bem! Depois da comezaina, e como também não tinha nada para fazer decidi aceitar o convite da S. e da F. Para umas partidas de Uno.

      Decidimos ir para o bar, e achei engracado que a caminho ambar perguntam pelo H. e se ele vem cá, e que tem andado a fazer!

      A minha tarde passou-se a assim. Na jogatana e a trocar sms com o meu homem.

      O que me custou e me deixou mal foi mesmo a noite! Embora o meu nino me tenha dito que estava mal de dinheiro acabou por sair à noite com os amigos. Até aí nada de mal. Tomar um café e um copo também não leva ninguem à pobreza.

      Pouco antes de sair de casa, diz-me que uma antiga curte dele lhe mandou uma sms a perguntar onde fica o bar gay aqui da cidade, porque queriam vir cá e queriam que o H. e eu(?) também fossemos com ele.

      Não sei bem como correu a conversa depois, apenas sei que ele e o H. marcaram encontrarem-se para depois o meu nino explicar o caminha para cá. Pelas sms apercebi-me que o H. estava deserto para continuar na night e até para vir com o gajo e os amigos dele para a disco gay. Nem queria acreditar, mas era uma opção dele, e nada faria para o impedir.

      Lá chegou a hora de eles se encontrarem. Aparentemente vinha a tal antiga curte, o namorado, e umas amigas. Foram todos mais o meu H. para um bar numa cidade perto de onde vive o meu nino.

      Como a hora já ia avançada, acho que decidiram não vir para este bar aqui, mas sim para um outro em T.N. Bar esse que o meu nino não gosta e por isso não ir lá. Acho que ficou desiludido por isso.

      As coisas no meu bar apertaram. Já não tinha tanto tempo para mandar sms, mas custava-me saber que o meu H. estava na noite com uma antiga curte dele e sem mim.

      Como tudo tem um fim, a noite do meu H. acabou. Lá foi ele para casa, e eu já nas limpezas do bar.

      Acabei a noite mesmo triste. Não só ele saiu com uma ex-curte dele, como ainda considerou ir para uma disco gay com eles e sem mim!

      Mas o que me deixa mesmo mal, é o facto de que o H. enquanto não me fez cortar relações com todas as minhas antigas curtes, pessoal que tinha como amigo e até gostava de manter contacto, não descansou! Mas no entanto ele não só mantem contacto com antigas curtes dele, como até sai à noite com eles.

      Não sei o que pensar ou sentir!

   R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 05.01.09 às 19:14link do post | adicionar aos favoritos

3 de Janeiro de 2009

 

Como o tempo estava de chuva o meu nino não teve que abrir o tasco dele.

Logo depois de almoçar veio ter comigo. Nem sequer quis vir ter comigo ao apartamento, disse-me para me despachar e que nos encontrariamos no café do custume.

Depois de chegar e tomar café, seguimos para o Forum Montijo. Ando a precisar de comprar uma roupinha, e queria aproveitar os saldos. Queria ir ver se encontrava algo de jeito na Zara e assim, e ainda aproveitava-mos para ver se havia uma aliança igual a que o H. perdeu.

Pelo caminho, ainda tentei dar-lhe um beijo, que seria o primeiro do dia, mas ele não quis aceitar e fugiu com a cara.

Quando chegamos ao Montijo apanhamos montes de transito. Parece que toda a margem sul resolveu ir aquele espaço. Ainda assim tivemos sorte, estava um carro a sair e conseguimos um lugar mesmo a porta.

Logo que entramos, fomos ao wc, e regalamos os olhos numa grande pila de um gajo que estava ao nosso lado nos urinois.

Quando finalmente chegamos a ourivesaria, e começamos a ver as alianças, tivemos azar. As que havia do mesmo modelo eram todas ou muito grandes, ou muito pequenas. Tivemos que optar por outro modelo. E assim hoje temos alianças novas. Estas sao mais finas que a outra, e na minha opinião muito mais “aliança classica” mas gosto mesmo muito. Resta saber quanto tempo o H. a irá usar antes de a perder.

Já com a nova anilha no dedo, e com os pés a caminho das lojas de trapos, reparamos que por ali andavam 2 ou 3 casas gays também.

E aqui começou a minha frustração. Não encontrei nada que gostasse.

Na Zara era tudo feio, na Springfield a roupa só me fazia lembrar os morangos com açucar, na H&M ou era tudo muito “beto” ou nada tinha a ver com o meu estilo.

O H. bem que tentou, dar-me dicas, revolvia as preteleiras todas à procura, mas tudo o que me mostrava eu não gostava. Sei que o deixei um pouco frustrado, mas não mais do que eu estava. Até me doia a cabeça com a revolta que sentia por não ser capaz de encontrar algo que gostasse para comprar.

Acabei por trazer apenas um polo da Quebramar. Não por ter gostado assim tanto dele, mas apenas para não deixar o meu nino tão triste.

Jantamos por lá rápidamente e voltamos para casa. Tinha que ir trabalhar dali a uma hora e pouco e decidimos vir pela auto-estrada.

Já na ponte Vasco da Gama, tentei dar-lhe de novo um beijo, e obtive a mesma reacção. Não o quis. Também não insisti mais.

Quando passamos na area de serviço de Aveiras, tivemos que parar. Quando fomos mijar, vimos de novo uma pila enorme. O gajo ficou a uma boa distancia do urinol, abriu as calças todas, e sacou do bacamarte para fora na boa, e ali ficou distraido. Acho que nem reparou as vezes que eu e o H. olhamos para aquele monumento.

Quando já estavamos a entrar para o carro, o meu nino teve uma dor de barriga e teve que correr para a sanita. Coitadinho.

Enquanto estava ele a cagar, fiquei a pensar nos acontecimentos do dia. A frustração de não ter conseguido comprar roupa nenhuma, e a tristeza de sentir que o meu nino me anda a evitar, encheu o meu coração de tristeza.

Já a caminho de casa, no escuro da A1 ainda chorei sem o meu nino notar.

Apesar de pelo caminho ter-mos falado nisso, ele diz que não, que é da minha cabeça. Mas sei que não é. Algo se passa e eu não sei o que é!

Quando estacionou para me deixar sair, então sim e em jeito de despedida demos o primeiro e único beijo do dia.

Não acho normal. E é completamente diferente do que era à uns meses. Todo o dia juntos, e nem um carinho, e apenas um beijo. A caminho do bar, pelas ruas desertas chorei de novo.

Fiquei de tal maneira triste que até o J. reparou e me perguntou que tinha, que até a musica que estava a passar era triste e surombática! A custo lá mudei de tom, e tentei animar-me, mas de facto não passava de uma mascara que coloquei.

Algo se passa, algo mudou e não entendo.

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 20.12.08 às 18:55link do post | adicionar aos favoritos

20 de Dezembro de 2008

 

Fui tomar café ao sitio do costume.

Logo depois de me sentar notei que havia um gajo engraçado sentado mesmo a minha frente.

Embora estivesse sentado numa mesa sozinho, estava a conversa com um casal na mesa ao lado.

Sempre que podia trocava olhares comigo. A determinada altura ajeita o enxumaço a olhar-me nos olhos.

Que será que ele queria?

Eu ia trocando sms com o meu nino a contar-lhe tudo. E sempre que podia ia também olhando para ele. Estava-me a dar gozo!

Daqui a pouco vou trabalhar. Não me apetece nada....

R


O que me dizes?
Por: Ray, em 20.12.08 às 18:52link do post | adicionar aos favoritos

15 de Dezembro de 2008

 

Hoje foi o dia do meu nino encontrar antigos engates!

Veio ter comigo a meio da tarde e trouxe-me de novo o pequeno almoço à cama. É mesmo bom estes miminhos!

No final de me despachar fomos dar uma voltinha ao shopping.

No meio de tanta gente que lá andava, ele indica-me um gajo novo, com tiques afemeninados que estava sentando num banco. Disse-me que já o tinha comido. O gajo fartou-se de olhar para o meu G.

Passado um bocado, entramos na salsa, e no final de ele ter desarumado meia loja, e de me doer as mãos de tanto tempo de estarem nos bolsos, saimos. Foi quando me disse que lá dentro estava outro gajo que também já tinha comido. Voltei rápidamente para trás para ir ver quem era.

O meu nino disse-me onde ele estava e estive que passar mesmo ao pé dele. Era um quarentão muito charmoso, que estava com a mulher. Mas mesmo assim, fartava-se de olhar para nós. Por coincidencia, saimos os quatro quase ao mesmo tempo da loja. O quarentão, a esposa, eu e o meu homem. O gajo depois de olhar para trás para se certificar que nós viamos, levanta a camisola um pouco e depois puxa as calças bem para cima de modo que se viu o contorno do rabo bem.

O G. disse-me que agora ele está mais gordo que antes, mas que tinha um pau que é um espetáculo. Grande e grosso. Acredito nele.

Continua a ser estranho e ao mesmo tempo engraçado encontrar antigas curtes. Sejam minhas ou do G.

R.

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 20.12.08 às 18:51link do post | adicionar aos favoritos

12 de Dezembro de 2008

 

Hoje mais uma vez andamos ás compras.

Ou melhor o meu nino andou. Eu agora aprendi a entrar nas lojas com as mãos nos bolsos e a não tocar em nada.

Ficamos pela cidade, e fomos ao shopping.

Já no final de tudo resolvemos jantar por ali mesmo. Quando estavamos a entrar nas escadas rolantes para o piso dos restaurantes, o G. disse-me para ir com ele ao wc rápidamente. Olhei para ele com cara de admiração. A caminho disse-me que sem querer olhou para um gajo que por sua vez olhou também e agora vinha atráz de nós  e ele queria ver se nos seguia até ao wc.

Entramos, eu fiquei num urinol e ou meu G. no da outra ponta. Passado segundos o tal gajo entra e mete-se no urinol mesmo ao lado do meu homem que quase se enfiou todo dentro do dele. Como eu estava a alguma distancia conseguia ver-lhe o pau. Já estava teso. O G. rapidamente acabou e foi lavar as mãos. Eu fiquei mais um pouco só para ver o que acontecia. O tal gajo começou a afastar-se um pouco para eu lhe ver o pau enquanto tentava ver o meu também. Por acaso ele tinha um belo pau.

Sai também e fui lavar as mãos. O gajo continou no urinol e sempre a olhar para nós!

Quando saimos do wc consegui de novo ver o pau do gajo.

Já a caminho do jantar, enquanto falavamos do gajo, foi quando o reconheci!

Eu já o tinha comido. É um gajo novo, surdo-mudo, tem um belo pau e cu. Peludo e gosta de levar com ele todo!

A última vez que o vi, foi já há mais de um ano, quando fui a toirada. No intervalo fui ao wc e ele estava lá. Viu-me e como não havia lugar no urinol eu entrei num cubiculo onde está a sanita, e mal eu entrei e sem ter tempo para fechar a porta o gajo entrou comigo.

Naquele dia passei-me. Estava o wc cheio, e não queria nada ali. Naquele dia mandei-lhe um olhar daqueles, e nem mijei. Abri a porta para sair dali, o pior foi que assim que abro a porta e ponho um pé fora, apareçe um homem de frente para entrar, e assim que este abriu a porta viu o tal gajo lá dentro também. Fugi dali a sete pés.

Não percebi se hoje o gajo me reconheceu a mim e foi por isso que veio atráz de nós, ou se foi apenas por ter trocado olhares com o meu nino.

É estranho ver antigas curtes, mas não sinto nenhuma saudades daqueles tempos.

O meu nino é tudo o que preciso!

R.

 

Palavras-chave: , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 10.12.08 às 03:11link do post | adicionar aos favoritos

1 de Dezembro de 2008

 

Fim-de-semana grande!

Como o tempo esteve cinzento e muito a dar para o chovoso o meu nino não abriu o tasco dele e como tal tivemos estes dias juntinhos.

Como trabalho de noite, e ele acorda sempre antes de mim, quando chega trás me algo para eu comer. É tao giro e bom ter o pequeno-almoço servido na cama.

Aproveitamos e fomos dar um giro. Direcção Carregado para visitar o Campera outlet.

Já caminho na A1 claro que tivemos que parar na área de serviço de Aveiras para ver quem andava por lá ao engate. Óbvio que haviam lá gajos no wc, mas desta vez nem uma pila conseguimos ver.

Quando chegamos ao Campera é que o meu stress começou. Custou-me a disfarçar mas o H. acho que nem percebeu.

Andei a tarde toda com as mãos nos bolso. Entramos em quase todas as lojas, mas as minhas mãos não saiam dos bolsos. Tinha medo que se começa-se a mexer na roupa encontra-se algo que de facto gostasse e como não tenho meios não poderia comprar, e aí acho que o meu nível de frustração aumenta-se ainda mais!

O H. divertiu-se muito. A exprimentar casacos e tudo o mais. Eu nem olhava com olhos de ver para as prateleiras. E quando por acaso via de relance algo que me agradava, sentia o meu coração a ficar pequenino e apertado e as lágrimas a querem sair pelos olhos e fugia rápidamente dali.

Foi de facto muito frustrante para mim. Não o facto de andar a acompanhar o meu namorado, mas estar ali e lembrar-me do que foi o meu natal passado, do que planei no principio deste ano quando comçei o novo trabalho (que agora já não tenho!).

Pensava eu que este ano ía ter um natal diferente, melhor. Em que poderia dar mais umas prendinhas, e tratar-me melhor. Comprar uma roupinha e até uma prenda boa a mim mesmo. Logo desde Fevereiro que planeava comprar uma coisa como deve ser ao meu nino, e agora que chegou a hora....nada! Este natal vai ser ainda pior que o do ano passado.

Sinto-me ainda mais triste e frustrado!

Mesmo quando andavamos entra e fora das lojas, nem os gajos bons que por lá andavam me alegravam. Nem animo tinha para apreciar com o meu H.

Ando mesmo triste. Este é mesmo um mês negro para mim!

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 27.10.08 às 16:52link do post | adicionar aos favoritos

             25 de Outubro de 2008

 

            Grande stress hoje.

            Ontem quando cheguei a casa, e liguei a net, entrei no tal site em que tenho um perfil. Tinha uma msg de um gajo com quem estive a teclar um pouco. O gajo fartou-se de insistir para se encontrar comigo e eu sempre a dar-lhe nega e a dizer-lhe que tinha namorado. Antes de ir para o bar ele manda-me uma msg onde diz que já nos viu (a mim e ao H.) no bar gay e disse que eu estava muito bem entregue. Isto fez-me perguntar se nos conhecia. A resposta só a recebi quando voltei do bar.

            Dizia: “quase que te tive na mão”. E o perfil já havia sido cancelado. Começei a bater mal. Ainda nem sei bem o k significa. Mas não gostei do tom.

            Começei a matutar, a tentar perceber....e a minha cabeça a fazer filmes. Ao lembrar-me da linguagem que usou nas msg, e da forma que insistia para que eu me encontra-se com ele e depois aquela ameaça. Comecei a pensar merdas. Pensei que podia ser o meu menino a por-me a prova. Entao fiz algo que não devia. Entrei no mail dele, e o que lá encontrei fez-me chorar.

            Agora sei que foi concidencia, mas no mail dele estava uma foto que o gajo que se meteu comigo tinha no perfil.

            Depois disto costou-me a adormecer. Chorei a grande parte da noite.

            Durante o dia claro que não estive bem. E fartei-me de perguntar ao H. se tinha algo para me dizer. Preferia que se fosse ele ou ideia dele que me contasse antes de eu lhe perguntar. Tivemos mesmo uma tarde infernal. Os dois.

            Quando finalmente chegou a casa, confrontei-o logo. Disse-lhe o que pensava e como havia chegado aquela conclusão. Depois de falar-mos e esclarecer-mos as coisas, ele também concorda que é uma grande concidencia. E que o gajo que se meteu comigo, ou é alguem que quer foder comigo, ou então alguma ex-curte que queria fazer chantagem comigo.

            De qualquer forma não gostei, e o que é certo é que eu e o meu nino andamos na merda o dia inteiro à custas disto.

       R.

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 02.09.08 às 16:25link do post | adicionar aos favoritos

27 de Agosto de 2008

 

Saímos do hotel para comer algo.

Ainda estavamos cheios do enorme almoço, mas sabiamos que tinhamos que comer algo porque depois iriamos ter fome e nada para comer. Decidimos ir à Brasileira, comer umas tostas.

 

 

Mas pelo preço que pagamos mais valia ter ido a um restaurante!

Ficamos sentados na esplanada, e deu para apreciar o que por alí se passeava. E pela quantidade de gays (alguns bem bixas) percebemos que a noite seria em grande. afinal é verdade o que se diz: "Bicha que é bicha toma café na Brasileira"

Pegamos num roteiro gay que trouxemos do hotel, e fizemos-nos ao bairro alto.

 

Primeira paragem “Portas Largas”, bar que já tinha ouvido falar. Chegamos, por mais estranho que possa pareçer não tinha café nem muitos gays sentados por lá. Pedimos uns safari e ficamos a observar e a conversar. Derrepente o meu nino teve uma emergencia e tivemos que sair a correr para o hotel que por sorte fica mesmo ao virar da esquina e fomos para o quarto para o meu menino ir cagar.

Antes de sair-mos fomos de novo á janela, onde ouvimos os franceses a falar e a combinar o jantar. Aguardamos um pouco e quando nos apercebemos que estavam a sair, arrancamos também. Passamos por eles nas escadas e logo alí os gajos mandaram uma serie de piropos.

Como sairam ao mesmo tempo que eles, e porque não paravam de olhar para trás decidimos ver para onde iam. Se gostassemos ficariamos também. Pelo caminho olhavam para nós e riam, e nós faziamos o mesmo. Afinal sentaram-se numa esplanada para jantar, e nós seguimos em frente, depois de ouvir uns assobios e mais uns piropos.

Como não sabiamos para onde ir, e como ainda a noite estava fraca, pegamos de novo no roteiro que tinhamos e fomos visitando mais uns bares. Sempre que decidiamos mudar de bar, passavamos na esplanada do restaurante onde ele estavam a jantar para mais uma troca de olhares, sorrisos, assobios e piropos.

Entretanto e com o passar das horas cada vez se via mais gente na rua. Quando chegamos de novo ao “ Portas Largas” já um grupo grande se concentrava na rua, a beber. Muitos deles gays. Decidimos ficar um pouco por ali. Começamos então a jogar um jogo. Ver quem conseguia mais olhares provocantes. Daqueles olhares de flirt. Logo ali consegui 1! A noite defenitivamente começava a animar-se!

Começamos então uma corrida das tascas. Paravamos em todas as que tivesse  gente gira à porta. Numa destas voltas, reparamos que numa das travessas, havia um travestti, tivemos que ir investigar. Era o “setimo céu” a traveca chamava-se “Betty Brown”, sentamo-nos um pouco lá e nem por isso gostei muito.

Quando saimos, e logo que viramos a esquina, numa zona onde se concentram 4 bares, deparamos com muita, muita gente. Aliás, foi a primeira vez que vi tanto gay por metro quadrado.

E assim foi durante horas. Beber, trocar olhares, fazer flirt, dar mais uma volta até ao portas largas, passar pelo restaurante dos outros, voltar a esta esquina. Muita gente gira, muita gente a dar-se tambem ao flirt, gajos que ao passarem por nós nos comprimentavam, e numa nota negativa, foi nos oferecido venda de droga por 6 vezes.

Já no final de muitas imperias, começou a romaria ao w.c. numa destas idas, um gajos com quem havia trocado olhares durante bastante tempo, seguio-me até à casa de banho. Enquanto eu mijava, ele meteu-se no urinol ao meu lado, sacou da pila (pequenita), mas já tesa. Claro que olhei, e ele olhou para a minha. Sacodi, sorri-lhe e fui lavar as mãos, ele passa por trás e roca-se em mim. Mesmo muito. Ainda bem que estavam a entrar gajas, porque assim ele saiu. Não sei bem até que ponto é que ele estava a pensar ir.

Saí dali e fomos de novo até à esquina fantastica.

Nesse sítio, alem de muitos gays, também se encontravam muitos casais hetros, num convivio que me surpreendeu. Todos, gays e hetros na boa, a conviver e a viver a noite.

Com cada vez mais alcool, e cada vez mais flirt, e o meu nino também, estava mesmo a divertir-me muito.

A determinada altura, sem perceber muito bem como (o alcool já era bastante) meti conversa com 2 gajas que passaram por mim. Era australianas,  e param ali porque havia muitos gajos giros. Quando lhes disse que a maioria eram gay, fartaram-se de rir. O meu H. não foi de modas e perguntou-lhes logo se eram lesbicas. Mas não eram.

Ficamos os 4 à conversa montes de tempo. O meu nino de vez enquando ia ou buscar bebidas ou ao w.c. e conforme me disse mais tarde, numa dessas ida à casa de banho, um gajo estrangeiro que já nos tinha dito “ola” numa das ruas, chegou ao pé dele e deu-lhe dois beijos na boca no meio do bar.

Só soube depois, mas até o numero de telemovel deu ao H.

Ainda ficamos nesta romaria de bar em bar mais um bom bocado, mas já o alcool começava a pesar, e as horas a avançar e tinhamos que acordar não muito tarde para sair antes do meio-dia, e decidimos ir para o quarto. Sei que o meu nino também já estava bem quentinho pois, sem os pudores do custume, deu-me beijos longos e bem quentes no meio da rua em frente a toda a gente.

Quando chegamos ao quarto, o H. ainda mandou umas quantas sms ao outro que lhe deu o numero. O gajo queria que ele fosse ter com ele ao hotel, as 11h, quando o namorado dele fosse sair.

Sei que se eu não existisse na vida do meu nino ele teria ido.

E o resultado do jogo do flirt ficou nos 2 para o H. 4 para mim. Por isso se o H. não fosse meu namorado também não teria ido para a cama sozinho na visita ao bairro alto.

Rapidamente nos metemos na cama, e não houve nada mais. Eu quando estou bêbado, não ganho tesão. Ficaria para amanha.

Mas o balanço é muito bom.

Ambos adoramos! Temos e vamos ter que repetir!

R.

Palavras-chave: , , , ,

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory
subscrever feeds