O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 15.06.09 às 19:59link do post | adicionar aos favoritos

15 De Junho de 2009

 

Andei ausente e sem nada escrever durante bastante tempo. Mas por bons motivos. Primeiro o meu aniversário, depois a preparação para uma feira na qual o bar esteve e por fim, e a melhor de todas as razões o meu nino esteve de férias aqui junto a mim!

O meu aniversário já passou. Mais um ano... ando a ficar velho. O meu nino encheu-me de prendas. Um perfume óptimo, e umas t-shirts LINDAS!!! Deve ter gasto uma fortuna, aquele borreguito! Mas adorei. Na noite antes do meu aniversário fui trabalhar. E por acaso apareceram lá um grupo do qual gosto bastante. Uma antiga colega de trabalho e mais alguns amigos dela que entretanto são clientes frequentes do bar. E não sei bem como, lembraram-se que fazia anos, e sem eu perceber à meia-noite levantaram-se e começaram a cantar-me os parabéns e traziam bolo com velas e tudo. Fiquei emocionado. É mesmo daquelas coisas que não estava mesmo nada a ver acontecer.

Pouco dias depois do meu aniversário o meu nino entrou de férias.

Infelizmente não pode tirar férias desta vez. Nem mesmo folgas tive. A custa da feira e das celebrações dos feriados da semana passada não houve maneira de tirar dias.

Mas não foi por esse motivo que não tentei tudo por tudo para não frustrar as férias do meu amor. Ainda que todas as noites fosse trabalhar e ele sempre vinha comigo e estava lá ao meu lado, durante o dia deu para fazer algumas coisas.

As celebrações do 10 de Junho foram muito expressivas aqui na cidade. De facto foram como nunca haviam sido celebradas.

Militares e policias por todo o lado. Num dos jardins da cidade os militares montaram uma enorme exposição a qual eu e o H. fomos amiúde. Não só pela exposição em si, na qual estavam coisas e equipamentos que nunca havia visto ao vivo, mas especialmente pelos militares. Cada homem....cada corpo.... loucura!

E ainda por cima um grupo deles fez do bar quartel-general da bebedeira nocturna durante a sua estadia na cidade. Todas as noites a mesma loucura. E havia um deles que embora desse uma de macho, fartou-se de olhar para mim e para o H. lá no bar.

Dormir, também dormimos muito. Conseguimos ir à praia algumas vezes. Mas só de uma delas é que apanhamos bom tempo. De todas as outras, se tivéssemos levado um cobertor acho que o teríamos usado.

Descobrimos entretanto que nas dunas entre o Baleal e Peniche também se faz nudismo e que é uma zona de engate gay. Fomos lá 2 vezes, mas sinceramente não se viu nada de jeito. Talvez a conta do frio que estava.... mas ainda lá temos que ir mais algumas vezes para tirar isso a limpo.

Foi semana e meia de namoro contínuo. E muitas coisas pequenas, outras maiores se passaram. Não vou dize-las todas. Mas aprendi e o nosso amor cresceu e ficou mais forte.

AMO-TE H.! OBRIGADO POR TUDO!

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 24.05.09 às 19:35link do post | adicionar aos favoritos

            23 De Maio de 2009

 

            Acabei de chegar da discoteca.

            Ao final da tarde saí de casa para ir comprar algo para o jantar. Antes de ir à mercearia, fui tomar um café na pastelaria do costume. A tal dos quais os donos são também um casal gay. Na conversa com eles, quando lhes disse que tinha que ir ás compras para o jantar, convidaram-me para jantar com eles ali na pastelaria. Aceitei. Gostei do gesto e da conversa durante o jantar.

            Embora me conheçam há pouco tempo já me tem como confidente. Falamos de alguns dos problemas que tem, da família etc. e tal.

            Eu devo ter cara de padre. Já não é a primeira vez que noto que á vez, ora um ora outro desabafam comigo. Ora de algumas frustrações que tem, ou do trabalho.... Acho que se está a criar uma bela amizade. Depois do jantar, fiquei por lá! Também não tinha nada para fazer em casa. Ali pelo menos me entretinha ou a falar ou a ler uma revista ou jornal.

            Já no final da noite, quase a fechar convidaram-me para ir à discoteca com eles. Apercebi-me que não seriamos só os três. Uma moça que trabalha lá também viria. Depois de falar com o meu nino, aceitei. Apenas porque não seriamos só eles e eu.

            Embora tenha prometido a mim mesmo que não o faria tão depressa, acabamos por ir para a horta da fonte. Até me diverti. Não ficamos muito tempo, mas foi engraçado. Embora haja flirt entre nós, nada que seja sério ou perigosamente real.

            Foi giro, mas faltou-me o essencial. O meu H. sentia-me estranho sem ele por perto. Mas é bom saber que a nossa relação permite noites como esta.

            R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 18.05.09 às 19:52link do post | adicionar aos favoritos

15 de Maio de 2009

 

Não tinha grandes planos para estes fim-de-semana. O mano do meu nino vinha estes dias, e o como tal o H. não deveria vir poder passar muito (ou mesmo nenhum tempo) comigo. Mas felizmente não foi assim.

Apareçeu aqui na sexta-feira e ficou. É sempre tão bom estar com o H. Mesmo quando não temos nada planeado.

Como tinha que trabalhar ele foi sempre comigo para o bar. Como as babes também vão sempre acaba por se divertir e estar entretido, ora a conversa, ou a jogar Uno ou mesmo no vicio do Travian!

No sábado foram ao bar duas pessoas que nunca esperei ver por lá!

O dono da pastelaria e o companherio. O tal que nos andou a fazer flirt há um tempo. Foi engracado. Desta vez eram eles os clientes! Já para o final da noite, quando já estava mais fraco, consegui ficar um pouco à conversa com eles. O companheiro que até então era o mais calado começa a soltar-se e a falar mais. Acho que temos um novo casal amigo. Eu e o H. sentimo-nos muito à vontade quando vamos lá a pastelaria. Ficamos frequentemente à conversa com eles, juntos ou apenas com um deles.

De resto o fim-de-semana foi sem grandes acontecimentos..... a registar apenas algo na sexta-feira à noite.

O meu nino não estava a sentir-se mutio bem por causa das alergias e saiu mais cedo do bar para vir para casa. Quando cheguei mais tarde, estava ele na caminha, e notei que antes disso, mudou os lençois, e como estava sem nada para fazer decidiu lavar o chao da casa.lol

Quando me deitei a seu lado, so me disse: “Estou todo lavadinho”. Foi a deixa para lhe fazer um daqueles cunetes que nos levam os dois ás núvens!

R.

 

Palavras-chave: , , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 22.04.09 às 20:47link do post | adicionar aos favoritos

20 de Abril de 2009

 

Já há um tempo que isto anda a acontecer. O H. até já tinha feito menção disso no seu blogue, mas eu esperei mais um tempo para dize-lo, mas hoje foi confirmado e de que maneira!

Embora se calhar já havia começado há mais tempo, só na semana em que o meu nino esteve aqui de férias é que me apercebi. Um dos gajos que é dono da pasteleria que custumo frequentar andava a olhar para nós de uma maneira que nada engana. Como lhe retribuia-mos os olhares, ele começou a ficar mais ousado. Olhava quase a descarada, piscava o olho a mim ou ao H. e sempre que nos dava o troco da despesa fazia umas festas na palma da mão. Eu e o H. achamos engraçado.

Eles são dois donos. Em termos físicos quer ele quer o outro tem muito bom ar. Ambos na casa dos quarentas. Este que faz o flirt é do agrado do meu nino. Eu pessoalmente gosto mais de ver o outro. Mas gostos não se discutem.

Hoje levei o pc para o café, como tenho andado a escrever alguns contos para o projecto “partilhate” e como já ando em fase de revisão poderia-o fazer no café. Sentei-me numa mesa bastante iluminada de modo a poder apanhar sol na moleirinha. Na mesa ao lado sentou-se o tal dono. Também ele ao pc. Estava eu entretido numa das história quando ouço o música do meu post anterior. Levantei os olhos do ecran.  No pc do J. (o tal dono do café) estava a passar o video. Ele percebeu o meu olhar e aproveitou e meteu conversa.

Começamos evidentemente por falar daquela senhora, mas rápidamente nos metemos numa amena cavaqueira. Fiquei surpreendido. Pensava que a conversa ia resvalar para o flirt descarado, mas enganei-me. Falou dele, da vida dele, de projectos em que está envolvido, e já nem me lembro muito bem como a conversa foi parar ao estado civil. Já tinha sido casado, e que já conhecia o J (o outro dono do café) há muitos anos, e que nunca havia suspeitado, mas a vida é assim.... e que já havia se importado mas agora passava-lhe ao lado o que as pessoas diziam dele, e da sua orientação sexual etc e tal.....por outras palavras acabava-se de se assumir, a ele e ao companheiro, e claro que também não dei parte fraca, falei de mim e do H. como companheiros e namorados que somos.

Gostei da conversa. Especialmente por não ter tido qualquer tipo de tensão sexual. Apenas conversa simples e sincera. Sem jogos de palvras. A conversa normal de duas pessoas que se acabaram de conhecer, e que coincidentemente tem um “segredo” em comum. Agora já conheco mais um casal gay aqui na cidade, e acho que isso é uma coisa muito positiva.

R.

 

Palavras-chave: , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 21.02.09 às 17:27link do post | adicionar aos favoritos

21 de Fevereiro de 2009

 

Mesmo sem estar com o meu nino acho que este vai ser um bom sábado e domingo.

Ontem ele esteve cá. Foi tão bom estar nos miminhos com ele.

Hoje levantei-me já tarde. O J. ontem lembrou-se de exprimentar uma nova bebida que vou não sei onde. Caipirinha de banana. Gostei. Mas como tinha jantado apenas uma sopa e uma sandes algumas horas antes, a cachaca da bebida bateu, e já vim com um grãozinho na asa para casa.

Hoje quando fui ao café, e enquanto lia o jornal, entrou o homem do talho e um outro gajo muito giro que trabalha na mercearia aqui perto. Comprimentaram-me os dois, e enquanto estava ao balcão o gajo do talho pôe as mãos nos bolsos e toca de puxar as calças (que são brancas e de tecido leve) para cima de modo que se notava o enxumaço todo. Primeiro fez isto de costas para mim, e depois virou-se mesmo para mim e toca a fazer o mesmo de novo. Acho que foi mesmo uma provocação!

Hoje é a primeira noite da festa de carnaval lá do bar. Até vamos mascarados.

Vou de romano. Depois até vou por aqui algumas fotos!

Acho que vai ser divertido.

R.

 

Palavras-chave: , , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 05.01.09 às 19:14link do post | adicionar aos favoritos

3 de Janeiro de 2009

 

Como o tempo estava de chuva o meu nino não teve que abrir o tasco dele.

Logo depois de almoçar veio ter comigo. Nem sequer quis vir ter comigo ao apartamento, disse-me para me despachar e que nos encontrariamos no café do custume.

Depois de chegar e tomar café, seguimos para o Forum Montijo. Ando a precisar de comprar uma roupinha, e queria aproveitar os saldos. Queria ir ver se encontrava algo de jeito na Zara e assim, e ainda aproveitava-mos para ver se havia uma aliança igual a que o H. perdeu.

Pelo caminho, ainda tentei dar-lhe um beijo, que seria o primeiro do dia, mas ele não quis aceitar e fugiu com a cara.

Quando chegamos ao Montijo apanhamos montes de transito. Parece que toda a margem sul resolveu ir aquele espaço. Ainda assim tivemos sorte, estava um carro a sair e conseguimos um lugar mesmo a porta.

Logo que entramos, fomos ao wc, e regalamos os olhos numa grande pila de um gajo que estava ao nosso lado nos urinois.

Quando finalmente chegamos a ourivesaria, e começamos a ver as alianças, tivemos azar. As que havia do mesmo modelo eram todas ou muito grandes, ou muito pequenas. Tivemos que optar por outro modelo. E assim hoje temos alianças novas. Estas sao mais finas que a outra, e na minha opinião muito mais “aliança classica” mas gosto mesmo muito. Resta saber quanto tempo o H. a irá usar antes de a perder.

Já com a nova anilha no dedo, e com os pés a caminho das lojas de trapos, reparamos que por ali andavam 2 ou 3 casas gays também.

E aqui começou a minha frustração. Não encontrei nada que gostasse.

Na Zara era tudo feio, na Springfield a roupa só me fazia lembrar os morangos com açucar, na H&M ou era tudo muito “beto” ou nada tinha a ver com o meu estilo.

O H. bem que tentou, dar-me dicas, revolvia as preteleiras todas à procura, mas tudo o que me mostrava eu não gostava. Sei que o deixei um pouco frustrado, mas não mais do que eu estava. Até me doia a cabeça com a revolta que sentia por não ser capaz de encontrar algo que gostasse para comprar.

Acabei por trazer apenas um polo da Quebramar. Não por ter gostado assim tanto dele, mas apenas para não deixar o meu nino tão triste.

Jantamos por lá rápidamente e voltamos para casa. Tinha que ir trabalhar dali a uma hora e pouco e decidimos vir pela auto-estrada.

Já na ponte Vasco da Gama, tentei dar-lhe de novo um beijo, e obtive a mesma reacção. Não o quis. Também não insisti mais.

Quando passamos na area de serviço de Aveiras, tivemos que parar. Quando fomos mijar, vimos de novo uma pila enorme. O gajo ficou a uma boa distancia do urinol, abriu as calças todas, e sacou do bacamarte para fora na boa, e ali ficou distraido. Acho que nem reparou as vezes que eu e o H. olhamos para aquele monumento.

Quando já estavamos a entrar para o carro, o meu nino teve uma dor de barriga e teve que correr para a sanita. Coitadinho.

Enquanto estava ele a cagar, fiquei a pensar nos acontecimentos do dia. A frustração de não ter conseguido comprar roupa nenhuma, e a tristeza de sentir que o meu nino me anda a evitar, encheu o meu coração de tristeza.

Já a caminho de casa, no escuro da A1 ainda chorei sem o meu nino notar.

Apesar de pelo caminho ter-mos falado nisso, ele diz que não, que é da minha cabeça. Mas sei que não é. Algo se passa e eu não sei o que é!

Quando estacionou para me deixar sair, então sim e em jeito de despedida demos o primeiro e único beijo do dia.

Não acho normal. E é completamente diferente do que era à uns meses. Todo o dia juntos, e nem um carinho, e apenas um beijo. A caminho do bar, pelas ruas desertas chorei de novo.

Fiquei de tal maneira triste que até o J. reparou e me perguntou que tinha, que até a musica que estava a passar era triste e surombática! A custo lá mudei de tom, e tentei animar-me, mas de facto não passava de uma mascara que coloquei.

Algo se passa, algo mudou e não entendo.

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 20.12.08 às 18:55link do post | adicionar aos favoritos

20 de Dezembro de 2008

 

Fui tomar café ao sitio do costume.

Logo depois de me sentar notei que havia um gajo engraçado sentado mesmo a minha frente.

Embora estivesse sentado numa mesa sozinho, estava a conversa com um casal na mesa ao lado.

Sempre que podia trocava olhares comigo. A determinada altura ajeita o enxumaço a olhar-me nos olhos.

Que será que ele queria?

Eu ia trocando sms com o meu nino a contar-lhe tudo. E sempre que podia ia também olhando para ele. Estava-me a dar gozo!

Daqui a pouco vou trabalhar. Não me apetece nada....

R


O que me dizes?
Por: Ray, em 20.12.08 às 18:51link do post | adicionar aos favoritos

12 de Dezembro de 2008

 

Hoje mais uma vez andamos ás compras.

Ou melhor o meu nino andou. Eu agora aprendi a entrar nas lojas com as mãos nos bolsos e a não tocar em nada.

Ficamos pela cidade, e fomos ao shopping.

Já no final de tudo resolvemos jantar por ali mesmo. Quando estavamos a entrar nas escadas rolantes para o piso dos restaurantes, o G. disse-me para ir com ele ao wc rápidamente. Olhei para ele com cara de admiração. A caminho disse-me que sem querer olhou para um gajo que por sua vez olhou também e agora vinha atráz de nós  e ele queria ver se nos seguia até ao wc.

Entramos, eu fiquei num urinol e ou meu G. no da outra ponta. Passado segundos o tal gajo entra e mete-se no urinol mesmo ao lado do meu homem que quase se enfiou todo dentro do dele. Como eu estava a alguma distancia conseguia ver-lhe o pau. Já estava teso. O G. rapidamente acabou e foi lavar as mãos. Eu fiquei mais um pouco só para ver o que acontecia. O tal gajo começou a afastar-se um pouco para eu lhe ver o pau enquanto tentava ver o meu também. Por acaso ele tinha um belo pau.

Sai também e fui lavar as mãos. O gajo continou no urinol e sempre a olhar para nós!

Quando saimos do wc consegui de novo ver o pau do gajo.

Já a caminho do jantar, enquanto falavamos do gajo, foi quando o reconheci!

Eu já o tinha comido. É um gajo novo, surdo-mudo, tem um belo pau e cu. Peludo e gosta de levar com ele todo!

A última vez que o vi, foi já há mais de um ano, quando fui a toirada. No intervalo fui ao wc e ele estava lá. Viu-me e como não havia lugar no urinol eu entrei num cubiculo onde está a sanita, e mal eu entrei e sem ter tempo para fechar a porta o gajo entrou comigo.

Naquele dia passei-me. Estava o wc cheio, e não queria nada ali. Naquele dia mandei-lhe um olhar daqueles, e nem mijei. Abri a porta para sair dali, o pior foi que assim que abro a porta e ponho um pé fora, apareçe um homem de frente para entrar, e assim que este abriu a porta viu o tal gajo lá dentro também. Fugi dali a sete pés.

Não percebi se hoje o gajo me reconheceu a mim e foi por isso que veio atráz de nós, ou se foi apenas por ter trocado olhares com o meu nino.

É estranho ver antigas curtes, mas não sinto nenhuma saudades daqueles tempos.

O meu nino é tudo o que preciso!

R.

 

Palavras-chave: , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 10.12.08 às 01:58link do post | adicionar aos favoritos

29 de Novembro de 2008

 

Há semanas que não há muito que dizer.

O dia-a-dia, nada trazem de novo.

Apenas a salientar três coisas:

1º- Os dias de semana no bar não tem tido muito movimento, mas mantem-me ocupado. Na segunda-feira apareceu lá um gajo bom que meteu conversa comigo porque tinha o pc ligado e na página do travian. Ele contou-me que já foi completamente viciado neste jogo, de tal maneira que até lhe trouxe chatices com a esposa. Mas valeu a conversa. Ainda me deu uma serie de conselhos, os quais tenho utilizado e tenho notado melhorias no meu jogo. Mas na verdade, o melhor desta conversa foi mesmo o gajo. Trintão, com uma barriguita sexy, e como estava com calças claras notava-se o enxumaço todo. Tinha uma bela pila. A determinada altura, estava ele sentado, e foi coçar-se. Bem! Notava-se o material todo a abanar. Foi uma bela vista.

Na quarta-feira foi a vez de um gajo que vai lá com alguma frequencia me surpreender. Ele começou a lá ir com uma tipa. E mais uma vez, o bar “patrocina” um namoro. Vão lá quase todos os dias e temos visto a evolução da relação.

Eles estavam sentados numa mesa ao lado da minha. De repente o gajo levanta-se para dar um beijo a tipa. E para meu espanto o gajo estava de pau feito. Na posição em que estava notava-se bem. E não era efeito das calças. Era mesmo uma erecção!!!1

2º- O natal está a chegar. Eu detesto esta altura do ano. E cada vez pareçe que cada vez chega mais cedo! As decorações de natal já estão por todo o lado. Não há maneira de fugir. Raios!!!!

3º- Estou a entrar no mês que mais detesto. Sei que que vou sofrer, que vou chorar e ficar em baixo.

R.

 

Palavras-chave: , , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 16.11.08 às 18:22link do post | adicionar aos favoritos

15 de Novembro de 2008

 

Hoje sinto-me cansado e pensativo.

Embora ontem até que para sexta-feira nem houve muito trabalho, a noite ainda rendeu bem.

Como prometido o meu nino foi lá ontem, (e hoje também deve vir com umas amigas). Estava tudo a correr muito bem, conseguimos estar a falar, ele conheceu mais alguns amigos do bar (que não sabem que eu sou gay). Ainda falou com a S patroa, e a S. amiga lá do bar, afinal somos todos da mesma aliança no travian, e eles só se conhecem através de msg no jogo. Achei muito giro.

Mas sabia que a situação era boa demais para durar. De repente oiço o tlm a dar um toque de sms. Fui ver. Era uma sms do L. Não tinha nada demais, apenas a perguntar-me se tudo estava bem. Mas foi o suficiente para o H. se alterar e se sentir mal. Antes de conseguir falar com ele e tentar-lhe fazer ver que não tenho culpa nenhuma que o outro ainda me mande sms, o bar encheu um pouco mais. E inclusivé chegou o meu mano e a minha cunhada, que se como é obvio ficaram a conversar com o H. e eu já não estive maneira de falar com ele sobre nada.

Entre trabalho e dois dedos de conversa aqui e ali, o tempo passou. O H. foi para casa e eu fiquei ali a pensar e com o forte sentimento que já havia merda entre nós.

Com o avançar do tempo, entravam e saíam clientes, até que entraram dois gajos. Um é daqueles já faz parte da mobilia da casa, e desta vez vinha com um gajo que eu nunca lá tinha visto. O gajo nem era bonito, mas estava muito bem vestido. Estilo betinho, com uma barriguita, como tinha 3 botões da camisa abertos vi que era mesmo muito peludo. O pior é que começei a perceber que o gajo fartava-se de olhar para mim. Sempre que eu olhava, ele estava a olhar para mim. Uma das vezes, enfrentei o olhar, e ele não desviou. Ficou ali a olhar-me nos olhos, até que fui eu a desviar o olhar. Já me estava a passar. Pareceu que me estava a galar alí, ao pé do amigo, e eu a trabalhar. Estava mesmo com medo que alguem mais notasse.

Ainda lhe consegui ver o enxumaço, como ele estava com calças claras, via-se bem, mas não parecia nada bem dotado. Um pau canito e extranhamente ajeitado para a direita.

Quando me apercebi que o gajo não parava de olhar, fazia tudo para evitar estar por perto dele. Mas eles meteram-se ao balcão e não consegui fugir muito mais.

Com o andar das horas e das imperiais que bebiam, eles ficavam cada vez mais bêbados. A determinada altura, enquanto eu fumava na ponta do balcão, ele vira-se para mim e para o outro amigo dele e diz: “Tenho que me ir embora. Não posso me embebedar. Tenho que ir cobrir. Ou me vou embora, ou tenho que tratar disso aqui.” E ficou a olhar para mim. O amigo ria-se, e eu só lhe respondi que a unica coisa em que o poderia ajudar era dar-lhe uma camisinha. E rimo-nos todos. Mas não achei muita graça.

Passado pouco tempo, duas imperiais depois, volta a ter esta conversa, desta vez só para mim. Nem lhe respondi. Acho que se não fosse a situação que se tinha passado antes com o meu nino, se não tivesse preocupado e triste, até tinha achado piada a este flirt e até ter feito mais flirt, so para ver se o gajo se espalhava ao comprido ao pé do amigo.

Felizmente eram horas de bazar e eles sairam antes de mim, e não tive que falar mais com ele.

Quando cheguei a casa e liguei o pc. foi ao blog do meu lindo, e vi que as coisas não estavam nada bem. Já nem sei mais o que fazer.

Não respondo as sms do outro já mesmo para não o encorajar, já lhe disse que tenho namorado, não sei mais o que fazer. Mas sei que H. pensa que não faço nada para isto para de aconteçer.

Enfim..... Há mesmo noites de merda.

R.

 

Palavras-chave: , , , ,

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory
subscrever feeds