O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 21.07.10 às 16:59link do post | adicionar aos favoritos

20 De Julho de 2010

 

Ontem senti de novo toda a dor, solidão e desamparo em que estou desde que o meu namoro acabou.

Estava de folga e decidi ir dar uma volta a cidade para arejar. Aproveitei e cortei o cabelo. E depois foi o pior do dia.

Saldos. Por todo o lado saldos.... e eu sem o H. para ir-mos ás compras.

Preciso mesmo de comprar alguma roupa. Calças, t-shirts e pólos. Nada de mais é certo. Mas era com o H. que contava para me ajudar sempre. Como sou daltónico e o meu gosto é muito discutível era e foi sempre o H. que me ajudava a escolher. Adorava ir com ele. Mesmo que nada comprasse para mim, ver e sentir a alegria e a energia dele quando andávamos de loja em loja, de compra em compra era para mim um mundo.

Já nem falo tanto em sair daqui onde só há meia dúzia de lojas que valham a pena e ir a lx ou outro qualquer sítio, isso como não tenho carro está completamente fora de questão. Mas o que me entristeceu foi mesmo a falta da ajuda dele.

Nunca saberei se ele tem a consciência da falta que me faz, mesmo nas coisas mais banais da minha vida. De tudo o que ele era para mim. De tudo o que fez por mim.

Uma das muitas coisas que ele fez foi isso mesmo. Ensinou-me a vestir-me melhor. A sentir-me bem comigo mesmo e com a roupa que visto. Pode parecer vaidade e futilidade, mas a verdade é que isso aumentou e muito a minha auto-estima.

Amo-o muito ainda. E acho que para sempre. Com o tempo vou aceitando que nunca mais será meu.

Mas hoje senti-me sozinho. Demasiadamente só!

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 21.07.10 às 16:57link do post | adicionar aos favoritos

18 De Julho de 2010

Fim de um fim-de-semana de bebedeira.

Desde quinta-feira que foi um desatino. Todos os dias uma!

Na quinta-feira por brincadeira no final da noite lá no bar, a patroa e eu decidimos ir para a discoteca cá do sítio. Como era a última noite académica, decidimos ir ver e desanuviar as ideias. Eram só putos que por lá estavam... Metemo-nos nas mínis e foi o que foi. Cheguei a casa já muito depois das 5 da manha e já a cambalear.

Na sexta-feira a culpa foi de um grupo que foi lá ao bar. Começaram a beber shots. Mas só bebiam se bebesse também... para não dar parte fraca, lá bebia também. Para o final o meu já era quase só sumo.... tinha que continuar a trabalhar.... mas ainda assim já cheguei alcoolicamente bem disposto a casa.

No sábado, o que começou por ser uma noite muito calma, acabou comigo a quase desesperar por um pouco de paz e tempo para fumar um cigarro.

Como o calor era muito atrás do balcão ia bebendo umas mínis.... e mais umas.... e ainda mais umas.... e como a maior parte estavam a ser pagas por clientes, muitos dos quais fazem parte do tal grupo que secretamente sabem  que sou gay, deixei-me ir na onda. Para acabar a noite em grande, mais uma vez eu a patroa fomos para a discoteca. Desta vez uma a que não costumamos ir, por passar maioritariamente musica latina.... foi mais uma vez o descalabro....

Felizmente em nenhum dos dias fiquei com ressaca. E sempre deu para esquecer um pouco a tristeza que trago comigo desde que o o H. acabou.

Mascarada mas não esquecida essa dor!

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 14.07.10 às 17:11link do post | adicionar aos favoritos

14 de Julho de 2010

 

Ainda meio abananado por tudo o que senti no domingo, na segunda-feira tive uma grande notícia e uma bela surpresa.

As custas do patrão estar de féria, tenho andando a trabalhar também nos meus dias de folga. Já passava da meia-noite quando o M. um dos antigos donos do bar entra porta a dentro.

Começamos a conversar, e já no final de duas mínis, a conversa começou a entrar num campo um pouco estranho.

Começou por falar que ele e a B. (a namorada) andavam preocupados comigo, que sabiam que algo se andava a passar, tudo isto apenas como somos amigos no facebook, tem andando a seguir o “estado” e as músicas que tenho publicadas por lá.

Confirmei que sim. Que não andava bem. Que tinha o coração partido. Ele começou a procurar palavras.... a gaguejar.... e eu a ver onde a conversa ia parar.

Sem mais rodeios, ele disse-me que sabia da minha verdadeira orientação sexual. E  mais, que não só ele e a namorada, mas todos o do grupo de amigos. E que não fazia qualquer diferença.

Fiquei desarmado. Embora nunca tenha escondido lá no bar, também nunca o assumi directamente. Foi bom sentir a amizade e o apoio dele.

Embora o bar fechasse ás 2 da manha, ficamos lá a conversar até as 4h.

Estava a precisar de desabafar. De falar. E para surpresa minha foi com quem menos esperava. Mas acho que assim é que se vêem os verdadeiros amigos.

Agora resta-me averiguar umas coisas. Como os meus actuais patrões e as babes fazem parte do tal grupo de amigos a que ele se referia, será que também já sabem? Sempre souberam? E se sim, porque nunca me disseram nada?

Mas pelo menos senti-me mais leve na segunda-feira.

E agora o H. já poderá saber algo que sempre tinha curiosidade. Por que razão quando ele estava no bar, o grupo o cumprimentava tão efusivamente. Faziam-no porque sabiam que ele era o meu namorado e queriam-no fazer sentir também parte do grupo.

Agora que já não tenho relação com ele, é que fico a saber uma coisa destas.

Enfim.... mais uma coisa que fico a perder!

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 10.07.10 às 16:28link do post | adicionar aos favoritos

10 de Julho de 2010

 

Sinto tanto a falta no H.

Na quinta-feira até lidei bem com isso, entretido que estava em arrumar o resto do quarto, e tudo mais. Mas ontem foi demais. Fartei-me de chorar de novo. Mesmo antes de abrir o bar. Os primeiros clientes notaram e tudo.

Nunca pensei que fosse tão difícil. Nunca me passou pela cabeça, em momento algum que fosse tão duro e tão incrivelmente doloroso.

As babes lá do bar fazem de tudo para me animar. Mesmo não sabendo verdadeiramente o que se passa, (embora não sejam burras e de certeza que já juntaram um mais um), mas não conseguem tirar-me deste estado de inanimação em que estou. Dizem vezes sem conta que já não lhes pareço o mesmo. E isso é a verdade.

Mesmo que durante o dia me entretenha na net ou a ver tv, o caminho que faço para ir para o bar deixa-me sempre triste. Era nessa altura que normalmente ligava ao H. e estávamos a conversa até chegar ao destino. Sinto falta disso.

A minha ex-cunhada (sim, o meu irmão separou-se dela entretanto) teve ontem no bar. Olhou para mim 20 segundos e disse-me logo que não estava bem. Olhei para ela e antes que pudesse dizer alguma coisa ela remata: “estás só!”. Com o balcão cheio de gente, lá inventei que o fumo me entrou para os olhos e por isso ter soltado lágrimas.

Doi-me o coração. Agarrado ainda a quase nula esperança que um dia em breve ele se aperceba que afinal me ama, e que voltará para mim, é o que me dá as poucas forças que me fazem andar. E isso sim, é apenas a minha imaginação.

Todos os dias lhe escrevo uns sms, que eventualmente apago e não envio. Não o quero aborrecer. Será que ele já me ultrapassou? Já me terá arrumado na memória? Eu não o consigo fazer.

 

Queen- Love of my life.

 


 

 

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 11.07.09 às 18:37link do post | adicionar aos favoritos

10 De Julho de 2009

 

O blogue anda ao abandono.

Se calhar deveria dizer que é por pura preguiça. Mas também não é bem isso. Apenas não tenho tido vontade de escrever. De vez em quando ainda abro o PC, mas nada saí. Fica o cursor ali a piscar.... e mais nada. Nem meia dúzia de caracteres para construir uma palavra.

Deve ser só uma fase.

Obrigado a todos os que tem comentado e visitado. Tentarei fazer um esforço maior para manter o blogue actualizado.

Beijo as ninas e abraços aos barbudos!

R.

 

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 17.06.09 às 19:38link do post | adicionar aos favoritos

16 De Junho de 2009

 

Ao chegar ao café do costume, e enquanto pegava no correio da manha para me entreter enquanto tomava o pequeno-almoço, dou de caras com um flyer a anunciar a parada gay deste ano. Será dia 20 de Junho no Príncipe Real em Lisboa.

Não sou a favor deste tipo de eventos.

Embora ache que se tem que continuar a lutar por direitos iguais, e pela maior aceitação da sociedade, acho que não passa de todo por acontecimentos destes.

Os excessos que alguns participantes cometem chocam demasiado as pessoas e criam uma imagem deturpada do que é ser gay. Não me identifico com nada disso. Luto pela indiferença, não concordo que haja paradas para lembrar que ser gay, é ser diferente, porque não o é! Sou tão ser humano como qualquer outro!

Outra coisa que me faz pensar é o nome. “Orgulho lgbt” (lgbt = lésbicas, gays, bissexuais e transexuais). Pergunto: - Orgulho de quê?

Orgulho de ser gay? Orgulho de me ter assumido? Orgulho de me ver privado de alguns direitos constitucionais? Orgulho de vez em quando ser gozado, parodiado, e ser alvo de críticas? É que nenhuma destas questões é motivo de orgulho.

Nasci gay. Não escolhi! Apenas aceitei esse facto. Não me posso sentir orgulhoso de um facto do qual não tive qualquer tipo de opção. Quando oiço a expressão “orgulho gay” penso imediatamente em algo do género: “Tenho orgulho em ser 5% mais gay que a média!”...“Estou orgulhoso. Depois de tanto me esforçar durante 3 anos de estudo e trabalho afincado, finalmente sou gay!”... Não dá. Não entendo. Não me sinto orgulho. Apenas em paz com o que sou e com quem sou.

Em relação a me ter assumido, eventualmente sinto algum orgulho na coragem que tive. Mas apenas isso. Não é razão para paradas coloridas, festivas e barulhentas. Simplesmente aceitei quem sou. Da mesma forma que aceitei que sou daltónico, ou que prefiro Coca-Cola à Pepsi!

Faz tanto sentido fazer uma parada por orgulho gay, como fazer uma parada por orgulho em ter as costas peludas! Coisa que ninguém escolhe. Apenas se é, ou não! Genética!

Alguém me disse uma vez que estas paradas também servem para alertar para as injustiças e a falta de liberdade que outros países (além do nosso) praticam contra gays. Sim senhor! Muito bem. Mas alguém me consegue demonstrar na prática e na realidade que influência concreta tem estas paradas nesse países em que ainda é ilegal ser gay?

Não sou contra quem nelas participa. Mas não me revejo, nem me sinto mais livre e os meus direitos defendidos por acontecimentos destes! Pelo contrário.

R.

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 17.06.09 às 19:37link do post | adicionar aos favoritos

16 De Junho de 2009

 

O meu ouvido esquerdo anda mal.

Já há quase duas semanas que anda tapado. Ou tenho o canal auditivo muito estreito ou produzo demasiado cerume, o que é certo é que volta e meia e tenho ouvido entupido. A maior parte das vezes, não é nada de mais e passa rapidamente, mas também dá para a otite. O ano passado foram duas vezes. Em cada ouvido.

Na sexta-feira feira passada o incomodo passou a dor, e tive mesmo que ir às urgências com medo que já se tratasse de uma otite. Depois de hora e meia de espera lá fui atendido por uma médica.

Enquanto a Sra. Dra. me consultava, comecei a observar o médico que estava na secretária ao lado. Muito compenetrado no pc. mas havia ali algo que me fazia olhar. De repente o homem levantou-se, e abanava-se todo. Uma bicha autentica!

Diagnóstico: - Tenho cerume no ouvido!!

Grande novidade que a médica me deu!

Não me fizeram rigorosamente mais nada. Não por falta do equipamento, mas porque não havia ortoringo que o pudesse operar. Mais ridículo ainda, foi a quando a médica me informou que se eu quisesse chamavam uma ambulância para me levar a Lisboa para fazer uma limpeza ao ouvido, e depois me traria de volta. Agradeci a atenção e o tempo dispensando e lá me vim embora.

Aqui ando eu, com o ouvido ainda entupido, a tentar resolver a questão com otoceril e com vontade de usar um desentupidor de canos no ouvido!

R.

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 15.06.09 às 19:59link do post | adicionar aos favoritos

15 De Junho de 2009

 

Andei ausente e sem nada escrever durante bastante tempo. Mas por bons motivos. Primeiro o meu aniversário, depois a preparação para uma feira na qual o bar esteve e por fim, e a melhor de todas as razões o meu nino esteve de férias aqui junto a mim!

O meu aniversário já passou. Mais um ano... ando a ficar velho. O meu nino encheu-me de prendas. Um perfume óptimo, e umas t-shirts LINDAS!!! Deve ter gasto uma fortuna, aquele borreguito! Mas adorei. Na noite antes do meu aniversário fui trabalhar. E por acaso apareceram lá um grupo do qual gosto bastante. Uma antiga colega de trabalho e mais alguns amigos dela que entretanto são clientes frequentes do bar. E não sei bem como, lembraram-se que fazia anos, e sem eu perceber à meia-noite levantaram-se e começaram a cantar-me os parabéns e traziam bolo com velas e tudo. Fiquei emocionado. É mesmo daquelas coisas que não estava mesmo nada a ver acontecer.

Pouco dias depois do meu aniversário o meu nino entrou de férias.

Infelizmente não pode tirar férias desta vez. Nem mesmo folgas tive. A custa da feira e das celebrações dos feriados da semana passada não houve maneira de tirar dias.

Mas não foi por esse motivo que não tentei tudo por tudo para não frustrar as férias do meu amor. Ainda que todas as noites fosse trabalhar e ele sempre vinha comigo e estava lá ao meu lado, durante o dia deu para fazer algumas coisas.

As celebrações do 10 de Junho foram muito expressivas aqui na cidade. De facto foram como nunca haviam sido celebradas.

Militares e policias por todo o lado. Num dos jardins da cidade os militares montaram uma enorme exposição a qual eu e o H. fomos amiúde. Não só pela exposição em si, na qual estavam coisas e equipamentos que nunca havia visto ao vivo, mas especialmente pelos militares. Cada homem....cada corpo.... loucura!

E ainda por cima um grupo deles fez do bar quartel-general da bebedeira nocturna durante a sua estadia na cidade. Todas as noites a mesma loucura. E havia um deles que embora desse uma de macho, fartou-se de olhar para mim e para o H. lá no bar.

Dormir, também dormimos muito. Conseguimos ir à praia algumas vezes. Mas só de uma delas é que apanhamos bom tempo. De todas as outras, se tivéssemos levado um cobertor acho que o teríamos usado.

Descobrimos entretanto que nas dunas entre o Baleal e Peniche também se faz nudismo e que é uma zona de engate gay. Fomos lá 2 vezes, mas sinceramente não se viu nada de jeito. Talvez a conta do frio que estava.... mas ainda lá temos que ir mais algumas vezes para tirar isso a limpo.

Foi semana e meia de namoro contínuo. E muitas coisas pequenas, outras maiores se passaram. Não vou dize-las todas. Mas aprendi e o nosso amor cresceu e ficou mais forte.

AMO-TE H.! OBRIGADO POR TUDO!

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 24.05.09 às 19:35link do post | adicionar aos favoritos

            23 De Maio de 2009

 

            Acabei de chegar da discoteca.

            Ao final da tarde saí de casa para ir comprar algo para o jantar. Antes de ir à mercearia, fui tomar um café na pastelaria do costume. A tal dos quais os donos são também um casal gay. Na conversa com eles, quando lhes disse que tinha que ir ás compras para o jantar, convidaram-me para jantar com eles ali na pastelaria. Aceitei. Gostei do gesto e da conversa durante o jantar.

            Embora me conheçam há pouco tempo já me tem como confidente. Falamos de alguns dos problemas que tem, da família etc. e tal.

            Eu devo ter cara de padre. Já não é a primeira vez que noto que á vez, ora um ora outro desabafam comigo. Ora de algumas frustrações que tem, ou do trabalho.... Acho que se está a criar uma bela amizade. Depois do jantar, fiquei por lá! Também não tinha nada para fazer em casa. Ali pelo menos me entretinha ou a falar ou a ler uma revista ou jornal.

            Já no final da noite, quase a fechar convidaram-me para ir à discoteca com eles. Apercebi-me que não seriamos só os três. Uma moça que trabalha lá também viria. Depois de falar com o meu nino, aceitei. Apenas porque não seriamos só eles e eu.

            Embora tenha prometido a mim mesmo que não o faria tão depressa, acabamos por ir para a horta da fonte. Até me diverti. Não ficamos muito tempo, mas foi engraçado. Embora haja flirt entre nós, nada que seja sério ou perigosamente real.

            Foi giro, mas faltou-me o essencial. O meu H. sentia-me estranho sem ele por perto. Mas é bom saber que a nossa relação permite noites como esta.

            R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 24.05.09 às 19:35link do post | adicionar aos favoritos

            23 De Maio de 2009

 

            Ontem e hoje estive de folga. Como não estava mesmo nada a espera que acontecesse, eu e o meu não fizemos grandes planos juntos. Conclusão:

            Eu de folga, sem nada para fazer ou sítio para ir, e o meu nino com uma série de coisas que planeou fazer lá na terrinha dele por pensar que eu não estava de folga!

            São as voltas da vida. Infelizmente não sei quando terei outro fim-de-semana tão depressa! Ainda bem que o tempo não está bom. Assim pelo menos não puxa para fazer nada!

            R.

 

Palavras-chave: , ,

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory