O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 10.07.10 às 16:28link do post | adicionar aos favoritos

10 de Julho de 2010

 

Sinto tanto a falta no H.

Na quinta-feira até lidei bem com isso, entretido que estava em arrumar o resto do quarto, e tudo mais. Mas ontem foi demais. Fartei-me de chorar de novo. Mesmo antes de abrir o bar. Os primeiros clientes notaram e tudo.

Nunca pensei que fosse tão difícil. Nunca me passou pela cabeça, em momento algum que fosse tão duro e tão incrivelmente doloroso.

As babes lá do bar fazem de tudo para me animar. Mesmo não sabendo verdadeiramente o que se passa, (embora não sejam burras e de certeza que já juntaram um mais um), mas não conseguem tirar-me deste estado de inanimação em que estou. Dizem vezes sem conta que já não lhes pareço o mesmo. E isso é a verdade.

Mesmo que durante o dia me entretenha na net ou a ver tv, o caminho que faço para ir para o bar deixa-me sempre triste. Era nessa altura que normalmente ligava ao H. e estávamos a conversa até chegar ao destino. Sinto falta disso.

A minha ex-cunhada (sim, o meu irmão separou-se dela entretanto) teve ontem no bar. Olhou para mim 20 segundos e disse-me logo que não estava bem. Olhei para ela e antes que pudesse dizer alguma coisa ela remata: “estás só!”. Com o balcão cheio de gente, lá inventei que o fumo me entrou para os olhos e por isso ter soltado lágrimas.

Doi-me o coração. Agarrado ainda a quase nula esperança que um dia em breve ele se aperceba que afinal me ama, e que voltará para mim, é o que me dá as poucas forças que me fazem andar. E isso sim, é apenas a minha imaginação.

Todos os dias lhe escrevo uns sms, que eventualmente apago e não envio. Não o quero aborrecer. Será que ele já me ultrapassou? Já me terá arrumado na memória? Eu não o consigo fazer.

 

Queen- Love of my life.

 


 

 

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 01.07.10 às 16:13link do post | adicionar aos favoritos

1 de Julho de 2010


Fez ontem uma semana que oficialmente o H. acabou a relação.

Antes disso e durante quase 15 dias as coisas já não estavam nada bem. Não nos vimos, mal trocávamos sms, e até as poucas que eram enviadas eram num tom seco e sem qualquer tipo de assunto.

Não sei bem que estava a espera, mas numa semana nada mudou. Continuo dorido, sem sentido de direcção, sozinho e sem esperança.

Durmo mal, como mal, sempre com vontade de chorar, sem querer estar com companhia e nada me estimula. Nada!

Na minha cabeça entendo o que ele me disse, as razões para não continuar com esta relação. Os sentimentos dele em relação a mim mudaram. Já não me ama. Não sou mais que um amigo para ele.

Em mim nada mudou. Continuo a AMA-LO com todo o meu coração.

Talvez tudo isto fosse mais fácil se também sentisse o mesmo que ele. Não é o caso.

Fez ontem uma semana que perdi o meu amor. Um amor que sei que era o tal. O grande amor da minha vida.

Perdi o namorado, o amigo, o confidente, o conselheiro, o parceiro de viagens e aventuras.... o futuro. Tudo de uma só vez!

Sei bem que nunca o vou esquecer. Espero pelo tempo que o possa pelo menos ultrapassar e tentar novamente ser feliz.

Sei que a vida continua, mas esta que tinha com o H., que era a única que tinha já não existe. Como se começa uma nova vida????

R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 24.06.10 às 15:45link do post | adicionar aos favoritos

 

A relação com o meu H. chegou ao fim.

Estou de rastos, perdido, completamente só e ainda loucamente apaixonado por ele.

E ainda não é hoje que consigo lidar e despejar a minha alma.

Como tantas outras vezes na minha vida, a musica exprime o que sinto....

 

 

I Will always love you!

 

R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 31.12.08 às 02:28link do post | adicionar aos favoritos

Desde que ouvi esta canção (nesta versão) já há uns anos que fiquei completamente apaixonado por ela.

Nem sabia quem cantava, mas hoje a pensar que acaba mais um ano, e quando a tristeza já me envandía, esta canção começou a tocar na minha mente. Daí para o youtube foi um saltinho, e rapidamente a encontrei.

Talvez em 2009 eu consiga encontrar o tal final do arco-iris.

Espero que gostem.

Feliz 2009!!!

R. 

 

   

 

Israel Kamakawiwo'ole ~ Somewhere over the Rainbow

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 28.08.07 às 18:48link do post | adicionar aos favoritos

Fui para a cama ontem a pensar no amor.

Já nem penso nos gajos que fodi. Já lhe perdi a a conta! De muitos nem o nome soube, da maior parte nem a cara me lembro, engates em qualquer área de repouso, ou wc público, uns pura desilusão, outros agradáveis surpresas, mas acima de tudo sempre a mesma atitude: - Vir-me e acabar com a questão!

            Pergunto-me se já amei?

Acho que sim. O V.! Durante uns meses amei-o! Sinceramente! Mas a emoção que se tem quando se tenta engatar foi mais forte, para mim e para ele. Ainda fico admirado como durou quase 3 anos. Nem percebo muito bem como! Dava-mos grandes fodas, mas acho que havia mais que isso. Tinha que haver, mas nem sei bem o que lhe chamar......

Amor? paixão? Tesao? Companhia? Hábito? Rotina? Talvez todas, ou no fundo nenhuma no seu total significado.

            Agora o caso é diferente, e foi isto que me fez pensar. 5 gajos a declaram-se a mim e eu acho que não sou capaz de me entregar a nenhum.

Tenho o A., 40 anos, se não me mentiu; bom homem, responsável, e que não duvide que me ame, mas possessivo e ciumento como tudo, além disso só activo. Até viver-mos juntos e pagar para termos sexo já me propôs. Mas que temos em comum? Nada!

O JR, apaixonado crónico; acabei com ele o que, com muito esforço se pode considerar uma relação, que começou por ser uma quequa de misericórdia, no principio de dezembro do ano passado. Na~durou mais que 5 meses. Não dava mais! 40 anos, casado,um filho, gordo, travestti nas horas vagas, e com tiques de bixa! Tem um coração de ouro e os amigos dele abusam constantemente dessa grandeza, mas por ter aquele coração grande, tambem me tirava o ar, oprimia-me, sugava-me a energia e toda a paciência. Gosto de ter o meu espaço e a minha liberdade, com ele não dava. Tinhamos muito em comum, conversas que nunca mais acabavam, gostos particulares sobre coisas que nunca pensei encontrar num outro homem.

Ajudou-me muito, não o escondo, e ele fazia-o porque acreditava que eu era o seu princepe encantado; tive que acabar. Podia ter continuado a estar com ele, mas sabia que rapidamente o começaria a chular, seria tão facil! Não sou assim. Nunca quis nada de ninguem!

O pior é que ele ainda insiste, ainda me manda sms, ou mms. Ou cria alter egos e manda msg de outros números, os quais ele me deu enquanto andavamos, a pensar que eu não sei quem ele é! Ficou doentio! As vezes assusta-me o facto de ele ainda gostar de mim assim .

Depois o *, nem me lembro o nome dele, nunca fui bom com nomes, este é recente! 28 anos, muito bom ar, corpo lindo e e peludo como eu gosto, boa quequa, e que diz que quer ser o homem da minha vida! Até tenho um fraquinho por ele, mas nunca vai dar. Casado, pai de pelo menos um filho, já não o vejo há mais de uma semana. Homem de msg telegráficas, e muito pouco me diz acerca dele. Como é que este pão, quer ser o meu homem? Não tem tempo para estar cmg, e nunca se assumirá para isso. Já não tenho idade nem paciencia para ainda estar no armário! Serei mais uma vez o “outro”, com que ele satisfará a sua homosexualidade!

Como o P, meu gnr lindo, de corpo peludo fantastico, casado 2 filhos, muito macho, e totalmente passivo, mas que que nunca consegue levar com ele na totalidade, só da ultima vez é que consegui enfia-lo todo, e quando o começei a comer veio-se logo!; ou o J. meu bear. Peludo e barrigudo; como pessoa é fantastico, casado tambem, e 2 filhos! Mas activo, gosta é de levar com o leite na boca, coisa que não me importo nada. Há tambem o J. Segurança, com as suas fantasias maradas, já me fez come-lo no meio da rua á noite, e quer que lhe arranje roupa de gaja para ele vestir para o comer. Também casado, gordo, nem sei se tem filhos, tem é uma cara linda! Não mama nem beija, é só mesmo para o cu, embora se queixe que tenho o pau muito grande!

(Foda-se! Ao ler isto, sou mesmo uma puta! Sou aquele que sou usado. A quem vem, para lhes dar o que não tem em casa! Afinal sou o outro!)

            Na parte dos possiveis solteiros, há o L.22, ou 23 anos, a viver com os pais e a estudar aqui. Peludo, activo e a dizer que por mim será versatil, se eu tambem o for.

É um daqueles amores por msg, todos os dias um milhão delas! Já diz que me ama, como é que possivel? Fodemos umas 2 ou 3 vezes, e até foi bom! Mas amor? É um daqueles amores de teenagers, quase de certeza que acabará casado, e com um qualquer homem para ter sexo a parte! Como tantos outros que eu conheco.

 E depois o J. 19 aninhos, o meu bebe! Rapaz mais complicado- ainda não percebeu que é gay! Instável e com uma carência por afecto e atenção que me desorienta e me tira a paciência. Por vezes não tenho paxora! Mesmo que ele queira, faz-me quase suplicar para estar com ele, quando por fim perco a paciencia e ameaço desisto, então ele pára de se fazer dificil e lá acede. Tem um corpinho fantastico, uma pele impossivel de descrever, um toque suave e quase angelical, adoro senti-lo num abraco; beija que é uma perdição! Mas não sei se tenho a paciencia e a atenção que ele exige! Podia-mos estar juntos muitas vezes, mas ele não quer, ou então sou eu que não percebo. Afinal até foi ele que se declarou, entre linhas, mas foi ele!

No meio de todos estes homens, mais aqueles que vou engantando, ou nos chats ou por aí, em que ainda nos estamos a vir, e já andamos a procura de papel para limpar e sair daquela situação, ou daqueles que querem e daqui não levem nada, acabo por ficar só!

Sempre a solidão! O vazio emocional, de quem usou  e foi usado!

            Será que não consigo amar? Ou ainda está para acontecer? Aquele momento em que conhecerei o homem da minha vida? Será que tem que haver um? Haverá alguma lei cosmica que diga que todos nos apaixonaremos e seremos felizes para sempre?

Que necessidade há em andarmos sempre a procura e tentar encontrar uma cara metade?

Que coisa inerente e enraizada é esta, que nos faz sofrer com a solidão só por não ter alguem ao nosso lado? Nasceremos assim, ou somos condicionados a tal?

Que merda de cabeça a minha!

R.

Palavras-chave:

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory
subscrever feeds