O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 30.03.09 às 20:05link do post | adicionar aos favoritos

29 de Março de 2009

 

      Não sei como adjectivar o que sinto. Apenas sei que não é bem.

      Como estava a trabalhar este fim-de-semana, e o dinheiro anda escasso, o meu nino e eu decidimos que seria melhor ele não vir cá no sábado, e apenas vir no domingo. Achei muito bem!

      O almoço de sábado foi patrocinado pelo bar. Como a feira correu bem, os patrões decidiram pagar o almoço a todos os que tiveram envolvidos. Foi giro. Almoço no que para mim é o melhor restaurante da cidade. Comi mesmo muito bem. E a bem da verdade também bebi bem! Depois da comezaina, e como também não tinha nada para fazer decidi aceitar o convite da S. e da F. Para umas partidas de Uno.

      Decidimos ir para o bar, e achei engracado que a caminho ambar perguntam pelo H. e se ele vem cá, e que tem andado a fazer!

      A minha tarde passou-se a assim. Na jogatana e a trocar sms com o meu homem.

      O que me custou e me deixou mal foi mesmo a noite! Embora o meu nino me tenha dito que estava mal de dinheiro acabou por sair à noite com os amigos. Até aí nada de mal. Tomar um café e um copo também não leva ninguem à pobreza.

      Pouco antes de sair de casa, diz-me que uma antiga curte dele lhe mandou uma sms a perguntar onde fica o bar gay aqui da cidade, porque queriam vir cá e queriam que o H. e eu(?) também fossemos com ele.

      Não sei bem como correu a conversa depois, apenas sei que ele e o H. marcaram encontrarem-se para depois o meu nino explicar o caminha para cá. Pelas sms apercebi-me que o H. estava deserto para continuar na night e até para vir com o gajo e os amigos dele para a disco gay. Nem queria acreditar, mas era uma opção dele, e nada faria para o impedir.

      Lá chegou a hora de eles se encontrarem. Aparentemente vinha a tal antiga curte, o namorado, e umas amigas. Foram todos mais o meu H. para um bar numa cidade perto de onde vive o meu nino.

      Como a hora já ia avançada, acho que decidiram não vir para este bar aqui, mas sim para um outro em T.N. Bar esse que o meu nino não gosta e por isso não ir lá. Acho que ficou desiludido por isso.

      As coisas no meu bar apertaram. Já não tinha tanto tempo para mandar sms, mas custava-me saber que o meu H. estava na noite com uma antiga curte dele e sem mim.

      Como tudo tem um fim, a noite do meu H. acabou. Lá foi ele para casa, e eu já nas limpezas do bar.

      Acabei a noite mesmo triste. Não só ele saiu com uma ex-curte dele, como ainda considerou ir para uma disco gay com eles e sem mim!

      Mas o que me deixa mesmo mal, é o facto de que o H. enquanto não me fez cortar relações com todas as minhas antigas curtes, pessoal que tinha como amigo e até gostava de manter contacto, não descansou! Mas no entanto ele não só mantem contacto com antigas curtes dele, como até sai à noite com eles.

      Não sei o que pensar ou sentir!

   R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 17.01.09 às 17:17link do post | adicionar aos favoritos

             17 de Janeiro de 2009

 

            Ontem o meu nino não veio cá.

            Andamos um pouco mal de finanças, e temos que poupar. Ainda gasta bastante para vir ter comigo, e depois de falarmos decidimos que era melhor não vir.

            Sinto-me a sua falta. E ontem à noite sentia-me mesmo muito carente. Mas enfim.

            Custou-me a adormeçer, so sonhei merda, e acordei azambuado. Nem 6 horas dormi. Acordei a tempo de ver os simpsons na fox. Pelo menos sempre me distraí um pouco.

            Daqui a pouco vou bulir de novo. Não me apetece nada. Ainda por cima o meu nino vai para a night, festejar o aniversário de um amigo, e já sei que as sms dele vão ser escassas. Já devia estar habituado. Mas não estou.

            R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 12.01.09 às 18:19link do post | adicionar aos favoritos

            12 de Janeiro de 2009

 

            Ontem cheguei a casa para lá de gelado.

            A S. não foi ao bar ontem, estive sozinho a trabalhar toda a noite, e depois vim a pé e ao frio.

            Ainda bem que comprei o cachecol, nem sei como sobrevi sem ele antes. Cheguei a casa tão gelado que até me deu dó a mim próprio. No caminho o frio que tinha era tanto que os meus mamilos ficaram de tal modo duros que pensei que o meu piercing ía saltar.

            Cheguei a casa, vesti o pijama em frente ao aquecedor, enfiei-me debaixo dos edredons, com a botija electrica nos pés, e demorei meia-hora a tentar baixar os meus tintins do estomago, sítio onde se refugiaram por causa do vento gelado.

            Mais um fim-de-semana que passou. Teria sido pacifico não fosse o meu nino se ter passado comigo por nadas.

            No sábado quando saiu com os amigos, confesso que me senti um pouco triste por não estar com ele, acho que é normal, e a noite até se passou bem, até ter saido do bar. Sem entender bem porque, começou a desconversar nas sms, e a ser um pouco brusco nas respostas que me enviava. Fiquei sem entender. Durante o tempo que estava a trabalhar, tivemos sempre a mandar sms, as minhas um pouco mais curtas afinal estava a bulir, mas tentei sempre incentiva-lo a divertir-se e até a ir cantar no karaoke que o bar onde estava tinha, e até a ir para a disco quando saissem dalí.

            Ontem, interpretou mal a minha primeira sms, e foi um descalabro apartir daí. Por mais que tentasse a conversa não melhorava. As sms dele cada vez mais bruscas. E para piorar as coisas, fiquei sem bateria no minuto que estava a sair para o bar, e como tinha o carregador lá nada podia fazer. Para agravar mais as coisas, quando fui comprar o meu jantar no pingo doce, estava pargas de pessoas para pagar e demorei mais tempo que custumo. Foi o fim da picada. Começou a desconfiar, e a fazer filmes. Já nem sabia mais o que lhe dizer. Acabou por ir para a cama chateado comigo.

            As vezes não o entendo mesmo.

            Mas com o tempo espero vir a compreender melhor. Afinal amar alguem é um processo, não uma meta, um final.

            Amar é andar para a frente mesmo quando não se entende tudo na pessoa que se ama. Não vou perder o que tenho, só por não entender algumas coisas. Não vou perder este amor por nadas.

            R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 22.12.08 às 02:07link do post | adicionar aos favoritos

21 de Dezembro de 2008

 

Ontem foi dificil.

Como já sabia o meu nino ia ter um dia muito ocupado, e fiquei logo mentalizado para não receber muitas sms dele. Durante o almoço e até ao final da tarde as coisas até correram bastante bem, deu para ir trocando algumas mensagens e as coisas estavam bem e animadas, iamos conversando e trocando palavra sobre isto e aquilo, sobre quem estava, que se fazia, as prendas que ia recebendo, etc...

A hora a que as amigas dele o apanharam para ir para o jantar de aniversário (que elas organizaram) coincidiu com a minha hora de ir para o bar. Até ele começar a jantar continuamos a trocar sms. Mas depois tudo piorou.

Cada vez menos sms, cada vez mais espaçadas e mais vazias e confusas. Quando fiz um comentário sobre uma prenda que recebeu até se passou comigo. Apenas porque disse que não tinha achado graça nenhuma ao que lhe deram. (E continuo a achar que foi um desperdicio de dinheiro e um total falta de gosto).

Acalmei-me e tentei mudar de assunto como se nada fosse. As sms cada vez mais espaçadas no tempo, mas como o bar começou a encher pelo menos tinha outra coisa em que pensar.

Mas costumava-me olhar para o tlm, saber que ele estava a divertir-se e nem uns momentos tirava para mandar uma msg. Chegava a mandar 2 e 3 sms antes de conseguir uma resposta dele.

Já para não falar do numero de sms que escrevia e nem enviava, porque não lhe queria estragar a noite, não queria que ele parasse de se divertir e de curtir a noite com os amigos.

Mas custava-me muito não ter noticias dele. Sempre que recebia uma sms dele, ficava com um sorriso de orelha a orelha, mas o meu coração pedia mais. Mas nada lhe pedia. A noite era dele. E se não mandava sms era porque assim o queria.

Já no final da noite, enquanto estava a ir para casa, o meu nino também já tinha chegado a casa, e no final de lhe mandar uma serie de msg sem obter resposta, não me consegui segurar e tive mesmo que lhe ligar, visto bem as coisas, mandei mais sms eu que estava a trabalhar, que ele estando a curtir a noite.

Ao ouvir como me falava percebi que já estava bem tocado com alcool. Falamos um pouco, mas não deu para matar a tristeza que tinha no meu coração.

Tristeza por não ter estado com  ele, tristeza por não partilhar com ele um dia tão especial, tristeza por tão pouco me ter dito durante a noite. Já que não pudia estar com ele na noite de aniversário, gostaria que ele me tivesse incluído mais, tivesse partilhado comigo mais... mas enfim....

Hoje quando acordei já tinha uma serie de sms dele. Aproveitaram o bom tempo e abriram o tasco. Pensava que ia estar com ele hoje mas esse plano ficou logrado.

Como estava a trabalhar as sms não eram muitas de novo. Claro que entendi. Ele estava a trabalhar.

A minha surpresa foi mesmo no final da noite. Ele foi jantar a casa dos tios, e de novo tinha que lhe enviar 2 ou mais sms para obter uma resposta dele. E ainda por cima ficou chateado comigo.

Até mesmo quando já estava em casa, poucas msg me mandava, e sempre com mau humor e depois de insistir para obter resposta. Fiquei sem perceber se o fazia de proposito ou se simplesmente não tinha nada mais para me dizer. Saltou-me a tampa e disse-lhe que ia parar de insistir que me mandasse sms.

Foi para a cama chateado comigo. Passado umas horas ainda me mandou uma serie de sms que não consegui entender. As respostas às msg que lhe envia não faziam qualquer sentido. Pelo menos não para mim. Disse-lhe que era melhor ele ir dormir e que falavamos amanha, respondeu que não. Como estou de folga amanha fiquei sem perceber se não vem cá, ou se esta greve nas msg é para continuar.

A ideia com que fiquei é que lhe dá prazer que ande sempre a pedir, a rogar que me mande sms, que fica em silencio propositadamente só para me ter a pedir que me diga o que faz e o que se passa com ele.

       R.


O que me dizes?
Por: Ray, em 29.07.08 às 15:30link do post | adicionar aos favoritos

27 de Julho de 2008

 

            Que merda de fim-de-semana.

            Basicamente passei o estes dias em casa, apenas sai no sábado um pouco há tarde para ir à worten (que fica a 4 km de casa e eu ando a pé). Fui comprar um jogo. Já que tou em casa, sem nada para fazer pelo menos mantenho a mente entretida. Comprei o “simcity societies”. É um tipo de jogo que gosto, mas esta versão é mais complicada que a anterior que já dominava. Também é certo que ainda não me debrucei convenientemente sobre o jogo, porque nestes dois dias, foi mais o tempo que eu e o H. andamos a tripar um com o outro que outra coisa.

            Ainda saí no sábado à noite, não com o intuito de ir beber copos, mas queria encontrar alguem do grupo do bar onde trabalhei, para tentar saber novidades. Sei que vai reabrir, e como tou sem emprego poderia ser uma ocupação até ter algo melhor. Certo é que não encontrei ninguem. Ainda fui a alguns bares onde poderiam estar, mas como ainda não passava muito da meia noite, e eu estava sem animo nenhum, e a conversa com o H. estava cada vez mais azeda, vim para casa.

            Domingo apenas sai para o café.

            Eu e o meu menino tripamos mesmo muito estes dias. Basicamente por tudo e por nada. Por causa da minha situação ando sem paciencia quase nenhuma, o animo é pouco, a alegria quase nula, e o espirito sombrio.

            E o H. quer a força que tudo isto mude, e eu não me vá abaixo. Entendo bem o que ele quer, mas o que é certo é que quanto mais ele fazia para me animar, pior eu ficava. Houve alturas que juro que me passei e senti que ele estava a tentar a minha paciencia.

            Tenta demais para me animar. Esforça-se demais para não me deixar ir a baixo. Mas o que é certo é que não resulta. Como não tenho o mesmo animo que ele, as minhas sms não acompanham esse ritmo (que noto forçado), e como tal passamos os dias a aborrecermo-nos. A juntar a isto a pouca informação que ele passa nas sms, e o vazio da minha alma, não foi bonito!

            Disse-me que ando a despejar nele a frustração e tristeza da minha situação. Não é isso que quero fazer. Só que ao querer me ajudar no que pode, o que é certo é que me deixou ainda mais frustrado. Não sei explicar bem, mas ele quer quase à força que me anime, e eu não sou capaz. Talvez com tempo.

            Não sou capaz de lhe retribuir a energia, nem o animo que ele insiste em querer que eu tenha, assim passamos os dias a implicar ou porque eu não lhe respondia logo no minuto que ele me mandava a sms, ou porque não lhe ligo para o tlm, ou porque à mais de quarenta minutos que não lhe dizia que o amava, ou porque as minha sms eram muito curtas, ou porque ele estava a beber e depois ia conduzir, ou porque não me dizia o que estava a fazer, ou porque mandava sms a conduzir, ou porque eu não entendia o que me queria dizer..... Foi uma merda de dias.

            Para piorar as coisas, a meio da tarde começei a receber sms de um numero que não conheco, e embora no principio as tivesse ignorar, começaram a ser insistentes, o gajo dizia que se chamava pedro, que era das caldas, que nos conhecemos já há uns anos e que queria saber se estava tudo bem comigo. Passei-me com as sms, e disse-lhe que não conhecia o numero e não me lembrava de todo de quem ele dizia ser. Ele continuou a insistir, e eu comecei a desconfiar que era o parvo do J.R. e mandei-lhe uma sms a pedir-lhe uma foto. Ele respondeu-me que não tinha, e não tinha meio de a tirar naquele momento, acho que ele pensou que lhe estava a pedir uma foto do pau. Como não era isso que lhe havia pedido, respondi-lhe que o que lhe tava a pedir era uma de cara para ver quem era.

            Tem havido alguns problemas de rede por aqui e as sms ficam pendentes, ou dão erro e como não recebi o relatório daquela sms, resolvi enviar outra com a mesma sms. Só que enganei-me  e em vez de enviar aquele gajo, enviei ao H.

            Ainda piorou as coisas. Perguntou-me o que era aquela sms, expliquei-lhe e ele diz que entendeu. Mas tenho a certeza que o meu homem ficou a fazer filmes naquela cabeça.

            Do outro nem mais uma sms. Recebeu o pedido da foto e calou-se. Cada vez tenho mais certeza que era o J.R.

            Amanha espero que estejamos juntos. Só falando cara a cara é que isto passará.

            R.

 


Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


O que procuras?
 
Curiosos
Por aqui agora....
Fotos do blog
Na tua opinão:
Paradas Gay:
Sou contra.
Sou a favor.
Indiferente.
  
pollcode.com free polls
Quem por aqui andou:
eXTReMe Tracker
Blog Flux Directory