O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 31.07.08 às 16:31link do post | adicionar aos favoritos

31 de Julho de 2008

           

            Com tanto assunto, e sms, ontem à noite atingi as 1500 sms gratuitas. É a segunda vez que o consigo. Não foi pelos melhores motivos desta vez.

 

            R.

 

Palavras-chave:

O que me dizes?
Por: Ray, em 31.07.08 às 16:26link do post | adicionar aos favoritos

31 de Julho de 2008

 

            Ontem nem a tv shopp me trouxe sono.

            Pensei e pensei, remoi e remoi, o que se tinha passado, o porque se tinha passado, como me sentia, e porque estava assim.

            Nunca me senti tão mal. Tão triste.

            Ainda não consegui perceber na totalidade o que levou o H. a fazer o que fez. Ele apenas diz que o fez porque me ama. Diz que se eu o conheçe-se saberia que ele não ia ficar parado, que tinha que fazer algo. E numa coisa ele tem razão. Eu não o conheco. Pelo menos não como ele me conhece a mim.

            Ele sabe tudo sobre mim. Conhece meus amigos, os locais onde custumo estar, e mais importante, como reago perante qualquer coisa. Sabe o que me faz feliz, o que me faz triste, o que gosto, o que odeio, e o que me faz saltar a tampa. E sabia bem como ia reagir perante o que fez ontem, sabia-o e fez o que fez!

            Sei que não é bonito de o dizer, mas de facto sinto que a minha confiança foi traida. E isto não é bom. Não gosto de o sentir. Gostava que o H. não o tivesse feito. Que se achava que devia dizer ao meu irmão me devia ter perguntado se devia ou não. E o facto de não me ter dito nada depois, só piorou as coisas. Disse-me que queria me dizer quando tivessemos juntos ontem, mas como não veio, poderia ter-me dito quanto mais  não seja por sms, mas não o fez, e eu descobri por terceiros o que ele tinha feito, e tudo isto mexeu comigo. Muito.

            Hoje sinto-me ainda triste. Mais calmo mas ainda triste.

            Triste por não entender bem o porque o H. tomou aquela decisão, e teve aquela atitude, por ter feito algo sabendo que não ia gostar, e acima de tudo por ainda não conhecer o H. como ele me conhece a mim.

            E não é por não o querer. É apenas porque não consigo. Ele não me dá essa hipotese. Talvez seja uma infantilidade minha, mas não acho normal, por exemplo ainda não conhecer o apartamento que ele comprou. Outra coisa sobre a qual já há um tempo que me deixa pensantivo é que por várias vezes lhe falei e até pedi para ir com ele para conhecer os sítios por onde costuma sair. Bares, discotecas, etc. E nada.

            Entendo que conhecer os seus amigos e familia seja muito complicado. Especialmente a familia. Ninguem sabe. Isto entendo e muito bem. E nunca o vou pressionar nesse sentido. Mas tudo o resto..... pouco ou nada conheço.

            Gostava de conseguir escrever aqui uma conclusão sobre tudo o que se passou. Mas não consigo. Não a tenho.

            Nem sei o que vai ser daqui para a frente.

            Apenas sei que vou ter que começar muita coisa de novo com o H.

            E se alguma coisa posso desde já tirar deste episódio, é que o amo, e que já me estreguei mais do que sabia a este amor e a este homem.

            R.

 

Palavras-chave: , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 31.07.08 às 16:21link do post | adicionar aos favoritos

30 de Julho de 2008

 

            Acabei de vir da casa de banho. Vomitar.

            Não da fruta de ontem, mas de algo que nunca pensei acontecer.

A tarde de hoje.... Afectou-me como nunca pensei. De tal maneira que o mal estar emocional se manifestou físicamente, e fez-me ir vomitar.

            Nem sei muito bem se conseguirei articular palavras, pensamentos e emoções para transmitir e escrever tudo o que me vai na alma e o que aconteceu para assim ficar.

            Tudo começou a seguir ao almoço. Ao chegar ao café depois de almoçar, o H. mandou-me uma sms por engano. Era para a mãe dele. Nada demais. Acontence. Ele rápidamente me disse que se tinha enganado e quem era o destinatário da mensagem. Como é obvio não entendi o conteudo da sms. E como o H. nunca mais se descosia sobre isso, lá tive que perguntar. A resposta não se fez esperar, mas surpreendeu-me: “tava a ver que não....”, ou seja, ele sabia que não tinha entendido, que lhe ia perguntar, mas ficou à espera que eu pergunta-se para me dizer. Fiquei para lá de lixado.

            A juntar ao que me disse ontem á noite, no meio de tanta sms, houve uma altura em que por estar a trabalhar ficamos uns boms 10 minutos sem trocar-mos sms, até que lhe mandei uma. Nem me lembro bem o que lhe disse, mas recordo-me bem da resposta. “ tava a ver que não”. Perguntei-lhe o que queria aquilo dizer, e soube então que ele estava a ver quanto tempo demorava eu a dizer alguma coisa sem ele mandar sms, mais, que nem sequer era a primeira vez que o fazia. Ainda hoje não entendo esta atitude.

            A partir daí a tarde ficou uma merda.

            Obviamente que não fiquei bem disposto,  e passei essa disposição através de sms para o H. E tanto perguntei, e tanto o chatei que finalmente me disse que o tinha feito por brincadeira. Brincadeira!!!!! Fazer uma coisa que ele sabe tão bem que me aborrece por brincadeira. Tou mais que farto de lhe pedir que me diga as coisas sem perguntar, ele sabe que me passo por este mesmo motivo, e hoje resolveu fazer disso uma brincadeira. Ainda me falta perceber onde é que está a graça nesta brincadeira.

            Passei o resto da tarde com um brutal trombil. Nem uma ida ao café para tentar desanuviar me fez bem.

            Rapidamente chegaram as 17 horas e o H. disse-me que estava a sair e vinha para cá. Disse-lhe que não achava que era uma boa ideia. Nem faço ideia do que lhe passou pela cabeça. Ele não me disse e eu tambem não lhe perguntei. As minhas razões para ele não vir eram simples. Depois de uma tarde toda amuados um com o outro, não estava com grande disposição para estar com ninguem. E sabia que se ele viesse, ficariamos todo o tempo a falar para tentar resolver as coisas, davamos um beijinho e ele tinha que sair. Tempo e dinheiro que ele iria perder. Achei que era melhor acalmarmos-nos primeiro e amanha sim, estariamos juntos.

            MAS O PIOR AINDA ESTAVA POR VIR!

            Pouco tempo depois de ele chegar a casa e dizer-me que ia dormir, o meu irmão ligou-me. Ligou-me para dizer que tinha falado com o H. e  já sabia da minha situação, e que já tinha falado com o J.P. e que para não me preocupar que podia ir trabalhar lá para o bar quando voltasse a abrir.

            Fiquei sem reacção. Por uma simples razão. Ainda não disse ao meu irmão que estava desempregado. Como ainda não tive com ele pessoalmente, ele ainda não sabia.

            Por outras palavras. O meu irmão ligou ao H. o qual, ainda nem sem bem como,  lhe disse que estava desempregado. E isto sabendo ele que eu ainda não lhe havia dito e sabendo que eu não queria que ele o fizesse!

            O H. nas minhas costas, falou com o meu irmão sobre a minha situação. E para piorar as coisas, e para não variar, nem sequer me disse da conversa que teve com o meu irmão.

            Fiquei FODIDO.

            Nem consigo descrever como fiquei.

            Tentei, mandei sms, perguntei-lhe claramente o porque de o ter feito, e ainda não consigo entender.

            Nunca me senti tão mal. Senti a minha confiança traida. Senti-me ferido. Senti-me na merda. E não há meio de passar.

            Porque raio de razão é que ele fez isto nas minhas costas e não me disse que o tinha feito.

            Este mau estar, não há meio de se afastar. E é de tal modo intenso que já me fez ir vomitar.

            Preciso de me acalmar, e tentar chegar a alguma conclusão. Vou tentar dormir e amanha logo se vê.

            R.

 

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 31.07.08 às 16:17link do post | adicionar aos favoritos

29 de Julho de 2008

 

            Quando me fiz ao caminho vindo da cidade, lembrei-me que tinha que comprar algo para o jantar. Assim fui ao pingo doce.

            Logo que entrei senti um cheirinho a meloa e pessegos que não resisti. Comprei uma meloa e meia duzia de nectarinas. As minhas frutas preferidas a par do melão, melancia, e tangerinas.

            Há bem mais de um ano que não comprava fruta. Infelizmente o meu organismo não processa nada bem a fruta. Sei que me vou lambuzar todo com esta fruta, vai-me saber mesmo bem, mas tambem já sei que vou passar o resto da semana a caminhar para a casa de banho..... é melhor escolher e por já um livro ao jeito.

            R.

 


O que me dizes?
Por: Ray, em 31.07.08 às 15:49link do post | adicionar aos favoritos

29 de Julho de 2008

 

            Isto de não ter net em casa, aborrece-me.

            Certo que não tive durante muito tempo, mas desde que comprei o portatil, e quando cheguei ao meu antigo quarto o liguei e apercebi-me que um dos vizinhos tinha a rede wi-fi dele sem protecção, foi um fartote.

            Naveguei e blogei de borla durante bastante tempo as custas do tolo que não protegeu a rede.

            Aqui neste quarto não tenho essa sorte. Embora detecte várias redes sem fios, estão todas protegidas. No dia em que recebi a noticia que não me iam renovar o contracto estava para enviar o fax a pedir a activação da kanguru. Ainda bem que não o fiz.... seria mais um encargo. Assim tenho que produzir os post no word, e depois ir até a cidade blogar. Significa isto que tenho que andar mais de 2 km, depois esperar que haja um pc livre e navegar sem nunca estar completamente à vontade.

            Então hoje, no final de escrever os post, e de (re)ver o E.R.- Serviço de urgência  que a rtp 2 está de novo a transmitir, fiz-me a estrada. O tempo estava optimo, não muito quente, e aproveito para ir vendo aqui e ali a bela da pernoca e o enxumaço saltitante.

            E hoje até se viu uns bem jeitosinhos.

            E por falar nisso, há umas noites atrás, quando saí para tomar um descafeinado, ao sentar-me nas esplanda, reparei num homem que estava com um grupo de amigos, a conversarem de pé a alguns metros de mim. O tipo tinha uma daquelas calças de tecido em que se nota quase tudo. O melhor desta história, foi que o gajo põe as mãos no bolso, e começa a brincar com as bolas e com a pila. Mas mesmo à descarada. Ele estava de tal modo entretido com a conversa que nem se deve ter apercebido do que estava a fazer. A descontração dele era tanta (e claro que o tecido das calças ajudaram a perceber e bem o que ele estava a fazer) que a determinada altura, e depois de brincar com as bolas, ora uma a uma ora com as duas ao mesmo tempo, começa a “rolar” a pila entre os dedos, dando para ver claramente o formato, tamanho e grossura do material. lol Nada má mesmo!

            Mas voltando ao presente.....

            Depois de por o post on-line, fui lanchar à pastelaria do N. Sentei-me na esplanada, e assim sempre ia vendo quem passava.

            Entretanto começei a ficar frustrado. Por dois motivos.

            Primeiro, não sei que se anda a passar mas ultimamente algo de errado se passa com as sms da vodafone. Ficam pendentes, ou nem sequer são entregues. E para quem é dependete deste meio de comunicacão e muito mau! Desde sexta-feira que já enviei mais de 1200 sms. Acho que esta semana as 1500 gratuitas não iram chegar.

            E a segunda razão é porque simplesmente me sinto sozinho. Sei que tenho o H. na minha vida, e sei que é o meu companheiro, mas quando não está, nestes pequenos nadas do quotidiano, sinto-me só.

            R.

 

Palavras-chave: , ,

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
23
24
26

27
28
30


O que procuras?
 
subscrever feeds