O meu nome é Ray,e sou gay. Este será um blog sobre “as coisas vulgares que há na vida”. Na minha vida! É um blog para maiores de 18 anos. Para todos aqueles que tem alguma curiosidade sobre a vida e pensamento gay.
O que me dizes?
Por: Ray, em 25.10.08 às 19:24link do post | adicionar aos favoritos

            24 de Outubro de 2008

 

            Hoje fui a Lisboa, a uma entrevista de trabalho.

            Na sext-feira passada, recebi uma chamada de uma empresa de recursos humanos, a perguntar se me recordava de há uns anos atrás ter tido umas entrevistas com eles, e se estava com disponibilidade para fazer mais uma entrevista. Claro que disse que sim, e ficou marcada para hoje.

            É uma daquelas empresas de RH que fazem recrutamento para empresas suas clientes. Da vez que me inscrevi e fui lá a uma entrevista, era para a sonae. Fui seleccionado e já nas entrevistas na sonae, descobri que era para um posto na margem sul e acabei por não entrar.

            As instalações da empresa agora ficam a meio da Av. da Liberdade. Meti-me no comboio, metro e um pouco antes do meio-dia estava a entrar nos escritórios. Estava um pouco ansioso e nervoso, mas ao mesmo tempo animado. Afinal estes senhores são bons profissionais e a principal função deles é encontrar pessoal para trabalhar.

            Indicaram-me um gabinete e pediram para aguardar um pouco que o consultor viria já ter comigo. A entrevista estava marcada para o meio-dia.

            Quarenta minutos depois ainda ninguem havia ter vindo comigo. Dez minutos mais passaram, e eu estava pronto para me levantar e ir perguntar a recepcionista se haviam esquecido de mim, ouvi alguem a falar no corredor: “- como é que ele se chama?”. Ouvi a secretária a gritar “R.”.  instantes de pois entrava o gajo que me ia fazer a entrevista.

            Depois de me pedir desculpa pelo atraso, sem nunca me dizer o porque de estar 50m a espera, lá começou a lenga-lenga do costume, quem são, o que querem de mim e o que podem fazer por mim.

            Apresentações feitas, as perguntas do custume nas entrevistas de trabalho, e finalmente soube o porque da chamada até Lisboa. A empresa abriu um novo ramo de negocio, e precisam de construir base de dados. A minha presença lá era só mesmo para confirmar e actualizar o meu C.V. para eventuais futuras necessidades.

            Saí de lá, sem grandes esperanças de emprego imediato, mas pelo menos sempre é mais uma porta que fica aberta.

            Desci até ao Rossio para lavar as vistas com os gajos que andavam na rua durante a hora de almoço, e enfiei-me no metro para o parque das naçoes para ir almoçar.

            Fui comer um hamburguer ao Burguer King. Tive montes de tempo a espera, a gaja a minha frente pedi a coisa mais estupida que ja ouvi: CHEESE BURGUER mas SEM QUEIJO! parou a cozinha toda.

            Depois de almoçar e como não havia ninguem de jeito para ver no “Vasco da Gama” fui para a estação do oriente esperar pelo comboio. Entreti-me a ver uma exposição dobre a nova ponte do tejo, e o tgv. Ainda estive um bom bocado de volta da feira do livro que lá estava também. Ainda assim estive que esperar um bom bocado a fumar e a esperar o comboio já na plataforma.

            A caminho de casa, eu e o H. chegamos a conclusão que não nos encontrariamos hoje. Ele tinha umas coisas para fazer e arrumar na esplanada e depois precisava de descansar. E eu também.

            Já tinha chegado a cidade, o J.P. pediu-me perguntou-me se podia ir trabalhar hoje, visto o puto não poder ir. Aceitei e depois de descansar um bom bocado fui para o bar.

            R.

 

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 23.10.08 às 17:45link do post | adicionar aos favoritos

            23 de Outubro de 2008

 

            Há dias de merda. Esta semana tem sido dia sim, dia também.

            O pior é que não entendo muito bem porquê.

            Parece que esta semana se arrasta.... que o tempo não passa.

            Gostava de poder dizer o que se passa. Mas a verdade é que nem entendo muito bem o que é.

            O meu nino tem andando meio constipado. E sinto-o distante, diferente e que algo se passa naquela cabeça. Tenho algumas ideias do que por ali vai, mas sem as entender e tão pouco como lá foram parar.

            Sei que se passa algo, mas para isso tive que apertar com ele e insistir mesmo, mesmo muito antes de ele me dizer algo que sei que ainda não é a historia completa.

            Há uns meses atrás criei um perfil num site de bears. Gosto de ver e apreciar. Ele sabe que o criei. Aliás foi ele que me deu o link porque não me lembrava qual era. Para poder criar o perfil é obrigatorio colocar fotos. Depois de o criar nunca mais lá fui, até porque não tinha net.

            Esta semana recebi um mail do site, a avisar-me que como não havia visitado o meu perfil há muito tempo este seria desactivado. Fui ao site, fiz o log in e actualizei o meu perfil.  Nessa noite, o H. foi a esse mesmo site, e viu o meu perfil. Percebi logo que não ficou bem. Novamente não sei bem o que lhe passou pela cabeça, mas algo foi. Já se devia ter esquecido que tinha la um perfil e deve ter feito um filme daqueles, mas pouco ou nada me disse e ainda assim só depois de muito o pressionar.

            O que é certo é que desde então as coisas não andam famosas. Sei que algo se passa. Mas ele não me diz o que é. E começo a ficar cansado de andar sempre a perguntar vezes sem conta até que ele se abra um pouco comigo.

            Outra coisa que não ajuda, são os amigos dele. Alguns viram o meu perfil e foram logo dizer-lhe. Perguntando se ele sabia. Não gostei desta atitude deles. Até porque ontem um deles aqui da cidade meteu-se comigo no tal site. Como o reconheci entabelei conversa com ele. E ainda tivemos um bom bocado a mandar msg. A determinada altura ele manda-me o mail dele para eu o adicionar no msn. Achei estranho e como tal mandei uma sms ao H. a dizer-lhe da situação. Como o meu menino me disse para o adicionar, assim o fiz.

            Já no msn, percebi que ele não me havia reconhecido. Tratei logo de lhe dizer quem era e a conversa basicamente morreu. O gajo estava no engate e como sabia que de mim não levava nada, perdeu o interesse na conversa. So percebi que estava a tentar engatar por esta atitude. As msg nunca tocaram no assunto, mas assim que ele soube quem era parou de fazer conversa acho que mostra a atitude que tinha. O meu nino soube sempre que estava no msn com este gajo.

            Hoje e depois de muito apertar com o H. finalmente soube que ele não estava bem porque o tal gajo que esteve no msn comigo havia falado com ele e que achava estranho eu ter um perfil no bears e acrescentou que havia estado a tclr comigo no msn.

            Não gostei mesmo da atitude. Pareçe que estava a “meter ferro” na nossa relação. Este gajo é um mete nojo. Acha estranho que eu tenha um perfil e ter namorado. Ele também o faz. Tem namorado e também tem perfil e ainda se mete com gajos. Mas isto aposto que ele não disse ao H.

            Detesto alcoviteiras.

            Ainda não sei na totalidade o que realmente vai na cabeça do H. Nem sei como descobrir. Primeiro que ele se abra comigo..... Tenho que apertar e apertar e ainda assim sai a conta gotas.

            Começo a pensar se alem desta situação haverá mais coisas que ele não fala comigo só porque não aperto com ele. Quantas mais coisas haverá das quais não tenho conhecimento.

            Que merda....

            R.

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 23.10.08 às 16:59link do post | adicionar aos favoritos

             23 de Outubro de 2008

 

            Tem sido umas noites calmas no bar. Tenho levado o portatil e como temos wi-fi no bar, eu e a S. nos passamos a tempo a jogar on-line. A minha cunhada há uns tempos deu-me o link e desde então fiquei fâ e viciado no jogo. E agora a S. também.

            É num site de uma igreija no Brasil, e o joguinho até é muito basico, mas eu gosto. Fica aqui o link:

            http://www.fulano.com.br/Scripts/JogosOnline/Letroca/LeTrocaAbertura.asp

           

            Ontem eramos 4 de volta do meu portatil a jogar.

            R.

 

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 19.10.08 às 18:53link do post | adicionar aos favoritos

            17 de Outubro de 2008

 

            Andei a semana toda sem grande inspiração para escrever.

            Mas aqui vai um resumo rápido do que aconteceu.

           

            Segunda-feira:

            Dia calmo, a noite no bar também começou de forma muito calma. De repente a porta abriu e começaram a entrar pessoas em fila. Parecia que nunca mais acabava. Numa questão de minutos tinhamos o bar à pinha. Dois grupos grandes.

            No final de toda a gente estar servida e beber, eu e a S. ficamos a conversar dentro do balcão. De repente ouvimos cantar e som de um acordeon. Viramo-nos rapidamente e estavam um gajo a tocar e todos a cantar.

            Com a confusão de servir o pessoal todo, nem tinhamos reparado que alguem havia trazido um acordeon.

            Ajustei o volume do som do bar para o minímo e deixamos o gajo tocar. Fui muito divertido. Música ao vivo.

            O melhor disto tudo, é que o gajo que estava a tocar era um pão.

            Vestido à beto. Calças claras, puxadas para cima muito justas. Notava-se o enchumaço todo, não como um volume, mas notava-se as formas todas. Deu para lavar as vistas.

 

            Terça-feira:

            Hoje estive de folga. O meu nino veio ter o comigo no final de sair. E pouco tempo depois de ele chegar, entrou o gajo que veio fazer a instalação da tv cabo e internet.

            Como o gajo tinha que instalar a power box no meu quarto tivemos que deixar a porta aberta. E como o gajo (que segundo o meu nino era bom) estava sempre a entrar e a sair, e os putos também estavam aqui, acabamos por não poder namorar muito. O gajo da tv cabo falava sem parar.  Um trabalho que demorava meia-hora ele levou quase hora e meia a fazer. Mas valeu a pena dar-lhe conversa. Acabou por instalar coisas que não estavam contratadas e deixou montes de cabos de graça. Agora já tenho net. Aliás, não há fome que não dé em fartura. Antes não tinha acesso nenhum à net. Agora tenho em casa e no bar eles também instalaram wi-fi à borla.

            No final de jantar as pizzas que mandamos vir tivemos tempo para namorar um pouco. Amo muito o meu H.

 

            Quarta-feira:

            Nada de especial, passei o dia a fazer zapping, e a navegar na net.

 

            Quinta-feira:

            Acordei tarde, mas muito bem disposto. Pelo menos até ligar a net e visitar o blog do meu amor. Estragou-me a tarde.

            Tinha um post lá em que falava que me achava que estou a distanciar-me, e que acha que algo não está bem comigo e que não lhe queria dizer. O que me chateou não foi o facto de o ter escrito, mas sim por estar a pensar merdas e nem sequer me perguntar. Admito que fiquei de trombas. É que não se passa nada comigo. Amo-o muito e não entendo o que faço que despolta este tipo de pensamentos no meu homem.

            Levantei-me e fui tomar café. Quando vinha para casa, lembrei-me que estava de folga hoje não tinha nada para fazer para o jantar. Passei no talho.

            Não estava mesmo com cabeça para ver se o gajo estava ou não a fazer flirt. Mas quando cheguei a casa reparei no que havia trazido. Pedi febras, paguei febras, mas dentro do saco vinham bifes. Nada mau!

            Entretanto  o meu nino veio ter comigo. Depois de esclarecer-mos as coisas, namorar-mos um pouco, fomos jantar ao macds.

 

            Sexta-feira:

            Começei um novo vicio.

            Travian.

            Se virem uma aldeia chamada “Motherload”, não ataquem! Sou eu.

 

            Sábado:

            Passei o dia a fazer zapping e de volta do travian, e fui para o bar.

            Como sempre começou lento, e de repente encheu. Fartei-me de dar ao chinelo. Foi mesmo uma grande noite. Montes de gente. Dois gajos muito giros, que por o bar estar tão cheio quando passava por eles rocavam-se um pouco. Mas acho que era acidental....

            Já passava das 4 da manha quando finalmente saí.

 

R.

 

Palavras-chave: , , , , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 13.10.08 às 21:31link do post | adicionar aos favoritos

             13 de Outubro de 2008

 

            Acordei com a garganta a arder. Foi lanchar e tive que voltar para casa. O corpo ainda está todo dorido das mudanças.

            Daqui a pouco tenho que ir para o bar.

            R.

 

Palavras-chave:

O que me dizes?
Por: Ray, em 13.10.08 às 21:31link do post | adicionar aos favoritos

             12 de Outubro de 2008

 

            No final de corrermos para nos despachar e fazer o check-out antes do meio-dia, fomos até a fnac do chiado. Acabamos por tomar lá café.

            Como já eram horas de almoço, e nenhum de nós tinha muita fome, sugeri irmos ao “Subway” do Rossio. Já tinha saudades. Comia nesta cadeia muitas vezes quando vivi em N.Y. Adoro aquela sandes de almondegas e queijo. Acho que o meu H. é que não gostou muito.

            Tomamos café na rua Augusta e fomos para o parque das nações. Quando la chegamos começou a chover, e tivemos a fazer tempo no “Vasco da Gama” antes de irmos para o carro.

            Pouco tempo depois, o meu mano ligou-me. Ontem não haviam conseguido fazer as mudanças todas, e precisava que os fosse ajudar.

            Confesso que era a última coisa que me apetecia. Tinha pensado que ia ficar com o meu amor o resto da tarde enroladinhos na cama, mas familia é familia, e tinha que o ir ajudar. Voltamos para casa, mudei de roupa e o meu H. deu-me boleia.

            Fartei-me de carregar moveis e mais tretas. Mas acabamos. Tudo o que era volumoso ficou na casa nova.

            A meio da tarde fomos beber uma imperial. Estavam lá dois gajos que não pararam de olhar para mim. E olhavam-me de tal forma que até a minha cunhada notou e comentou comigo.

O meu mano veio pôr me a casa, e depois de um banho fui a correr para o bar. Tinha que ir trabalhar. Estava todo moido do fim-de-semana e depois das mudanças, mas a vida é assim.

            Adorei estes dias com o meu H. Amo mesmo muito este homem.

            R.

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 13.10.08 às 21:29link do post | adicionar aos favoritos

            11 de Outubro de 2008

 

            É tão bom acordar juntinho ao meu nino.

            Tinhamos pensando em irmos para lx, mas a ameça de chuva da metereologia, fez-nos repensar as coisas. Sem ter grandes planos traçados, despachamo-nos e fomos almoçar ao shopping aqui do burgo. Como não tinhamos mais nada pensado, resolvemos ir até ao Forum Montijo. Embora ainda seja longe, pelo menos sempre davamos um giro por um sítio diferente.

            Já no caminho, e a meio da ponte Salgueiro Maia, reparamos que o ceu estava todo limpinho e num vipe, decidimos que valia a pena arriscarmos ir para o Bairro alto. Voltamos logo para a cidade, e depois de enfiar meia duzia de coisas numa mala, partimos para lx.

            Já a meio caminho para a capital, liguei para a residencial Anjo Azul para ver se tinham quartos disponíveis. Não tinham nada. Completamente cheio. E a “Globo” também. A senhora que nos atendeu o telefone ainda disse que provavelmente uma outra que também é gayfriend, a “lua” qualquer coisa, teria uma quarto. Decimimos ainda assim, arriscar e continuamos o caminho.

            Depois de quase 40m às voltas no parque das nações à procura de um lugar minimamente seguro para deixar o carro, tivemos mesmo que o deixar num dos parques pagos. Pelo menos, sempre ficava minimamente vigiado.

            Ainda tivemos que fazer uma visita rápida à Zara e a Quebra-mar do “Vasco da Gama” para comprar umas camisas para vestirmos à noite.

Enfiamo-nos no metro e pouco tempo depois estavamos no Chiado. Subimos ao bairro alto e fomos até ao “Anjo Azul”. Embora não tivessem quartos, podia ser que nos ajudasem. E assim foi. A Senhora que estava na recepção indicou-nos umas três residenciais que embora não fossem gay, talvez tivessem quartos livres.

            A primeira que nos indicou estava também já cheia. Já a entrar em desespero começamos a rumar para a zona do rossio, que embora fosse um bocado longe, talvez lá houvesse algum quarto. Ao passar numa das ruas, o meu nino viu no final dessa mesma rua o sinal de uma residencial. Como não tinhamos nada a perder, arriscamos.

            Como tinham vaga, ficamos logo alí na “Residencial do Norte”. Quando subimos para o quarto é que foi pior. O quarto era mesmo muito mau! Pequeno, tecto baixo, e mobila horrivel. Nem tv tinha. O wc era claramente improvisado, e só dava vontade de rir. Mas pelo menos tinhamos um quarto e como era mesmo só para dormir umas horas e tomar banho, também não procuramos mais. Depois do meu nino tomar um banho, vimos no chão uma osga bébé. Fiquei a pensar, se esta era bébé, onde andariam os pais?

            O H. ainda andou a ver se os via algures no quarto, e decimos que o melhor era vir para o quarto mesmo muito bêbados para nem pensarmos mais onde raio estavamos a dormir.

            Depois do meu banho saímos para ir jantar. Ficamos logo num restaurante perto da residencial. A fome já era muita. Nas ruas eram só estrangeiros. Muitos espanhois e nórdicos.

            Fomos tomar café à “Brasileira”. Ainda era cedo para irmos para a night, e ficamos um bom bocado a ver quem passava. Realmente aquilo é mesmo uma zona de encontro para gays. Deu para lavar-mos as vistas em dois gajos mesmo muito giros que lá estavam, e infelizmente também estava lá um velho que não parava de nos fixar. E mesmo durante o resto da noite no bairro alto, andava sempre a ver se nos via e não parava de olhar e sorrir. Tinhamos mesmo que nos virar de costas para ver se ele percebia que não queriamos nada com ele.

            Demos uma voltinha alí pelas ruas do chiado, e fomos finalmente para o bairro alto.

            Começamos a noite no “Portas Largas”.

            Nada demais. Ainda estava tudo muito calmo. Embora já um gajo que estava sentado ao nosso lado, tivesse a galar o meu H.

            Dalí fomos para o “Setimo Ceu”. Ainda estava praticamente vazio. Pouco tempo depois de nos sentarmos, entrou um gajo que não parou de olhar mais para nós. Baixinho, nem por isso feio, com um belo rabo e pernas. Sentou-se ao balcão e até se virava para trás só para olhar para nós. Claro que de vez enquando também olhavamos.

            E assim começou a noite. De bar em bar, de esquina em esquina. A determinada altura havia tanta gente na rua que até fazia aflição. Muitos gays. Alguns muito giros, bastantes bichas, e alguns velhos.

            Engraçado é que o meu nino fartava-se de ser galado ou por velhos ou por bichas. Eu ainda troquei olhares com dois ou três gajos muito giros.

            O gajo que nos mirava no “Setimo ceu” até parece que andava atrás de nós. Para qualquer lado que fossemos, passado pouco tempo lá estava ele. Vimos também muitos dos gajos que haviamos visto no chiado enquanto tomavamos café. Em especial o raio do velho que não parava de olhar para nós.

            Embora da outra vez que lá fomos me tenha divertido mais, também gostei desta noite. Muito mais gente na rua, as vezes até demasiadas. Eram três da manha quando acabamos a noite. Os bares começaram a fechar e as nossas pernas começavam a dar sinais de cansanço. Enquanto falavamos um com o outro, o tal gajo que nos andava a perseguir toda a noite, acabou por se aproximar, e apresentou-se. Chamava-se Manuel, vivia em Londres, e era timorense.

            Perguntou-nos se eramos namorados, e logo que lhe dissemos que sim, o interesse dele diminui. Despedimo-nos dele e fomos para o quarto.

            Adormece-mos pouco depois.

            R.

 

Palavras-chave: , ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 13.10.08 às 21:28link do post | adicionar aos favoritos

            10 de Outubro de 2008

 

            Faz hoje um ano que conheci o homem que mais feliz me faz.

            Nunca esperei que o H. se apaixonasse por mim, e que me ame tanto como me ama. É facil cair de amor por ele. É lindo e um homem fantastico a todos os níveis. E faz hoje um ano que assim que o vi me apaixonei por ele. Amor à primeira vista.

            Já passamos por muito, e espero passar por muito mais ao lado de quem amo.

            Tinhamos falado de fazer uma serie de coisas para comemorar, mas com a oportunidade de trabalhar no bar, tivemos que refazer os planos. Porque não poderiamos estar juntos para jantar, o meu nino tirou a tarde de folga e veio ter comigo. Ainda tomamos café, mas ambos estavamos em pulgas para saber o que eram as prendas e fomos logo para casa.

            Eu comprei-lhe o novo perfume da Emporio Armani “ Diamonds”. Há um tempo atrás ofereceram-nos umas amostras, e ambos gostamos e sabia que lhe ficaria bem.

            Ele ofereceu-me uma pulseira linda da Fossil. Adorei. É mesmo o meu estilo. E ainda por cima, posso transformar a pulseira em relogio, bastando para isso comprar a

“máquina” .

            Foi divertido estar a ver as prendas e lembrar-mo-nos das pistas que demos um ao outro.

            Como os putos estavam em casa, aproveitei e apresentei o H. como meu primo, e que provavelmente de tempos a tempos ele era capaz de dormir lá em casa. Os putos tavam na boa com isso.

            Fomos dar uma volta à cidade e voltamos de novo para casa.

            Rápidamente foi altura de ir para o bar, e deixar o meu nino sozinho. Ele veio comigo e ficou um bocadito em casa do meu mano, foi tomar um café ao bar pouco tempo depois de abrir as portas, e veio para a minha casa. Hoje iamos dormir juntinhos.

            Despachei-me do bar o mais depressa que pude. Afinal de contas não é sempre que tenho um homem bom na minha cama a minha espera.

            Acabamos a noite a celebrar o nosso amor, com muitos jactos de leite.

            R.

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 13.10.08 às 21:27link do post | adicionar aos favoritos

            9 de Outubro de 2008

 

            O bar abriu hoje.

            Foi uma maratona para termos tudo pronto para abrir a porta. Não conseguimos tudo, mas não ficou muito longe do que devia estar.

            Faltou apenas algumas decorações, pendurar dois LCDs e o sistema de som não ficou bem no sítio, mas nada disto impediu a festa.

            Havia tanto para fazer, que ainda não sei bem como o conseguimos. Desdobramo-nos no dobro. Realmente nós so portugueses somos bons é no desenrascanso e tudo em cima da hora.

            As 19h ainda faltava encher os frios porque o carro distribuidor da Sagres ainda não tinha passado, lavar todos os copos porque o gajo que vendeu a maquina trouxe os cestos errados, e nem a maquina do café ainda havia chegado.

            Ainda tivemos um dos dijuntores do quadro electrico a explodir, com direito a faiscas a voar para todo o lado antes das 20h.

            Os patrões andavam num estado de nervos que até afligia!

            Mas o que é certo é que as 21h, estava eu a entrar no bar, de banhinho tomado e já havia clientes para entrar.

            Hoje foi só para amigos e através de convite. Festa com bar aberto. Nada mau!

            Foi bom ver pessoal que não via há montes de tempo. E foi engraçado ver as caras de alguns deles. Afinal em Maio havia sido eu também a fechar o bar, e agora lá estava eu de novo na re-abertura. Saí de lá já passava das 4 da manha.

            Felizmente que amanha vou ver e estar com o meu nino. Estou cheio de saudades dele.

            R.

 

Palavras-chave: ,

O que me dizes?
Por: Ray, em 08.10.08 às 16:42link do post | adicionar aos favoritos

     8 de Outubro de 2008

 

     Tem sido uns dias de loucos.

     Com a re-abertura do bar amanha e com a mudança de casa do meu mano.

     Nao tenho tido tempo nem para namorar com o H. já não o vejo desde sábado e tenho saudades dele.

     Ontem tinhamos falado em jantar fora, e pouco antes de ele sair, a S. uma das socias do bar, ligou-me para a ir ajudar a comprar o sistema de som para o bar. concordei porque sabia que daria tempo para ainda jantar com o H.

     Quando chegamos à loja o meu mano ligou-me a pedir ajuda para levar mais uns caixotes e moveis para a casa nova. Tinha que dizer que sim. Afinal no ´Sábado não vou poder ajuda-lo. Liguei de imediato ao H. que claro que ficou para lá de triste.

     Tenho ainda o coração apertado e pequenino porque sei que quem eu amo está triste. Muito triste.

     Esta semana nao tem sido muito boa para nós.

     Ainda para piorar as coisas a familia do meu nino tem tido aguns problemas que envolvem hospital e tudo. Tá a ser complicado

     Por um lado quero dar-lhe apoio e amor nesta altura complicada. Eu proprio tambem preciso da energia e do bem que o meu amor me traz, mas por outro lado já tenho a oportunidade de começar a trabalhar tambem não a posso desperdiçar e tenho que a agarrar.

    Sei que o meu nino anda de rastos. Noto isso até nas sms.

    Espero que na sexta de alguma forma o possa compensar. E que sábado seja um grande dia de animação e festa.

    Amo-o muito e preciso mesmo muito dele. Estes dias sem o ver deixam-me sem animo.

    R.

Palavras-chave: , , ,

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

20
21
22
24

26
30


O que procuras?
 
subscrever feeds